Pular para o conteúdo principal

A FALTA DE CARÁTER COMO ESTRATÉGIA POLÍTICA


A disputa eleitoral pelo cargo de presidente no Brasil teve uma reviravolta neste ano de 2014, em plena época de campanha, devido à morte repentina do candidato Eduardo Campos (PSB) em um acidente aéreo no dia 13 de agosto. Muita comoção e muita dúvida acerca de como se remodelaria a disputa a partir daí, até sair a decisão final de que Marina Silva assumirá o lugar de Eduardo.

Mas hoje quero abordar aqui um fato que merece de nós uma reflexão mais profunda e bem propícia para este momento de campanhas por todo o Brasil: a falta de caráter utilizada como estratégia política para prejudicar um candidato.

Domingo passado, 17/08, portanto quatro dias após o fatídico evento, começou a circular na internet uma foto de Marina Silva sorrindo junto do caixão de Eduardo, com os dizeres: "Marina deu risada em cima do caixão de Eduardo Campos!!!".  Na foto estão Marina, o vereador Saulo Souza (Poá, SP), a viúva Renata Campos e alguns de seus filhos. Eles conversavam sobre o sorriso de Eduardo e sobre o quanto ele gostava de contar seus "causos" engraçados, ou seja, estavam a recordar alguns momentos de alegria junto ao falecido, então naturalmente sorriam, conforme relatou Saulo Souza em seu perfil do facebook:

 "Num certo momento da madrugada, eu perguntei para Dona Renata, na presença de Marina, no que consistia a força admirável dos meninos e dela, principalmente, demonstrada diante de tamanho sofrimento e de tamanha dor.

Ela calmamente tocou o porta-retrato do Eduardo que estava sobre o caixão e contou do quanto achava lindo o sorriso dele, do quanto ele inspirava a família a sorrir em todos os momentos da vida mesmo quando a dor fosse uma tortura.

Então, disse que estava orgulhosa dele porque conseguiu deixar uma mensagem para o Brasil e realizada porque ele deixou um legado inspirador. Por fim, ela relembrou, como bom nordestino, do quanto ele gostava de contar "causos" e alegrar a vida de todos por onde passava.

Então, sorrimos. Nós, cinco".

Saulo Souza

*Foto: Estadão


Sem falar na total insensibilidade de quem certamente possa ter sido pago para começar essa corrente difamatória, é importante alertar que, infelizmente, no meio político, há "profissionais" pagos justamente para exercerem a função de registrar imagens ou frases totalmente fora do seu contexto real e divulgá-las com fim exclusivo de desconstruir adversários, gerando uma interpretação dos fatos totalmente equivocada, por parte do público. Com o crescimento das redes sociais, a situação agravou-se ainda mais. Hoje há blogueiros, fotógrafos, perfis falsos (fakes), todos pagos (e muito bem pagos) para exercerem a difamação (vide texto http://www.cantinhodasideias.com.br/2013/11/falta-de-carater-vira-negocio.html ). Neste fim de semana, em pleno velório, Marina foi mais uma vítima desse "negócio" porco que se tornou a falta de caráter.  

Que fiquemos atentos e alertas em relação às matérias divulgadas sobre os candidatos, tenhamos mais cuidado ao compartilhar notícias e fotos, busquemos antes pesquisar ao máximo a verdade, e, na dúvida, não compartilhemos, pois infelizmente o mal caratismo está fortemente instalado na política de nossos dias. Não há respeito na disputa, não há ética, vale tudo na busca por atingir o alvo. Gasta-se muito mais energia em raciocínios complexos para elaboração de planos ardilosos e sujos do que na formulação de projetos e na busca de soluções para os problemas da sociedade. 

Desconfie do candidato que insiste na estratégia da difamação, desconfie do candidato que mantém o foco na desconstrução do outro ao invés de focar naquilo que tem obrigação de fazer, que é apresentar e debater suas ideias e propostas, pois esse candidato revela comprometimento apenas com um sujo e imoral jogo político, e nas mãos deste ficará, caso venha a governar.

Luciana G. Rugani

Comentários

  1. Muito boa reflexão Luciana, infelizmente a nossa sociedade tem uma visão distorcida de que os tinha justificam os meios, que vale tudo para se dar bem e isto precisa mudar, ou melhor, voltarmos aos nossos valores reais de integridade, solidariedade, trabalharmos como bem vc mencionou para o bem comum. Muito apropriado para reflexão.

    ResponderExcluir
  2. Elísio Gomes Filho23 de agosto de 2014 13:30

    Interessante e muito pertinente, as informações citadas em cada parágrafo, a exemplo do último:"Desconfie do candidato que insiste na estratégia da difamação, desconfie do candidato que mantém o foco na desconstrução do outro ao invés de focar naquilo que tem obrigação de fazer, que é apresentar e debater suas ideias e propostas, pois esse candidato revela comprometimento apenas com um sujo e imoral jogo político, e nas mãos deste ficará, caso venha a governar." Para reiterar o que você Luciana, assevera, posto o link do boatos.org, sobre o assunto::http://www.boatos.org/politica-2/marina-silva-ri-durante-o-velorio-de-eduardo-campos-diz-boato.html

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si