Pular para o conteúdo principal

OPINIÃO



Cabo Frio passa por uma fase complicada. Uma situação lamentável e, bem sabemos, dolorosa para muitos. Mas é certo que, se assim está, não é por vontade do governante. Fico triste com essa situação, mas é preciso reconhecer que a cidade já esteve muito bem em outros tempos, e, naquela época próspera, quando o prefeito era Alair Corrêa, muito foi realizado. Servidores ganhavam bem, e ainda recebiam 14º salário, reajustes, abonos... Eram satisfeitos e felizes. E a cidade cresceu em infraestrutura e desenvolvimento geral, Alair construiu avenidas, acabou com valões, urbanizou bairros, construiu escolas e inseriu a cidade em roteiros turísticos nacionais e internacionais. Tivemos também outro prefeito, nestes tempos de vacas gordas, mas que praticamente nada realizou em dois mandatos contínuos e prósperos. Poderia também ter feito muito, assim como Alair fez em seus mandatos anteriores. 

Sendo assim, agora que a coisa ficou difícil, não acho justo as pessoas falarem como se o prefeito atual fosse o culpado ou não quisesse resolver a questão. Julgam-no somente por este mandato, isso não é correto. Fingem esquecer o tanto que ele realizou em outros tempos e também tudo de bom que ele fez neste mandato, mesmo com dificuldades. Agora o momento deveria ser de união e busca de soluções, mas, ao contrário, estão semeando a desunião, a guerra, o ódio, ao invés de espírito de união e trabalho pra ajudar. Vejo um ou outro cidadão dando belos exemplos de cidadania ao organizarem mutirões em seus bairros para ajudarem na limpeza. Não estão guerreando, não estão brigando, e sim colaborando. Essa sim que deveria ser a atitude dos cidadãos em larga escala, e principalmente dos que se dizem líderes de grupos ou de classes. Não estou falando em abrir mão de seus direitos, mas não é com briga e violência que se colabora positivamente. Atitudes e ações coletivas com criatividade, união e espírito de colaboração são bem-vindos. Mas não. Preferem usar essa grave crise para se beneficiarem politicamente nas próximas eleições, aí é que está o problema. 

Muito triste esse modo de agir que só destrói, só semeia desordem e que rechaça soluções, agravando ainda mais o já tão triste panorama.

Luciana G. Rugani

Comentários

  1. É ruim a fase que a cidade vem passando. Sabemos que o ruim também vai passar. Sabemos que as pessoas conseguem enxergar diferente se quiserem e que a capacidade de enxergar está conectada a alma daqueles que entendem e compreendem muito da boa vontade humana, de criar e de progredir. Cabo Frio é uma cidade lindíssima e o prefeito atual é um dos que mais construiu. A cidade deve isto a ele, imagino uma homenagem ao homem publico que vem sofrendo e querendo a todo custo mudar a situação. Eu sou do pensamento de que as homenagens que acontecem quando ainda estamos vivos são substanciais para a nossa autoestima e para o reconhecimento. Gostaria de assistir esta homenagem e que a mesma atingisse toda a cidade, mostrando como Cabo Frio era e toda mudança feita até os dias atuais. Desde que conheci Cabo Frio entusiasmei em ver tudo de bom que ia acontecendo, até que conhecemos o prefeito e conversando com ele vimos seus olhos brilharem quando falava das coisas que ainda queria fazer. Muitas pessoas, tanto amigas quanto as que conseguem reconhecer, admiram a persistência do prefeito de ainda continuar a sua obra nesta cidade que abraça e ama a todos.

    ResponderExcluir
  2. Sueli Regina de Siqueira3 de julho de 2016 22:50

    Amiga! Concordo plenamente com seu texto e assino embaixo. Bjos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si