Pular para o conteúdo principal

MINHA REFLEXÃO SOBRE OS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS NA CIDADE


Ontem estive pensando em tudo que tem acontecido em nossa cidade, nos últimos tempos. E hoje, véspera dos seus 400 anos, quero compartilhar com vocês alguns pontos para nossa reflexão.

O ser humano, a vida humana, a sociedade humana, são todos compostos por vivências e experiências acumuladas a cada dia. Não somos hoje somente o que vivemos hoje. Temos nossas ações ao longo dos tempos e somos hoje resultado de tudo que vivemos até então.  

Sabendo desta realidade, temos que Cabo Frio não é o que hoje se passa. Não é uma cidade em crise, não é o caos que estão apregoando, não é um mal sem volta. Cabo Frio hoje vive um período difícil, resultado de todo um processo de âmbito nacional. A cidade vive este momento que chegaria de qualquer forma, seja qual fosse o prefeito que estivesse no comando da cidade. Só não esperávamos que chegasse de forma tão repentina, acelerada pela crise política do governo federal (caso Petrobrás). Então, penso que agora é hora, primeiramente, de olharmos para trás para angariarmos forças no que foi realizado, no que tornou-se nossa cidade até hoje. Antes, uma cidade desconhecida, com pouca infraestrutura, cheia de valões, sem água de qualidade, sem serviço organizado de limpeza, e, consequentemente, com poucos empreendedores interessados. Hoje, temos uma cidade com renome nacional e até internacional no turismo, serviços públicos organizados, ruas urbanizadas, sem os antigos valões, bairros construídos e toda a infraestrutura que foi capaz de atrair empreendedores dos mais diversos ramos. Cabo Frio tornou-se uma cidade média, e a cada ano é grande o número de pessoas que aqui vêm morar.

Agora vejamos: todas essas transformações e total reconstrução dessa cidade deu-se pelo trabalho deste que hoje é prefeito, Alair Corrêa. Isso é fato incontestável, ninguém pode negar o que este homem fez pela cidade. Então pensemos com sinceridade: é justo agora, no momento mais crítico dessa fase, em que a cidade passa por esse grave e tormentoso momento, que se faça o que fizeram nos últimos dias? Vi no face posts falando sobre a manifestação realizada ontem, e comentários raivosos e ofensivos a este que hoje é nosso prefeito, como se ele fosse o responsável por algo que já aconteceria mais cedo ou mais tarde e que se adiantou devido à crise da Petrobrás, como se ele não houvesse feito nada mais em sua vida pública! Ora, percebemos claramente que isso já é tripudiar, zombar, aproveitar para se destacar e crescer em cima da dificuldade de toda uma população. 

Outro dia me disseram no face que eu deveria era me solidarizar com a luta dos funcionários. Pois deixo aqui mais uma vez minha resposta: solidarizo sim, mas não só com os funcionários, e sim com toda a cidade, todos os setores e classes e também com o governo que vem tentando como pode resolver essa situação. Acho que o caminho agora é este, união, compreensão e trabalho, e entendo a gravidade da questão. Este não é um problema só de Cabo Frio, infelizmente nosso país vive grave crise política e econômica, e Cabo Frio sofre ainda mais forte os efeitos porque há anos e anos que o repasse dos royalties integrou-se à economia da cidade como uma poderosa fonte de recursos e a cidade ainda não havia se estruturado para ser mais independente economicamente. E isso tudo não é culpa de um prefeito ou de um só governo. É consequência de toda uma historia e final de ciclo. Como é normal ocorrerem turbulências em todo processo de transição, isso acontece agora em nossa cidade, ao findar o ciclo do petróleo. A cidade vinha sendo preparada, pelo atual governo, para tornar-se independente através do turismo, pois o fim dos royalties já era previsto, mas a crise se antecipou. Mas, mesmo assim, percebemos que, apesar de tantas dificuldades, a cidade não está tão arruinada como estão muitas outras neste país, como vemos nas reportagens que nos chegam todos os dias. 

Fica aqui então minha reflexão: olharmos para trás, vermos o tanto que conquistamos e também o tanto que nosso prefeito Alair já mostrou ter de experiência e capacidade para contornar obstáculos e trazer o desenvolvimento. Tomemos força para seguir adiante, trabalhando, criando, apoiando, mas com direção certa, sem nos deixarmos levar pelos atalhos oportunistas do caminho.

Sigamos de olhos abertos, pensando, refletindo de forma mais madura e com responsabilidade para que não sejamos massa de manobra de grupos interessados no poder pelo poder. Isso está acontecendo em nível federal, e também em nossa cidade. Vejamos que até para fazer oposição é preciso inteligência e hombridade. Para mim, oposição que ofende como ofendeu, que destrói o patrimônio público com seus atos de puro vandalismo, como fez na prefeitura dias atrás, que não busca solidarizar-se com a luta diária do governo para superar os problemas e que, além de tudo, busca pisar ainda mais forte para subir de forma torpe, para mim oposição assim é simplesmente oportunismo, o que vem comprovar uma velha frase já conhecida de todos nós, da qual não lembro a autoria: "no Brasil não se sabe fazer oposição". Que nós, cidadãos, tomemos as rédeas de nossa conduta e não nos deixemos manipular por meros oportunistas que, ao invés de buscarem juntos soluções para o problema, dele se utilizam em proveito próprio. Aproveitemos esta data para fazermos um novo tempo em Cabo Frio, tempo de cidadãos mais maduros, mais cientes de sua realidade, e menos sujeitos às manobras podres da politicagem oportunista.

Luciana G. Rugani

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

PARA HENRY BOREL

Não mais o riso fácil de criança! Os bonecos a lutar, Impulsionados por frágeis mãozinhas, Agora estão inertes Como inerte está  O seu corpinho sofrido. Não mais a alegria E o gosto da liberdade Dos dias fora do calabouço, O seu cárcere de dor. Quantos gritos mudos Em abraços silenciosos. Quantas dores caladas Gritadas em olhar de pavor. Quantos pedidos no choro fácil, No rostinho escondido no ombro No colo de sua algoz. Uma criança somente, E somente só. Única! Seu riso só seu, Seu olhar, sua identidade. Sua voz, seu abraço Únicos! Sua voz agora é silêncio, A mesma voz  Que animava brinquedos A mesma voz  Que implorava socorro na fala curta. Pai, me deixa ficar contigo! A luz aqui Pra sempre se apaga. Ficarão a saudade, E consciências sem paz. Mas a luz vive além Resplandece linda entre anjos. O anjo venceu o leão da arena E em outras esferas foi sorrir, Foi brincar, Foi viver. Liberto está, Para sempre, Das mãos frias de duros golpes, Dos abraços fortes de ódio E da tortura, Que dói