segunda-feira, 29 de novembro de 2010

AMIZADE


Amizade..
A amizade é uma faceta do amor,
É um sentimento nobre, e como todo sentimento nobre, precisa ser compartilhado para crescer.
Se aprisionado, se controlado, simplesmente sufoca e morre. Amizade não combina com exclusividade. Eu sou seu amigo, você é amigo do Zé, daí eu sou amigo do Zé... e vai indo... Zés, Joões, Marias, Manueis... e a corrente vai crescendo, crescendo...
Amizade, virtude das almas nobres!
Seu alimento são palavras e sentimentos de amor, de doação, de libertação, de apoio, de compartilhamento.
Amizade não combina com ciúme, nem com paixão. O ciúme aprisiona, poda, ceifa, diminui. A amizade foge desse cenário, deixando ver que, na verdade, ali nunca esteve, senão uma ilusão. O
amigo é feliz apenas por ter a oportunidade de doar o seu melhor, doar amor, compreensão e entendimento. O amigo verdadeiro não exige presença constante, mas se coloca ali, disponível para partilhar a amizade quando o outro assim entender necessário.
Há uma frase famosa do saudoso John Lennon: “Amo a liberdade, por isso deixo as coisas que amo livres. Se elas voltarem é porque as conquistei. Se não voltarem é porque nunca as possuí”. Ousarei adaptá-la dizendo: amo meus amigos, amo ser amiga, por isso deixo minhas amizades livres. Se elas permanecerem e multiplicarem os elos amigos, é porque as conquistei. Se
elas definharem, é porque, na verdade, ali nunca estiveram.

Luciana G. Rugani

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

CABO FRIO, EM SENTIMENTOS


Cabo Frio,
ponta do continente que,
seduzida pelo belo mar,
avançou até ele,
roubando parte de seus mistérios
compartilhando seu esplendor.
Tendo sua areia fina sob meus pés
mirando o mar azul encantador
sentindo a brisa constante em meu rosto,
ouso dizer: é o Autor presente em Sua obra.
É a presença do Criador que sinto,
mais forte, mais completa, mais devota.
Acolhimento e encanto,
cantinhos paradisíacos,
luar deslumbrante,
sol reluzente.
Sublimes inspirações inundam meu ser.
Não descreverei
seus espaços,
suas esquinas.
Apenas direi que
em suas águas, me revigoro
em suas ruas, me encontro
em seus ares, me transporto
ao infinito de mim mesma.

Luciana G. Rugani

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

VIVER


Não tente entender,
tente mais sentir.
A vida é para viver, não para entender.

Solte-se no leito do rio,
solte-se no sopro do vento,
e se deixe levar.

Dominado o vai e vem mental,
aceite as provas da vida,
solte as amarras da ilusão
e deixe bailar o coração.

Quem vive viaja nas estradas infinitas
refaz-se nas paradas e estações.
Supera os desencantos
rendendo-se aos encantos.

Luciana G. Rugani

SAUDADE

Saudade..
indefinível por palavras,
traduzível por desejos e sentimentos.

Desejo de proximidade,
desejo de permanência,
sentimento de amor presente. Sim, presente.

O amor permanece, apesar de tudo.
Os desejos são efêmeros, pois que vulneráveis ao destino.
Os sentimentos seguem comigo.

Assim a saudade que sinto
não é amarga, não fere.
Sua essência é o sentimento.
Só ele permanece.

A saudade que sinto liberta,
e ao mesmo tempo
enlaça eternamente.

A saudade que sinto é aquilo que tenho,
e o que tenho é o amor que ficou em mim.
Nada mais possuo, não detenho o destino!

Saudade não de um passado,
mas do presente que segue comigo.

Luciana G. Rugani
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...