Pular para o conteúdo principal

CAFÉ CULTURAL EM SÃO PEDRO DA ALDEIA ABRE O OUTUBRO ROSA


48 artistas da Região da Costa do Sol apresentam suas artes em torno do tema “Entrelaços”

Com entrada franca, a IV Edição do Café Cultural inova mais uma vez e reúne 48 talentosos artistas de Cabo Frio, São Pedro da Aldeia, Rio das Ostras, Arraial do Cabo, Araruama e Armação dos Búzios. A programação promete momentos inesquecíveis. A festa multicultural acontecerá no dia 4 de outubro, das 18h às 22h, na Cafeteria Piazza Navona, em São Pedro da Aldeia (Loja Havan).

De múltiplos sentidos, o tema escolhido foi “Entrelaços”. Como bem explica o empresário Francisco Carlos, “são laços de vida, de amizade, do entendimento do homem sobre a mulher, da mulher sobre o homem, do presente com o passado. Da preocupação com o outro. Do entendimento coletivo, dos laços que nos unem a outros”. A “festa multifacetada” é comandada pela jornalista e comunicadora Iva Maria.

O Café Cultural entrelaça gerações e oferece apresentações musicais com o professor multi-instrumentista Celso Cordeiro, o harmonicista (gaitista) Wilson Mendonça e a estudante de violino Maria Alice. A parte poética fica por conta de Elvira Barroso, José Antônio Mendes e o repentista Cláudio Washington. Durante o evento, acontecerá simultaneamente noite de autógrafos com lançamento de livros dos escritores Meri Damaceno, Luciana Branco, Jaqueline Brum, Monica Cabral e Vera Lilian O ator e diretor Yuri Vasconcellos apresenta o esquete “Causos de Cabo Frio” e tem ainda contação de história para adultos com Rosana Andréia e artistas pintando ao vivo.

O Stúdio Fama apresentará o número de Jazz “Telegrama”, com a participação de 10 bailarinas; e o Genesis Fam, Grupo de Dança Urbana, composto por 13 dançarinos, apresentará a coreografia “Felling”. O professor de dança Khristian Giovanney e a dançarina Rebeca Mello vão explorar temas variados da dança de salão. O evento contará ainda com exposições de fotografias de Paulo César Albuquerque; de artesanato com Eliane Guedes, Cristina Moraes, Leomar Cortez e Júnior Cruz; com esculturas de J. C. Moraes; e artes plásticas com Deborah Carmo de Mello, Maria Sofia, Franciscone Fonseca de Araújo e Noédia Eler de Oliveira.

Todos entrelaçados pela cultura. Momentos de saudação à vida, ao amor, à alegria e à amizade. Afinal, todos nós estamos entrelaçados na teia da vida. A entrada é franca, mas quem desejar poderá levar um litro de leite ou uma lata de leite em pó a ser entregue à AAMA - Amigas da Mama de Cabo Frio, que estará presente no evento iniciando a campanha do “Outubro Rosa”. Nada melhor que entrelaçar essa causa com um delicioso café e muito papo do bem! A Cafeteria Piazza Navona está instalada na Loja Havan, Rodovia RJ-140, Km 5, Campo Redondo - São Pedro da Aldeia.

Iva Maria M. de Carvalhaes
(22) 999083807 (telzap)
Redação: Iva Maria e Sylvia Maria

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si