Pular para o conteúdo principal

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS



Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto.

A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos problemas ambientais. A cidadania brasileira é hoje a soma das conquistas sociais.

Nos dias atuais, o legítimo detentor de cidadania sabe que é sujeito de direitos, mas também de deveres. Tem consciência de que faz parte de uma sociedade, e que por isso tem o dever de contribuir para o bem coletivo, pois sabe que uma melhor ou pior sociedade é o resultado do somatório das ações individuais. Cidadania hoje traduz interesse e participação. Interessar-se pelo bem comum e contribuir de diversas formas para realizá-lo. 

Em relação à participação, foi aí que a evolução se fez maior. Hoje, são inúmeras as formas de participação. 

Muitas vezes nos sentimos desanimados, pois elegemos nossos representantes e depois não conseguimos interferir em suas decisões. Mas, não podemos medir a eficiência de nosso exercício de cidadania pela capacidade de dirigir as decisões dos representantes. Podemos sim medi-la por nossa colaboração diária em direção aos objetivos comuns que almejamos. Estaremos exercitando eficientemente nossa cidadania no momento em que estivermos utilizando plenamente os recursos que temos nas mãos em prol do bem coletivo, que é o objetivo a ser alcançado. Não seremos cidadãos somente nos momentos em que obtivermos sucesso em nossos objetivos. Poderemos nos designar cidadãos à medida em que estivermos colaborando e fazendo nossa parte para o bem social. Estamos exercendo nossa cidadania, por exemplo, quando ajudamos no recolhimento do lixo na nossa rua, em nossas praias; quando contribuímos para reduzir o desperdício de forma geral, seja de água, alimentos, produtos, etc.; através do exercício da solidariedade, pois a solidariedade está intimamente ligada ao conceito de bem comum; entre outras ações práticas de nossa vida diária.

Outra forma de exercemos a cidadania é contribuindo para a educação de nossos semelhantes, através do compartilhamento de informações, dicas e campanhas acerca de interesses públicos e de reflexão em torno de temas relevantes para a sociedade. E hoje, temos uma excelente ferramenta nesse sentido, que é a internet. Qualquer um que quiser contribuir para uma sociedade mais reflexiva, mais politizada, poderá dar sua participação utilizando os maravilhosos recursos que hoje nos são disponibilizados pela internet. Hoje é incontestável o poder de influência das redes sociais. O facebook, orkut, twitter, etc. e os blogs são ferramentas às quais qualquer um pode ter acesso e pode utilizar para difundir boas idéias, solidariedade, dicas e campanhas sociais. 

Há inúmeros casos em que as redes sociais levaram a conquistas vitoriosas. Conheço um caso, que contarei aqui para exemplo. O conhecido escritor Paulo Coelho lançou seu livro “Aleph” na Venezuela. Mas, antes do lançamento, estava com muitas dificuldades de liberação do livro naquele país. Graças a uma grande campanha de seus seguidores do twitter, conseguiu a liberação. Este é só um caso, há diversos. 

Quantos utilizam as redes para conversas infrutíferas, para difundir brigas, medo, raiva, destruição...verdadeira descidadania! Enquanto poderiam utilizar para divulgar tantas informações úteis, compartilhar conhecimentos e semear boas sementes... é tão mais gratificante construir do que desconstruir..Precisamos mudar esse panorama e construir algo melhor para nós e para os que nos sucederem. À medida em que estivermos utilizando os recursos que temos em mãos para ajudar, colaborar com uma sociedade mais humana, seja com palavras, mensagens, ou com ações práticas, estaremos exercitando a cidadania e deixando nosso quinhão participativo na busca de uma sociedade melhor para se viver.

As transformações sociais são intensas e rápidas. E isso reformula conceitos estabelecidos. Os conceitos sociais são dinâmicos. Por isso o conceito de cidadania mudou tanto no decorrer dos tempos. Precisamos acompanhar as mudanças, e mudar também nossa maneira de sermos cidadãos. Participar, por ações ou por palavras; utilizar os recursos disponíveis em prol de causas benéficas para a sociedade. Conscientizar de que não há mais espaço para inércia, individualismo, para esperar que qualquer melhoria social venha de cima para baixo sem nenhum esforço de nossa parte. Vivemos hoje em uma sociedade muito mais dinâmica, onde a participação consciente da população é cada vez mais necessária para a obtenção de bons resultados, portanto, façamos nossa parte para a construção de uma sociedade melhor, mais saudável, mais evoluída, mais feliz.

Luciana G. Rugani

Comentários

  1. Parabéns pelo seu exemplo de cidadania , estou divulgando em nosso grupo de cidadania no facebook ONG - SOU APAIXONADO POR RIBEIRÃO, abraços!

    ResponderExcluir
  2. Texto muito bem escrito.
    Noção centrada e de uma consciência alargada nos conceitos da evolução da cidadania.
    Dá pra entender bem os momentos crescentes de nossa sociedade donde fazemos parte. Comprometidos que somos para criação de um mundo melhor, utilizando nosso tempo e as ferramentas de que dispomos para criação e divulgação.

    ResponderExcluir
  3. Indivíduo no gozo dos direitos civis e políticos de um estado livre, isto é ser cidadão, mas cidadania é isto que foi dito acima e que precisamos educar em nós.

    ResponderExcluir
  4. Vamos largar de preguiça e nos educar.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto, e reforço que o bem comum , tem que ser a meta e o caminhar do processo de cidadania, se não tivermos um olhar para o coletivo, muito pouco de avança.
    O importante não é ficar parado, esperando acontecer e sim agir, mesmo que o processo inicial seja o de OUVIR....

    Bjs.. Parabéns...


    <3<3 Gigi Vicente - Cabo frio

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelo seu exemplo de cidadania, adorei o texto.
    Dá pra entender bem os momentos crescentes de nossa sociedade.
    Muito obrigado. Beijos..

    ResponderExcluir
  7. Muito obrigada!!muito bem escrito e prganozado, parabéns!!

    ResponderExcluir
  8. incrível cara,parabens pelo seu textoo bem explicativo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si