sexta-feira, 12 de novembro de 2010

VIVER


Não tente entender,
tente mais sentir.
A vida é para viver, não para entender.

Solte-se no leito do rio,
solte-se no sopro do vento,
e se deixe levar.

Dominado o vai e vem mental,
aceite as provas da vida,
solte as amarras da ilusão
e deixe bailar o coração.

Quem vive viaja nas estradas infinitas
refaz-se nas paradas e estações.
Supera os desencantos
rendendo-se aos encantos.

Luciana G. Rugani

SAUDADE

Saudade..
indefinível por palavras,
traduzível por desejos e sentimentos.

Desejo de proximidade,
desejo de permanência,
sentimento de amor presente. Sim, presente.

O amor permanece, apesar de tudo.
Os desejos são efêmeros, pois que vulneráveis ao destino.
Os sentimentos seguem comigo.

Assim a saudade que sinto
não é amarga, não fere.
Sua essência é o sentimento.
Só ele permanece.

A saudade que sinto liberta,
e ao mesmo tempo
enlaça eternamente.

A saudade que sinto é aquilo que tenho,
e o que tenho é o amor que ficou em mim.
Nada mais possuo, não detenho o destino!

Saudade não de um passado,
mas do presente que segue comigo.

Luciana G. Rugani
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...