Pular para o conteúdo principal

LANÇAMENTO DO LIVRO "O LIVRO DOS SONHOS - O COLECIONADOR DE ALMAS", DE RENATO FULGONI


No terceiro livro da trilogia “O Livro dos Sonhos”, o escritor e jornalista Renato Fulgoni nos apresenta Jack Baltazar, um arqueólogo muito conhecido em São Paulo, que tinha um hobby que chamava atenção. Baltazar era um colecionador de almas, conhecido como o Senhor Morte. Proprietário de um antiquário no centro da maior cidade brasileira, ele recebia diariamente muitos clientes colecionadores. Após algumas mortes misteriosas, Clara, Cici, Abraão e Carlos descobrem que o espírito de Adolpho Mister voltou e uma grande caçada é iniciada.

Escritor finalizou a trilogia “O Livro dos Sonhos”

Com o início das vendas do livro “O Livro dos Sonhos – O Colecionador de Almas, o escritor e jornalista Renato Fulgoni finaliza a história de Adolpho Mister. No primeiro livro da trilogia, O livro dos Sonhos – A Vingança de Adolpho Mister”, Adolpho Mister viveu no século XV e, após algum estudo e observação, escreveu um livro no qual revelava os significados dos sonhos. Perseguido pela Inquisição, Adolpho foi queimado numa fogueira. Contudo, antes de morrer, ele ainda teve tempo de amaldiçoar a humanidade.Nos dias atuais, Marcelo, um professor de história da cidade de Aroeiras, compra o livro de Adolpho Mister numa feira de antiguidades. Depois disso, Marcelo passa a sonhar e a incorporar o espírito de Adolpho, para que a vingança deste seja alcançada. Misteriosos assassinatos e palavras escritas com sangue no local do crime dão início a uma extensa investigação comandada pelo delegado André, com o auxílio dos investigadores Carlos e Michelly.
No segundo, “O Livro dos Sonhos – O Caçador de Espíritos”, Adolpho Mister está de volta e uma nova cidade será alvo da sua vingança. No primeiro livro da trilogia chamado, “A Vingança de Adolpho Mister”, Aroeiras sofreu com uma série de assassinatos misteriosos. Agora, no livro “O Caçador de Espíritos”, é a vez dos moradores de Boa Vista conhecerem a sede de vingança desse espírito maligno. Abraão Clement chega à cidade para caçar Adolpho e terá um grande desafio pela frente.
“Foram três histórias que giram em torno do misterioso livro escrito por Adolpho Mister e posso garantir que o final está surpreendente. Infelizmente o lançamento, com a sessão de autógrafos terá que aguardar, devido a pandemia, mas o terceiro livro já está à venda no site da Livraria da Aldeia. Estou muito feliz e em breve estarei realizando a sessão de autógrafos” - Renato Fulgoni

Sobre o Autor

Renato Cosme Fulgoni nasceu em 27 de setembro de 1977, no Rio de Janeiro. Foi militar do Exército Brasileiro de 1996 a 2001, tendo sido condecorado com Honra ao Mérito pelos excelentes serviços prestados ao
país. Em 1998, casou-se com Marcia Fulgoni, com quem tem dois filhos, Alexandre e Janayna. Morador de São Pedro da Aldeia, desde 2001, recebeu,
em 2012, o título de Cidadão Aldeense pelos relevantes serviços prestados à
cidade, sendo editor do jornal Notícias de São Pedro da Aldeia.
Formou-se em Marketing pela Universidade Norte do Paraná em 2015 e
se especializou em Mídias Digitais e Fotografia. Atualmente exerce a função de diretor de marketing, jornalista, fotógrafo e editor do Jornal Notícias de São Pedro da Aldeia. É Acadêmico da Academia de Letras e Artes da Região dos Lagos (ALeArt) e da Academia de Letras e Artes de Cabo Frio (ALACAF).
Outro projeto do escritor Renato Fulgoni, foi o lançamento, em outubro de 2020, na Amazon, do E-book “O Roubo 938”. O livro é uma aventura que conta a história de sete amigos que resolvem jogar tudo para o alto e roubar um carro-forte. 100 milhões de Reais em diamantes e uma fuga muito bem planejada.
Fale com o autor pelo WhatsApp (22) 99983-6366.
Instagram – @escritorrenatofulgoni
Instagram – @olivrododsonhosavinganca
Facebook – @EscritorRenatoFulgoni
Para comprar os livros acesse o site da Livraria da Aldeia livrariadaaldeia.meloja.com.br

Texto: Renato Fulgoni

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si