Pular para o conteúdo principal

COMUNICADO DO PREFEITO ALAIR CORRÊA




Comunico aos meus amigos e eleitores que acabei de me licenciar da presidência do PP até o dia 31/12 / 2016 , quando encerra MEU governo. Diante disso decidi também NÃO SER MAIS CANDIDATO A REELEIÇÃO! A decisão que acabo de tomar deixando a direção do meu partido e a desistência de minha candidatura à reeleição ocorre devido a super queda na arrecadação da cidade que me impediu de realizar o governo que imaginei. Enfrentado a mais dura crise econômica, não tive condição de executar o projeto para nossa cidade, originando a incompreensão popular. Tenho enfrentado uma despesa maior do que a receita, já que perdemos mais de vinte milhões por mês . Resolvi ficar fora da eleição para me dedicar inteiramente a preparar as finanças do município a ser entregue ao futuro prefeito. A cidade sempre esteve acima dos meus projetos pessoais e preciso entregar uma Prefeitura onde, pelo menos, haja equilíbrio entre a receita X despesa. Trabalhei intensamente para evitar o caos, mas não consegui nem um real como ajuda ou de empréstimo como decidiu o senado, por culpa dos adversários que preferiram me prejudicar politicamente do que salvar nossa cidade com os 200 milhões que receberíamos. O pouco tempo que tenho , não pode ser utilizado em campanha para mim ou outro candidato. Irei dedicar-me 100% para evitar que o futuro prefeito, seja ele quem for, passe pelo que venho passando por não arrecadar o suficiente para as mudanças que precisamos.
Por isso anuncio meu afastamento por seis meses da direção do meu partido e minha desistência em disputar a reeleição. Enfatizo que não participarei de nenhuma campanha eleitoral. Entreguei a direção do partido ao Vice Presidente sr LUIZ GONZAGA LIMA, assim como a escolha dos candidatos a Câmara e a prefeitura. Agradeço a todos que me acompanham neste momento de dificuldades e peço desculpas pela atitude ora tomada.
Preciso desses 5 meses de dedicação integral para tentar entregar a prefeitura ao futuro gestor em condições melhores do que estou tendo nos dias atuais. Um abraço a todos.

Alair Corrêa

Comentários

  1. Caro amigo, todos nós, mortais somos vítimas de sonhos adiados, de esperanças dilaceradas, mas apesar disso , todos nós temos um sonho, porque nós não podemos desistir da vida! É justo nesse momento que o destino diz que é proibido: levantar da cama sem sonhos; vestir-se sem esperança; caminhar sem fé e viver sem amor. Bom dia, abençoado fim de semana na Graça de Deus, muita saúde, paz espiritual, familiar e vida que segue...hora de palestrar, vender esperiência em todo o Brasil; afinal, somos recordistas em grandes obras a nível de município!!! receba minha solidariedade e minha eterna gratidão como munícipe por tornar nossa cidade aconchegante e acolhedora e como funcionário público pelos inúmeros benefícios somados aos nossos salários em todas as gestões em que foi prefeito, beneficiando a todos, sem exceções. DEUS o abençoe juntamente com a família e esteja sempre a frente de cada decisão.






















    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si

PARA HENRY BOREL

Não mais o riso fácil de criança! Os bonecos a lutar, Impulsionados por frágeis mãozinhas, Agora estão inertes Como inerte está  O seu corpinho sofrido. Não mais a alegria E o gosto da liberdade Dos dias fora do calabouço, O seu cárcere de dor. Quantos gritos mudos Em abraços silenciosos. Quantas dores caladas Gritadas em olhar de pavor. Quantos pedidos no choro fácil, No rostinho escondido no ombro No colo de sua algoz. Uma criança somente, E somente só. Única! Seu riso só seu, Seu olhar, sua identidade. Sua voz, seu abraço Únicos! Sua voz agora é silêncio, A mesma voz  Que animava brinquedos A mesma voz  Que implorava socorro na fala curta. Pai, me deixa ficar contigo! A luz aqui Pra sempre se apaga. Ficarão a saudade, E consciências sem paz. Mas a luz vive além Resplandece linda entre anjos. O anjo venceu o leão da arena E em outras esferas foi sorrir, Foi brincar, Foi viver. Liberto está, Para sempre, Das mãos frias de duros golpes, Dos abraços fortes de ódio E da tortura, Que dói