Pular para o conteúdo principal

UM POUCO SOBRE A HISTÓRIA DO AEROPORTO DE CABO FRIO

por Luciana G. Rugani Uma obra maravilhosa, um enorme ganho para nossa cidade, para a região e para todo o estado, pois o aeroporto hoje é apoio estrutural para atividade de extrema relevância que é a atividade petrolífera. Mil vezes parabéns, Alair Corrêa, por ter sido o idealizador desta obra, por ter tido visão de enxergar além na época em que Cabo Frio ainda engatinhava no seu desenvolvimento e por ter tido a coragem de empreender e trazer mais desenvolvimento para nossa região. Conheçam a história dessa realização:



por Alair Corrêa


Recebi de um amigo esse elogio: " ALAIR, ACOMPANHEI A SAÍDA E CHEGADA DE AERONAVES NO AEROPORTO, FIQUEI IMPRESSIONADO. POSSO AFIRMAR, VOCÊ É O CARA MEU AMIGO! “

CONHEÇA ENTÃO UM POUCO DA HISTÓRIA DO AEROPORTO DE CABO FRIO

Em 1983 assumi meu primeiro Mandato como Prefeito. Fui logo em busca do meu principal projeto: o Aeroporto.
Em 1985, negociei a área necessária com o Grupo Perynas, conseguindo UM MILHÃO DE METROS para sua construção! Em 1986, esperava iniciar a obra, mas não foi possível porque o Governador BRIZOLA resolveu emancipar o nosso quarto distrito, Arraial do Cabo. Nossa Cidade tinha o ICMS como sua principal receita porque éramos o único produtor brasileiro de barrilha fabricada pela Alcalis, em Arraial do Cabo. O ICMS era para Cabo Frio naqueles tempos como é hoje o petróleo. Diante da perda de receita causada pela emancipação, fomos obrigados a suspender todas as obras e engavetar o projeto do Aeroporto. Encerrei o ano de 1988 sem ter iniciado a obra, esse foi o último ano do meu primeiro mandato.
Ao sair da Prefeitura, fiquei com receio que meus sucessores loteassem a área e dessem aos seus eleitores, já que a área tinha Um Milhão de Metros Quadrados, o equivalente a 3.000 LOTES. O que poderia ser uma farra nas mãos deles. Mantive e pedi a quem trabalhou comigo sigilo sobre a área conquistada, pois tinha esperança de voltar a governar a cidade. Fora da prefeitura tomei conta da terra como se fosse minha, pois sabia que se a perdesse, uma outra com esse tamanho seria quase impossível conseguir novamente.
Terminei meu primeiro mandato em 1988 com o ICMS em queda, assim como encerrei o último mandato em 2016 com o PETRÓLEO também despencando.
Nos dois mandatos, mesmo sendo um distante do outro - o primeiro, há 20 anos, quando também encerrei meu governo sem pagar o 13 salário, também havia perdido o ICMS por causa da emancipação do Distrito de Arraial do Cabo.

Pela segunda vez em 1996 voltei a Prefeitura, era o meu segundo mandato. Já nos primeiros dias coloquei a escritura das terras em baixo do braço e junto com o falecido amigo Jacoh Mureb fomos para o Rio e Brasília, trabalhamos muito junto a outros dois amigos que preferiram o anonimato, conseguimos a verba e já no ano seguinte, em 1997 começávamos a grande obra. Três anos depois inaugurávamos a nossa maior obra, O AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO!
Como um homem que chora, ri e se emociona, vivi uma de minhas maiores emoções, peguei em São Paulo um avião para Cabo Frio lotado de turistas. Já chegando em Cabo Frio ouço a voz do comandante. "O TEMPO EM CABO FRIO É DE SOL, EM CINCO MINUTOS ESTAREMOS POUSANDO NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO". Imaginem, meu coração acelerou, era minha obra dando frutos! O comandante continuou, “SENHORES PASSAGEIROS SE ENCONTRA NESSE AVIÃO O IDEALIZADOR DESSE AEROPORTO, O PREFEITO ALAIR CORREA"!
Foi emocionante ver 110 desconhecidos batendo palmas para mim. Levantei, as palmas aumentaram e acenei agradecendo. Foi demais minha emoção, mais meu coração aguentou! O Aeroporto virou a página do turismo da cidade.

Comentários

  1. Posso chorar... nossa que emoção! Imagino...esse chão tem muito da história do prefeito Alair Correa...
    Foi festa na cidade, eu já morava aqui, lá no Recanto e ouvia o som das sirenes, fogos... estávamos no caminho da grande virada para a modernidade. Cabo Frio jamais seria a mesma, estava dada a largada para ser uma grande cidade... é preciso se olhar adiante, muito além de.... É OBRIGADA ☆ ALAIR CORREA ☆

    ResponderExcluir
  2. Vc foi o melhor prefeito de Cabo Frio. Com muito orgulho te parabenizo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si

PARA HENRY BOREL

Não mais o riso fácil de criança! Os bonecos a lutar, Impulsionados por frágeis mãozinhas, Agora estão inertes Como inerte está  O seu corpinho sofrido. Não mais a alegria E o gosto da liberdade Dos dias fora do calabouço, O seu cárcere de dor. Quantos gritos mudos Em abraços silenciosos. Quantas dores caladas Gritadas em olhar de pavor. Quantos pedidos no choro fácil, No rostinho escondido no ombro No colo de sua algoz. Uma criança somente, E somente só. Única! Seu riso só seu, Seu olhar, sua identidade. Sua voz, seu abraço Únicos! Sua voz agora é silêncio, A mesma voz  Que animava brinquedos A mesma voz  Que implorava socorro na fala curta. Pai, me deixa ficar contigo! A luz aqui Pra sempre se apaga. Ficarão a saudade, E consciências sem paz. Mas a luz vive além Resplandece linda entre anjos. O anjo venceu o leão da arena E em outras esferas foi sorrir, Foi brincar, Foi viver. Liberto está, Para sempre, Das mãos frias de duros golpes, Dos abraços fortes de ódio E da tortura, Que dói