Pular para o conteúdo principal

PREFEITO ALAIR CORRÊA INAUGURA OBRAS NO BOULEVARD CANAL

A estátua de Gandola, cabofriense campeão mundial de caça submarina, foi entregue a população durante a inauguração

Na noite desta terça-feira (23) foi reinaugurado o Boulevard Canal em Cabo Frio. Considerado como um dos pontos mais visitados da cidade, a obra de recuperação durou mais de três meses e deixou o local pronto para a alta temporada.

Entre as mudanças executadas às margens do Canal do Itajuru estão a manutenção das fachadas padronizadas e da iluminação especial e ainda a revitalização do calçamento intertravado pigmentado e cerâmicas esmaltadas de alta resistência. O deck de madeira avançado em dois metros para o canal foi reformado com a utilização de estrutura pré-moldada de concreto e madeira. O projeto, que recebeu investimento em torno de R$ 1,5 milhão, incluiu obras de infraestrutura de base do pavimento e da rede de drenagem de águas pluviais. A parte elétrica foi toda refeita e os suportes das luminárias substituídos por equipamentos de alumínio resistentes às ações do tempo.

– Meu amor por Cabo Frio é muito grande. A população de Cabo Frio e também os turistas precisavam dessa melhoria. Com essa revitalização demos vida ao Boulevard Canal, trouxemos mais conforto a todos que passam por este lindo cartão postal –, disse o prefeito Alair Corrêa durante a reinauguração de inspeção das obras.

O empresário José Antônio Oliveira Dias, proprietário do Restaurante do Zé no Bolulevard Canal, sendo um dos mais antigos, frisou as melhoras que a obra traz para quem trabalha na localidade.

- A manutenção do Canal só acrescenta e melhora ainda mais pra quem trabalha aqui. Oferece mais conforto, mais tranquilidade, valoriza também os restaurantes e os trabalhadores daqui e consequentemente melhora a qualidade para o turista que vem para Cabo Frio. Estou extremamente feliz com essa revitalização, só trouxe coisas boas para todos nós –, afirma o empresário.

O morador Francisco de Almeida, que reside há 25 anos no bairro Braga, ressalta a importância dessa obra.

- O Boulevard Canal é um dos lugares mais importantes da cidade, essa manutenção é de extrema necessidade para nós que moramos aqui e também para os turistas que passam pela nossa região -, afirma Francisco, que parabeniza o prefeito pela iniciativa.

Os projetos de revitalização inaugurados neste mês contam com a melhoria e manutenção dos principais pontos da cidade como a Rua dos Biquínis, o Boulevard Canal, o trecho da Praia do Forte na área do Hotel Malibu, a nova iluminação da Orla de Tamoios, além da recuperação dos espaços públicos em toda a cidade.

Na ocasião estiveram presentes o presidente da COMSERCAF Toninho Corrêa, o vereador Paulo Henrique Corrêa e os secretários Edinho Ferrô, José Facury, Brasilmar Santana, Marcos Carrerette, Eduardo Monteiro, Demerval Vasconcelos, Edson Leonardes, Paulo Castro, o superintendente Wilson Lobato e o comandante da Guarda Marítima e Ambiental Sérgio Guedes.

Texto: Flávia Lira
Fotos: Horácio CF Zone


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

PARA HENRY BOREL

Não mais o riso fácil de criança! Os bonecos a lutar, Impulsionados por frágeis mãozinhas, Agora estão inertes Como inerte está  O seu corpinho sofrido. Não mais a alegria E o gosto da liberdade Dos dias fora do calabouço, O seu cárcere de dor. Quantos gritos mudos Em abraços silenciosos. Quantas dores caladas Gritadas em olhar de pavor. Quantos pedidos no choro fácil, No rostinho escondido no ombro No colo de sua algoz. Uma criança somente, E somente só. Única! Seu riso só seu, Seu olhar, sua identidade. Sua voz, seu abraço Únicos! Sua voz agora é silêncio, A mesma voz  Que animava brinquedos A mesma voz  Que implorava socorro na fala curta. Pai, me deixa ficar contigo! A luz aqui Pra sempre se apaga. Ficarão a saudade, E consciências sem paz. Mas a luz vive além Resplandece linda entre anjos. O anjo venceu o leão da arena E em outras esferas foi sorrir, Foi brincar, Foi viver. Liberto está, Para sempre, Das mãos frias de duros golpes, Dos abraços fortes de ódio E da tortura, Que dói