Pular para o conteúdo principal

CASA DA CULTURA APRESENTA A 1ª FEIRA LITERÁRIA DE SÃO PEDRO DA ALDEIA

Casa da Cultura apresenta 1ª Feira Literária de São Pedro da Aldeia
Evento terá abertura on-line na próxima quinta-feira (14); visitação à exposição de livros poderá ser feita até o fim do mês

A partir da próxima semana, a Casa da Cultura Gabriel Joaquim dos Santos vai sediar a 1ª Feira Literária de São Pedro da Aldeia (FLISPA). O evento é uma realização do Notícias de São Pedro da Aldeia Gráfica e Editora, empresa beneficiada com o subsídio previsto no inciso 2 da Lei Aldir Blanc, e conta com o apoio da Secretaria Adjunta de Cultura. Respeitando as medidas de prevenção à Covid-19, a abertura oficial acontecerá de forma on-line, na próxima quinta-feira (14), às 18h com apresentação cultural e a presença restrita de escritores convidados. A transmissão ao vivo será via página da Cultura no Facebook.
Mais de 50 livros de gêneros variados ficarão expostos durante a feira, entre exemplares infantis, romances, poemas, contos e antologias. Ao longo do evento, os autores se revezarão no atendimento aos visitantes para bate-papo, sessão de autógrafos e venda de livros. Mais de 10 escritores locais foram convidados para expor suas obras.
 “Estamos muito felizes em receber essa Feira Literária, um evento que reúne tantos talentos de São Pedro da Aldeia e da nossa região. Será uma excelente oportunidade para falar do incentivo à leitura e da valorização dos nossos agentes culturais do segmento da literatura. Inclusive, vários livros que ficarão expostos foram contemplados pela Lei Aldir Blanc no município, via inciso 3, e nós, como órgão gestor da Cultura, temos nos empenhado no compromisso de apoiar, divulgar e abrir espaço para todos os projetos culturais”, destacou o secretário adjunto de Cultura, Thiago Marques.
Além da entrevista com os escritores convidados, a programação da live de abertura na próxima quinta-feira (14) vai contar com a apresentação de duas bailarinas do Centro Cultural Passos para o Futuro, do bairro São João, e lançamento da exposição dos trabalhos da Academia de Letras de São Pedro da Aldeia (ALSPA). Ainda haverá uma homenagem dos acadêmicos, à Casa da Flor e ao seu criador, o artista Gabriel Joaquim dos Santos.
“A realização da 1ª FLISPA é um sonho antigo que só pôde ser realizado com o apoio da Secretaria de Cultura de São Pedro da Aldeia e o incentivo da Lei Aldir Blanc. É um evento muito importante para estimular a formação de público leitor e apresentar os nossos maravilhosos escritores aldeenses”, destacou Renato Fulgoni, escritor e editor-chefe do Notícias de São Pedro da Aldeia Gráfica e Editora.
O evento também vai marcar o lançamento oficial da obra de suspense “O Livro dos Sonhos – O Colecionador de Almas”, o terceiro da trilogia “O Livro dos Sonhos”, do autor Renato Fulgoni, publicado pela Aldeia Editora. O livro foi um dos 47 projetos culturais contemplados pelo Prêmio São Pedro da Aldeia Cultura Viva, viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc, via inciso 3. A sessão de autógrafos está marcada para o dia 22 de outubro, das 13h às 17h.
A Feira terá ainda a participação especial do coletivo cultural Flores Literárias e da Academia de Letras e Artes de Cabo Frio (ALACAF). A visitação será aberta a partir do dia 15 de outubro até o fim do mês, das 9h às 17h, exceto aos finais de semana. A entrada será restrita a até cinco pessoas por vez, mediante uso obrigatório de máscara de proteção facial.
Confira a lista completa dos escritores participantes:

Bia Fernandes
Nathalia do Amaral
Andrea Rezende
Raquel Rosas
Renato Cosme Fulgoni
Israel Albuquerque
Fernando Freire
Marcio Silveira
Aline Moschen
Rosana Andréia
Jaqueline Brum Casañas Motta
Luciana Mendonça

Fonte: Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si

PARA HENRY BOREL

Não mais o riso fácil de criança! Os bonecos a lutar, Impulsionados por frágeis mãozinhas, Agora estão inertes Como inerte está  O seu corpinho sofrido. Não mais a alegria E o gosto da liberdade Dos dias fora do calabouço, O seu cárcere de dor. Quantos gritos mudos Em abraços silenciosos. Quantas dores caladas Gritadas em olhar de pavor. Quantos pedidos no choro fácil, No rostinho escondido no ombro No colo de sua algoz. Uma criança somente, E somente só. Única! Seu riso só seu, Seu olhar, sua identidade. Sua voz, seu abraço Únicos! Sua voz agora é silêncio, A mesma voz  Que animava brinquedos A mesma voz  Que implorava socorro na fala curta. Pai, me deixa ficar contigo! A luz aqui Pra sempre se apaga. Ficarão a saudade, E consciências sem paz. Mas a luz vive além Resplandece linda entre anjos. O anjo venceu o leão da arena E em outras esferas foi sorrir, Foi brincar, Foi viver. Liberto está, Para sempre, Das mãos frias de duros golpes, Dos abraços fortes de ódio E da tortura, Que dói