Pular para o conteúdo principal

EXPOSIÇÃO DE MANDALAS DE RICARDO SEPÚLVEDA EM CABO FRIO

Música ao vivo com Maestro Budega

Quarta-feira, 5 de julho, às 18h, a mostra “Mandalas” do artista plástico Ricardo Sepúlveda será inaugurada no Espaço Cultural Cereall Gourmet, onde ficará aberta ao público até o dia 31 deste mês, das 9h às 19h, de segunda a sábado. A entrada é franca.

Nascido no Chile em 1941, a trajetória existencial de Ricardo passou pela Noruega, Estados Unidos, Espanha e Alemanha, até fixar-se em Cabo Frio onde reside atualmente. Já no Brasil, em 1979 ingressou na icônica Escola de Artes Visuais do Parque Laje, no Rio de Janeiro; fez oficinas de desenho com Roberto Magalhães, Astrea El-Jaik e Rubens Gershman; escultura com Haroldo Barroso, João Grilló, e Jaime Sampaio; e fotografia com Annie Moffit.

Com expressiva participação em mostras coletivas e individuais no Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, entre outras cidades, Ricardo se destaca pela originalidade de suas obras e o esmero de seu inspirado trabalho, frutos da sua formação artística com renomados mestres que moldaram a sua versatilidade criativa. Em setembro de 2016 inaugurou a Exposição “Entre Tubarões e Embarcações”, no MART – Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio, com esculturas criadas por elaborados recortes em folhas de papel Kraft.

Agora, em mais uma fase, volta-se para a ‘mandala’, palavra sânscrita que significa ‘círculo’, símbolo de integração, harmonia e concentração de energia. Ricardo está em boa companhia. O psiquiatra e psicoterapeuta suíço Carl Jung, fundador da psicologia analítica, também se sentiu atraído pelas mandalas, cujo simbolismo estudou e descreveu em importantes trabalhos.

A magia das Mandalas, segundo o artista: “Não sei exatamente quando adquiri o gosto por fazer mandalas; mas tenho certeza que meu interesse cresceu muito depois de ter feito, há alguns anos, o curso de Leitura Vibracional com Sandra Luz. Tanto assim que, a partir de então, desenhei e fiz perto de uma centena delas de diversos materiais, especialmente de papel. Não foi por acaso que para a primeira serie usei, como imagens, fotos de tampinhas de garrafas por mim recicladas, que acredito foram minhas primeiras mandalas metálicas; pequenas, mas com alto simbolismo e comunicabilidade no mundo contemporâneo. Produzi em papel A4 e A3 mandalas planas, cônicas, parabólicas e agora uma serie de elípticas, baseado no conceito geométrico de que um círculo é uma elipse especial. Mas, principalmente, por causa da minha observação do maior relaxamento do meu olhar ao contemplar a mandala elíptica, que apresento pela primeira vez nesta exposição”.

*Evento gratuito* - Contribuição de 2 kg de alimentos não perecíveis para o GAI – Grupo de Apoio aos Idosos de Cabo Frio. Espaço Cultural Cereall Gourmet: Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio

Assessoria: Iva Maria Comunicação
Redação: Sylvia Maria

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto.
A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos problemas …

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice, não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste, lame…

POESIA "COM LU", DE HAIRON HERBERT DE FREITAS

Linda, maravilhosa poesia!!

Com Lú
O amor não acaba, o amor só aumenta. Experimente uma frase, Espere mais e comente.
Seja velho, seja jovem, Esqueça o tempo que passou. O momento é agora, Aproveite tudo com amor.
Não chore, não clame, Seja firme, seja honesto. Não viva mau seus sentimentos, Aos restos estranhos, acalento.
Contudo o amor revigora, Mesmo no atrapalho da hora, Volta sempre sem demora.
O amor é sem fim, É eterno em mim, Consciente estou, Quando estou com amor.
Hairon H. de Freitas 15/7/2019