Pular para o conteúdo principal

RESPOSTAS A COMENTÁRIOS DE LEITORES


Recebi por e-mail as respostas de Charles Domingues referentes aos comentários postados no artigo "DO BLOG CARTÃO VERMELHO: "PASSANDO A LIMPO - POR CHARLES DOMINGUES" ( http://www.cantinhodasideias.com.br/2012/09/do-blog-cartao-vermelho-passando-limpo.html ) onde reproduzo texto de sua autoria publicado no blog Cartão Vermelho. Abaixo segue a transcrição dos comentários e as respectivas respostas do autor do texto:

1. Marta Rocha15 de setembro de 2012 17:03
Infelizmente vivo esta realidade na pele, sou proprietária de um imóvel no Loteamento Caravelas do Pero que fica na Estrada do Guriri, quase na divisa de Búzios e lá apesar de ter sido licenciado pela PMCF, não temos água, iluminação pública, CEP, pavimentação, enfim, falta tudo, mas o IPTU e as licenças para construção são pagas e cobradas regularmente, sem nenhuma contrapartida da PMCF.

2. Rui Alberto Monteiro Rodrigues15 de setembro de 2012 19:34
Cara Luciana
Tal como a amiga Marta Rocha, sou proprietário de um imóvel no Loteamento Caravelas do Peró. No meu caso, desde 2004. Passaram-se oito anos em que fundamos uma associação de moradores, emitimos pedidos de serviços de saneamento básico aos órgãos competentes, isto é, incompetentes, e não vimos uma só solicitação atendida. O Loteamento é legal, mas não foi completamente legalizado pela Prefeitura, isto é, Imprefeitura, o que constitui uma torpe desculpa para receber impostos mas não proporcionar os serviços correspondentes, fruto de um acordo de gaveta ou de baú entre o prefeito de então e o empreendimento Caravelas cuja proprietária de mais renome era a senhora Lili Marinho, já falecida. Deixou fortuna para os seus e uma montanha de problemas para nós moradores.

RESPOSTAS DO AUTOR DO TEXTO – GESTOR AMBIENTAL CHARLES DOMINGUES:
Fiz um estudo para tentar responder as perguntas dos dois , quando na verdade ambos me parecem em situação bastante parecida, senão vejamos: 
A gestão dos serviços de água e esgoto é realizada no âmbito municipal por empresa privada, responsável pela produção, tratamento e distribuição de água bem como a coleta, tratamento e disposição final do esgoto. 
Em relação ao fornecimento de água e o tratamento de esgoto o município coadunando com o que foi estabelecido na Lei Orgânica, no Plano Diretor.
As políticas de governo devem estar em consonância com as políticas públicas. É importante porém que o município cumpra o que diz suas legislações locais para que sejam fortalecidas as políticas integradas com os demais setores e com as outras esferas de governo. 

Vamos ao que diz a lei orgânica municipal de cabo frio, atualizada em 31/03/2008
Art. 182 A
Saúde é direito de todos os munícipes e dever do Poder Público, assegurada mediante políticas sociais e econômicas que visem à eliminação do risco de doenças e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
Art. 183 Para atingir esses objetivos o Município promoverá:
I condições dignas de trabalho, saneamento, habilitação, alimentação, educação, transporte e lazer;
Art. 185 São atribuições do Município no âmbito do Sistema Único de Saúde:

III participar da formulação da política e da execução das ações de saneamento, a saber:

a)saneamento básico, compreendendo o abastecimento e tratamento de água e destinação de dejetos;
b)esgotos pluviais e drenagem;
c)controle da poluição ambiental, inclusive do lixo;
d)controle de vetores;
e)controle de inundações e erosões.

Acredito que somente no artigo 185 todas as duvidas foram dirimidas, ou seja o Município tem responsabilidade sobre não só o fornecimento de água, como também a destinação correta de lixo, e o tratamento final do esgoto antes que os mesmos atinjam aos corpos hídricos

Também conforme o plano diretor de Cabo Frio Lei Complementar N° 04, De 7 de Dezembro de 2006

Seção I 

Da Função Social da Cidade e da Propriedade 

Art.8° A função social da cidade e da propriedade no Município de Cabo Frio se dará pelo pleno exercício, por todos, dos direitos à moradia, aos meios de subsistência, ao trabalho, à saúde, à educação, à cultura, à proteção social, à segurança, ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, à preservação do patrimônio sócio-ambiental histórico e arqueológico, ao saneamento básico, ao transporte público, ao lazer, à religião, à informação e demais direitos assegurados pela legislação vigente.

Vamos definir o que vem a ser saneamento básico através da Lei Nº 11.445, de 5 de Janeiro De 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico.

 Art. 1o Esta Lei estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico e para a política federal de saneamento básico

Ou seja, tudo que vir por intermédio do estado e dos municípios dever ser mais restritivo com relação a essa lei.
Art. 2o  Os serviços públicos de saneamento básico serão prestados com base nos seguintes princípios fundamentais:
III - abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos realizados de formas adequadas à saúde pública e à proteção do meio ambiente;
IV - disponibilidade, em todas as áreas urbanas, de serviços de drenagem e de manejo das águas pluviais adequados à saúde pública e à segurança da vida e do patrimônio público e privado;
VI - articulação com as políticas de desenvolvimento urbano e regional, de habitação, de combate à pobreza e de sua erradicação, de proteção ambiental, de promoção da saúde e outras de relevante interesse social voltadas para a melhoria da qualidade de vida, para as quais o saneamento básico seja fator determinante;
VII - eficiência e sustentabilidade econômica;
IX - transparência das ações, baseada em sistemas de informações e processos decisórios institucionalizados;
XII - integração das infra-estruturas e serviços com a gestão eficiente dos recursos hídricos.
Art. 3o  Para os efeitos desta Lei, considera-se:
I - saneamento básico: conjunto de serviços, infra-estruturas e instalações operacionais de:
a) abastecimento de água potável: constituído pelas atividades, infra-estruturas e instalações necessárias ao abastecimento público de água potável, desde a captação até as ligações prediais e respectivos instrumentos de medição;
b) esgotamento sanitário: constituído pelas atividades, infra-estruturas e instalações operacionais de coleta, transporte, tratamento e disposição final adequados dos esgotos sanitários, desde as ligações prediais até o seu lançamento final no meio ambiente;
c) limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos: conjunto de atividades, infra-estruturas e instalações operacionais de coleta, transporte, transbordo, tratamento e destino final do lixo doméstico e do lixo originário da varrição e limpeza de logradouros e vias públicas;
d) drenagem e manejo das águas pluviais urbanas: conjunto de atividades, infra-estruturas e instalações operacionais de drenagem urbana de águas pluviais, de transporte, detenção ou retenção para o amortecimento de vazões de cheias, tratamento e disposição final das águas pluviais drenadas nas áreas urbanas;
II - gestão associada: associação voluntária de entes federados, por convênio de cooperação ou consórcio público, conforme disposto no art. 241 da Constituição Federal;
III - universalização: ampliação progressiva do acesso de todos os domicílios ocupados ao saneamento básico;
IV - controle social: conjunto de mecanismos e procedimentos que garantem à sociedade informações, representações técnicas e participações nos processos de formulação de políticas, de planejamento e de avaliação relacionados aos serviços públicos de saneamento básico.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si