Pular para o conteúdo principal

LIVRO QUE CONTA A HISTÓRIA DA ESTRADA DE FERRO MARICÁ SERÁ LANÇADO EM CABO FRIO

por Luciana G. Rugani - Havia em Cabo Frio uma estação da Estrada de Ferro Maricá que foi de grande importância para a história do desenvolvimento da cidade. O seu prédio, que é avalorado pelo Inepac/Iphan e tombado pelo Imupac, encontra-se à venda.  Para que seja realizado o tombamento estadual da estação, pedimos a colaboração de todos os amantes da história, e em especial da história de Cabo Frio, para que assinem o abaixo-assinado clicando neste link
Peçam também aos seus amigos!
__________________________________________________

Um dos capítulos relata a importância dos salineiros da região

A história do transporte no país está diretamente ligada ao desenvolvimento econômico e social. Em Cabo Frio não é diferente. Somente com a chegada da Estrada de Ferro Maricá, em setembro de 1937, a cidade teve ligação direta com a capital e locais dos arredores. A rodovia foi um marco no desenvolvimento das cidades da Região dos Lagos. O sal, o cal e os produtos produzidos nas lavouras, com a integração da estrada de ferro que vinha de Maricá, puderam ser comercializados. A viagem para a capital, que antes era feita em lombo de burro ou em barcos que navegavam pela Lagoa de Araruama e, muitas vezes levava 10 horas, também foi encurtada e mudou a rotina dos moradores destas cidades.

A história da Estrada de Ferro Maricá, que narra a instalação da ferrovia que no final do século XIX interligou o município de São Gonçalo a Maricá, e no início do século XX interligou a Baía da Guanabara, em Neves, São Gonçalo, à Lagoa de Araruama, em Iguaba, e em seguida a Cabo Frio, é contada nas páginas do livro “Estrada de Ferro Maricá – Desenvolvimento Regional da Área Litorânea do Estado do Rio de Janeiro”, do jornalista e historiador Célio Pimentel. Filho do então chefe da estação de Iguaba, Sotero Luiz Pimentel, Célio tem uma ligação direta com a rodovia, pois nasceu via parteira na estação de Iguaba.

“Tem um capítulo no livro que escrevo sobre os salineiros da região, pois eles despachavam o sal durante todo o tempo em que o trem circulou. Cito nome por nome das famílias. Estou muito emocionado em lançar o livro em Cabo Frio porque meu pai chegou a trabalhar na estação do Jacaré na década de 40”, conta o escritor.

O livro vai ser lançado em duas ocasiões em Cabo Frio. No Charitas, no dia 15, às 18h, e no Solar dos Massa, no dia 22, de 9h às 11h.
imagem

Att.
Coordenadoria de Comunicação
Prefeitura de Cabo Frio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto.
A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos problemas …

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice, não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste, lame…

POESIA "COM LU", DE HAIRON HERBERT DE FREITAS

Linda, maravilhosa poesia!!

Com Lú
O amor não acaba, o amor só aumenta. Experimente uma frase, Espere mais e comente.
Seja velho, seja jovem, Esqueça o tempo que passou. O momento é agora, Aproveite tudo com amor.
Não chore, não clame, Seja firme, seja honesto. Não viva mau seus sentimentos, Aos restos estranhos, acalento.
Contudo o amor revigora, Mesmo no atrapalho da hora, Volta sempre sem demora.
O amor é sem fim, É eterno em mim, Consciente estou, Quando estou com amor.
Hairon H. de Freitas 15/7/2019