quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

RECEPTIVIDADE: REQUISITO FUNDAMENTAL NO GERENCIAMENTO DO TURISMO

Foto: perfil face prefeito Alair Corrêa
Tempo de férias, alta temporada. Época em que o assunto "turismo" atinge seu ápice nas discussões e debates na mídia. 

No final de 2014, gerou grande repercussão o pronunciamento do prefeito de Guarapari, no Espírito Santo, principalmente em Minas Gerais, que é um dos estados, ou até mesmo o estado, que mais "exporta" turistas para o litoral (vide matéria no link http://www.otempo.com.br/capa/economia/prefeito-de-guarapari-diz-que-turista-pobre-n%C3%A3o-%C3%A9-bem-vindo-1.962810). Tal pronunciamento gerou comentários em todos os cantos, seja na imprensa ou até mesmo em debates entre amigos. Repercutiu muito mal, a opinião geral foi de contestação à fala do prefeito.



O bom senso é requisito fundamental no discurso e na atitude de um homem público. E mais, nosso país é um país ainda preconceituoso, que carece de amadurecer bastante o pensamento e poucas não têm sido as campanhas contra qualquer tipo de preconceito. Neste contexto, um prefeito, agente político escolhido por uma parcela deste povo repleto de diversidades, como é o caso do povo brasileiro, ainda mais de uma cidade turística, que, por sua natureza, deve propagar uma mentalidade mais aberta e receptiva, falar de forma preconceituosa, conforme foi divulgado em vários jornais do país, penso que vai totalmente na contramão do avanço. Trata-se de um pensamento que denota barreiras, obstáculos, quando, ao contrário, deveria trazer uma visão ampla, conciliadora e receptiva, como deve ser a visão de um homem público principalmente em uma cidade que tem no turismo sua principal atividade.

Organizar, regulamentar, não deve significar impedir o acesso. Eu nunca concordei com medidas excludentes como parte de uma política pública elitista. Praias são bens de uso comum, portanto todo e qualquer brasileiro tem direito de delas usufruir. Penso que, com organização e consciência, todos são bem-vindos. Pode-se muito bem conciliar normas de organização com turistas de todas as classes sociais. Não é a classe social que determina a diferença na educação e no cuidado com o bem público, e sim o grau de conscientização. E o poder público, com sua função fiscalizadora, pode buscar essa conscientização através de uma boa regulamentação sem precisar agir de forma preconceituosa e excludente. 

Um bom exemplo temos na cidade de Cabo Frio. Cabo Frio tem ganhado de longe na preferência dos turistas, principalmente os mineiros. O empresário José Alexandre Magalhães, da BR-X Agência de Viagem e Turismo em Belo Horizonte, avalia: "Para Guarapari a gente divulga, quase não enche, e algumas são canceladas. Para Cabo Frio, o telefone não para de tocar. O mineiro já está deixando de escolher (Guarapari) pelo que a cidade oferece". (vide: http://www.otempo.com.br/capa/brasil/ap%C3%B3s-rea%C3%A7%C3%A3o-prefeito-capixaba-alega-ter-sido-mal-interpretado-1.963397 ). A cidade, além de oferecer uma infraestrutura muito melhor e ainda possuir belíssimas praias não poluídas, tem buscado investir em um organização sem tratar os turistas de forma discriminatória e preconceituosa. Podemos perceber isso no pronunciamento dado pelo prefeito Alair Corrêa, o qual eu destaco abaixo. O prefeito deixou claro, em sua mensagem, a adoção de uma postura receptiva aos turistas, sejam eles de que classe social forem. Mentalidade aberta, livre de preconceitos, conciliadora, própria de um administrador de cidade turística. E ao mesmo tempo vem implantando, por exemplo, medidas de ordenamento do acesso a praias; maior fiscalização por parte da guarda municipal em relação a estacionamento em áreas proibidas; mais agentes controladores do trânsito e mais trabalhadores na limpeza urbana. 

Cabo Frio é uma cidade que atualmente ganha de longe na preferência de turistas das mais diversas regiões, é um exemplo de que, com um bom gerenciamento, pode-se conciliar atrações turísticas para todas as classes sociais. Claro que nas altas temporadas o movimento é muito grande, a população quase quintuplica. Mas isso é natural em cidades turísticas praianas e sinal de que a cidade é atrativa. Nós mesmos presenciamos visitantes dos mais diversos estados brasileiros, desde estados do nordeste até do sul do país, além de estrangeiros. Pudemos verificar de perto que o governo vem fazendo sua parte e realizando um bom trabalho de gerenciamento até mesmo em períodos de alta temporada.

Vale destacar que, apesar de eu sempre ter sido admiradora do trabalho que o prefeito Alair Corrêa já realizou pelo município, não faço parte do governo e minha opinião aqui é isenta, sou somente uma cidadã cabo-friense que constituiu na cidade morada com ânimo permanente, onde paga em dia seus impostos e contrata seus serviços de água, luz, gás, internet, etc. etc... , portanto com vínculos jurídicos mais que suficientes para fazerem com que eu seja interessada no desenvolvimento de Cabo Frio, mas com preservação de sua qualidade de vida, acompanhe seu cotidiano e apoie aqueles que também têm por objetivo ver uma cidade cada dia melhor para cidadãos e turistas.

Luciana G. Rugani 

Pronunciamento do prefeito Alair Corrêa publicado no seu perfil do facebook no dia 04/01/15:




FIM DE FESTA, DEVER CUMPRIDO!


Após meses de preparação tivemos a mais esperada festa de nossa cidade, O REVÉILLON. 

Foram momentos de muito trabalho, dedicação e tensão , compensados por termos alegrado a mais de 1.000.000 (UM MILHÃO ) de pessoas , que participaram da grandiosa festa da virada em nossas praias.

Foi gratificante ,como Prefeito, ter presenciado milhares de famílias se confraternizando com abraços, beijos e cantando. Parabéns a todos! 
Permitam-me mandar um recado para os que pregam a tragédia e o caos: Vocês que anunciaram que tudo seria ruim e que a desordem imperaria, que faltaria tudo : Segurança, energia elétrica, água e atendimento na Saúde etc.
É com uma imensa alegria que posso, agora, responder a vocês. Graças a DEUS Deu Certo e todos voltaram para suas casas,cidades e Estados em absoluta PAZ. 
Tivemos uma grande festa em Cabo Frio e nela imperou a alegria o AMOR E A PAZ. 
A equipe da Prefeitura mostrou competência para organizar eventos desse porte.Trabalhamos unidos com as demais instituições. PM, BM, GM juntos, colocamos mais de 1.000 Agentes funcionando no apoio, foram os verdinhos, amarelinhos e os pretinhos ligados aos setores de transporte, postura e ordem pública. Eles, com a nossa Guarda Municipal, tomaram conta das nossas ruas e praias, preparados que foram para o ordenamento da cidade. 
Tivemos congestionamentos, é verdade, mas qual a cidade turística no Brasil não teve? 
Todos na cidade trabalharam, ganharam dinheiro com os turistas pobres ou ricos e com eles se divertiram. 
Aos Mineiros,Cariocas, Paulistas, Brasilienses ,Nordestinos, Sulistas ou melhor, Brasileiros de todos os Estados: OBRIGADO, VOLTEM SEMPRE A CABO FRIO!
NÓS ,CABOFRIENSES, SOMOS APENAS MORADORES E NÃO OS DONOS DA CIDADE COMO DESEJAM SER UNS POUCOS QUE AQUI RESIDEM. O QUE NÓS TEMOS COMO MORADORES FIXOS É A RESPONSABILIDADE DE CUIDAR DA CIDADE PORQUE DESFRUTAMOS DELA COM NOSSAS FAMÍLIAS O ANO INTEIRO, NOS DESCULPEM PELA IMPERTINÊNCIA DE ALGUNS OU A REJEIÇÃO DE OUTROS A VINDA DE VOCÊS. NÃO LIGUEM, PORQUE 95 % DA POPULAÇÃO ,APESAR DOS TRANSTORNOS DA SUPERLOTAÇÃO, GOSTAM DA ALEGRIA DE VOCÊS E TAMBÉM DOS RECURSOS QUE TRAZEM PARA NOSSA GENTE, CONSUMINDO NAS PRAIAS E NO COMÉRCIO.
O POETA CARRIÇO ESCREVEU :" ... NÃO HÁ FORASTEIROS, POIS NESTA TERRA TODOS SÃO IGUAIS". 
Essa batalha, Graças a DEUS , nós vencemos.
Tivemos transtornos com o trânsito e talvez algumas complicações. Mas tudo bem distante do caos que anunciaram e que torceram para que não desse certo! FOI LINDO E DEU CERTO! 
Agora vamos pedir a Ele que o retorno dessa gente para seus lares seja tranquilo! Nós, cabo-frienses, ficaremos aqui certos de que nesses cinco dias nossos visitantes se divertiram e gastaram, possibilitando alimento para milhares de famílias cabo-frienses por muitos meses , assim como permitirá a outras centenas, reformas em suas casas, além de, com as super vendas , terem permitido aos comerciantes de Cabo Frio, saudarem parte de suas dívidas. 
A partir de hoje, ficaremos apenas com o público do verão, que não é pouco, e com a nossa população, que já ultrapassou a 200.000 habitantes.
Obrigado a todos os cabo-frienses pela compreensão e aos poucos contra, desculpem- me por ter esvaziado o discurso de vocês ao realizar essa grande festa. 
Sou ciente que o prazer de vocês é criticar. Se não fizéssemos, ouviria: " Tá vendo ? Alair não fez shows, não soltou fogos, não fez nada"
Lamento,meus caros, esse gostinho vocês não terão enquanto eu for Prefeito! 

Feliz 2015-Cabo Frio Quatrocentão

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...