terça-feira, 31 de janeiro de 2012

VIVER MELHOR


 por Hairon Herbert de Freitas

Como viver melhor os preciosos momentos de nossa vida?
Encarar com certeza tudo de bom que já produzimos e que iremos produzir para nós mesmos e nossa família.
Somos seres únicos neste universo e a nossa identidade real só é conhecida por Deus.
Estamos descobrindo nossas potencialidades e "devemos ficar maravilhados com tanto respaldo divino a nos ajudar neste caminho".
Como ser feliz se não encontramos felicidade em nós?
Acreditar faz parte da vida.
Acreditamos que ao entrar na chuva molhamos;
Acreditamos no simples ato de respirar;
Acreditamos que o fogo queima.
Devemos acreditar também em nós mesmos.
Acreditando que fazemos parte deste universo.
Acreditando que um tijolo faz parte de um complexo arquitetônico e que nós como "tijolos" inteligentes podemos movimentar e criar.
Temos a chance de construir um mundo melhor em cada pensamento e sentimento amoroso que exteriorizamos.
A felicidade não é um foco a ser perseguido, mas o agora.
Sentir que já somos felizes é dar crédito a obra de Deus.

domingo, 29 de janeiro de 2012

SER POETA




Por Hairon Herbert de Freitas


É escrever o que outros já escreveram,

É ver o que outros já enxergaram,

É sentir o que outros constataram pela verdade vivida.

É estar vivo na alma que acalenta o pranto,

É ouvir os sons da natureza,

É estar presente de corpo e espírito compreendendo os acontecimentos da vida,

É argumentar, observar e repetir os encantos que vibram no ser humano.

É não ditar regras, mas falar do melhor,

É contrapor à violência falando da paz,

É ser gente querendo encontrar um sentido maior para o que acontece com o homem.

É revelar o que existe de Deus para a sua criação.

Eis o poeta.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

VALE A PENA VIVER!

por Hairon Herbert de Freitas

A capacidade do homem e da mulher é enorme.
Fazer o diferente, aprender, cair, levantar e seguir em frente é uma forma lúdica de crescimento.
A imaginação é o limite e o sonho é o que vale a pena ser escrito na folha da vida.
Ser gente é isso... Achar-se triste em alguns momentos, mas ser forte como um touro em outros.
A vida é o que nos cabe experimentar e dentro dela não devemos estacionar nas reclamações, mas entender que nas entrelinhas existe uma saída que o aprendizado destaca.
O que nos cabe sentir é "Estar Bem".
É seguir o passo dos mais sábios propondo novas medidas e novas formas de resolver questões.
A vida se faz fantástica quando conseguimos observar os erros que cometemos e a forma de agir inadequada e, a partir daí, tomamos força, reconhecendo dentro da humildade, a nossa capacidade de continuarmos a crescer, sem culpas e sem medos.
O homem é um ser que não nasceu pronto, mas é a partir das suas escolhas que o levarão a outras e a outras...
O marco em nossa vida é dar sentido para viver bem compreendendo os momentos que nos fazem crescer como cidadãos do mundo. Que não estamos prontos, mas que continuamos cheios de novas propostas.
A imaginação e a esperança nos fazem interagir, nos ajudam a participar da sociedade, nos inserindo com os nossos sonhos que se tornarão verdades incontestáveis quando controlados pelo desejo da realização.
É necessário participarmos, fazermos amigos e imaginarmos um mundo cada vez melhor.
É necessário sentirmo-nos capazes e dispostos e não lamentarmos as nossas escolhas, que foram fantásticas dentro do contexto do momento vivido.
É pelas escolhas que continuamos a crescer.
O que aparentemente imaginamos derrota, a vida entende como: escolhas que levarão a novas oportunidades e que dentre elas as melhores sempre sobreviverão.
Partilhar o conhecimento é também um fantástico dom que afasta o egoismo e dispensa o medo de viver.
A partilha é vista por nós como esperança em ver o outro tendo a oportunidade de fazer o melhor.
Isto dá sentido a vida, nos leva a crer que tudo o que temos de útil a produzir nos traz um reconhecimento interior.
O que na verdade faz a diferença é o nosso reconhecimento interior e não o reconhecimento das pessoas ou da sociedade.
Quando notamos que fizemos algo de bom a consciência diz assim: "Seja Feliz"!
Muita Paz!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SER VITORIOSO


Vitória:
1  ato ou efeito de sair-se vencedor, de triunfar sobre um inimigo, competidor ou antagonista; triunfo
2   Derivação: por extensão de sentido.
êxito, triunfo, sucesso alcançado
(dicionário Houaiss)
Falam tanto em vitória, questionam os vitoriosos, mas é certo que não param um só instante para refletir mais profundamente no verdadeiro sentido de “ser vitorioso”.
A vitória, assim como a felicidade, não é um troféu estático a ser alcançado algum dia. Os que assim pensam passam a vida inteira correndo atrás e não a encontram. A vitória e a felicidade estão dentro de cada ser humano.  Cada ser possui em si o dom de ser vitorioso e poucos são os que sabem disso.  A grande maioria segue no escuro, contabilizando batalhas vencidas e perdidas para apurar o saldo final e só a partir daí chegar a uma conclusão sobre si mesmos.  Como determinar a grandeza de si mesmos baseados em fatos externos, que hoje podem ser favoráveis, mas amanhã podem ser contrários? Por acaso não sabem que o que faz um homem não são os acontecimentos, mas sim aquilo que, com percepção e inteligência, conseguem extrair para si dos acontecimentos? Quanta pequenez, quanta ilusão, quanta ignorância! E estes são os primeiros a criticar os verdadeiros vitoriosos, pois na escuridão de seu desconhecimento não são capazes de enxergar além e ir mais fundo na verdade dos conceitos estabelecidos.  
Os seres vitoriosos, no sentido mais profundo e real da palavra, são aqueles que sabem que a vitória e a felicidade estão dentro de si, e se manifestam no sucesso que obtém quando colocados em situações de enfrentamento dos maiores inimigos da caminhada, que são o medo e a insegurança. Estas pessoas derrubam o medo, assumem suas responsabilidades e posicionamentos, bancam o ônus dos cargos que ocupam em suas vidas. São pessoas de essência vitoriosa.  Durante suas vidas, como qualquer ser humano, algumas vezes sofrem quedas, mas sabem que sua grandeza não se mede por isso. Seguem sendo vitoriosas, pois a cada queda erguem-se mais fortes e experientes.  Sabem que a força está dentro de si, e não nos julgamentos alheios, esta força que os faz vitoriosos.  Geralmente constroem uma história de vida rica de experiências de persistência, coragem e fé. As batalhas que vencem são mais gratificantes, pois sabem que são o resultado de seu esforço e postura de vida. São pessoas que, por serem como são, acabam conquistando admiradores fiéis e desejosos de aprender com seus exemplos de resiliência.
 Já os que medem sua grandeza pela contabilidade das quedas e sucessos da vida são aqueles que, podem até vencer batalhas, mas ao se colocarem nas mãos de fatos externos, e consequentemente também do julgamento alheio, fazem de si mesmos seres derrotados na essência. É o comportamento típico dos dominados pela insegurança, pelo medo. São aqueles que assumem seus cargos pensando no bônus que receberão, mas se esquecem de bancar o ônus de suas decisões; são aqueles que sempre fogem nos momentos mais críticos e na hora de assumir suas responsabilidades; são os omissos, incapazes de enfrentar os problemas com a coragem e determinação necessárias e se escondem por trás de outros que, por interesses pessoais, aceitam participar desse jogo vil. São sempre os primeiros a criticar os vitoriosos, pois, ao verem-se incapazes de fazer crescer, em seu íntimo, a força que alimenta os vitoriosos, passam, dentro de sua própria ignorância, a criticá-los e a julgá-los. 
Para finalizar, e voltando ao significado do “Houaiss” que diz que vitória é sucesso alcançado, triunfo sobre um inimigo, concluímos que para o vitorioso todos os dias são dias de sucesso, pois a cada dia eles triunfam sobre os verdadeiros inimigos de qualquer ser humano, sabem extrair o êxito em suas experiências. Utilizam cada dia como oportunidade de crescimento, enquanto pessoas, e de aprimoramento em suas atividades cotidianas. Ser vitorioso é uma conquista da alma.

Luciana G. Rugani

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

FRASES PARA REFLEXÃO

BOM DIA!
SEGUEM DUAS FRASES QUE FIZ PARA REFLEXÃO NO DIA DE HOJE:
SÁBIOS SÃO OS QUE COMPREENDEM QUE NÃO É O CARGO, NEM O STATUS, NEM A POSIÇÃO SOCIAL QUE FAZEM UM HOMEM DE BEM, E SIM SEU CARÁTER.

SÁBIOS SÃO OS QUE ENXERGAM A LUZ DE QUALQUER SER HUMANO E COMPREENDEM QUE TODOS, INDISTINTAMENTE, TÊM O MESMO VALOR APENAS POR SEREM SERES HUMANOS.
Luciana G. Rugani

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

SOBRE O VOTO



É através do voto que escolhemos nossos representantes nos Poderes Executivo e Legislativo. Podemos compará-lo a uma procuração do cidadão para o representante, para que este aja e decida em defesa dos interesses públicos, visando assegurar àquele os serviços a que tem direito.
Nossa participação no processo eleitoral dá-se por meio do acompanhamento da história de cada candidato, de suas realizações, de seu comportamento à frente de cargos políticos durante todo o mandato e, por fim, temos a votação propriamente dita.  O momento do voto é o momento final da avaliação dos candidatos.
Quem vende o voto, além de estar praticando crime eleitoral podendo ser punido por isso, entrega completamente seus direitos nas mãos do candidato, torna-se refém de suas ações e omissões. Não entende que, em prol de um benefício a curto prazo e fugaz, abre mão de conquistas muito mais duradouras, conquistas estas pelas quais amanhã ele mesmo vai estar reivindicando, mas que, certamente, não será ouvido, não será respeitado em sua reclamação, pois não se fez respeitar. Em toda relação é fundamental que haja respeito, e não é diferente na relação cidadão-candidato.
Muitos argumentarão: “mas a carência é grande, as pessoas têm necessidades urgentes e o candidato chega oferecendo algo que no momento minimizará suas dores..” ora, é preciso entender que no Direito Público não existe essa questão de gratidão, não há que se falar em componente emocional nas questões relacionadas à administração pública. O que há são direitos e deveres. O voto é secreto, e o eleitor é livre para analisar a história e o perfil de cada um e escolher aquele que mais corresponda às necessidades da sociedade. Nada nem ninguém pode dirigir a sua vontade. O candidato que age assim está cometendo crime eleitoral, desrespeitando o eleitor através da tentativa de, por meio de sua dor, controlar sua vontade. O mesmo digo em relação a candidatos que, representantes de administração pública omissa, passam a realizar obras a toque de caixa, principalmente no último ano antes das eleições. É um verdadeiro atestado de incompetência administrativa assinado pelo próprio candidato, pois mostra que reconhece o descaso com que tratou a população durante todo o mandato e, com obras e serviços sem o mesmo cuidado e qualidade que teriam se fossem realizadas no prazo correto, tenta conquistar o voto dos eleitores. Mas, como eu disse, o voto é a etapa final de todo o processo de avaliação do candidato. O eleitor que se respeita, enquanto membro de uma sociedade de direitos e deveres, estará atento e saberá analisar a conduta deste candidato desde os primeiros dias do mandato que termina.
Por fim, estejamos de olhos abertos, atentos, para que possamos fazer uma análise objetiva, prática, de cada candidato, pois não faltarão aqueles que tentarão manipular a emoção dos eleitores.  Mais uma vez, repito: o componente emocional não deve fazer parte de questões que envolvem a administração pública, esta tem sua ação delimitada pela lei, e assim será em qualquer futura administração.

Luciana G. Rugani 
       


terça-feira, 10 de janeiro de 2012

NECESSIDADE DE INTERAÇÃO


Nosso mundo transforma-se a cada dia. Nos últimos anos, tomou força o fenômeno da globalização, caracterizando-se como maior integração social, política, cultural e econômica entre os países. Sociedades antes aparentemente independentes hoje interdependem umas das outras. E, com o advento e evolução da internet, esta situação se intensificou.  A comunicação com os quatro cantos do globo é hoje fato simples e corriqueiro, a ponto de serem criadas milhares de campanhas que correm o mundo num instante. Populares engajados promovem enquetes, votações e solicitações aos governos de países aos quais, antigamente, o acesso era difícil, quase impossível. Vivemos hoje num mundo onde as nações encontram-se cada vez mais interconectadas.
E é uma tendência sem volta que acompanha o evoluir da própria natureza. Podemos comprová-la observando o meio ambiente, os fenômenos  meteorológicos e geológicos, as últimas descobertas da física quântica, ou até mesmo analisando o próprio corpo humano, onde células do organismo interagem, a todo instante, com neurotransmissores, provando, por sua vez, a interação global entre corpo e mente.
Com base em toda essa transformação e revolução que vivemos, nosso modo de ser é chamado a adaptar-se à nova “performance” mundial. No mundo de hoje, não cabe mais o individualismo exarcebado (apesar do reforço que recebe do consumismo desenfreado e do culto exagerado à imagem). Em qualquer trabalho, em qualquer meio social, a persistência no individualismo acarretará, cedo ou tarde, a falência do mesmo.  No ramo profissional, crescem cada vez mais as associações, parcerias e fusão de empresas. Esta última modalidade nos mostra claramente: até mesmo para continuar a ser uma empresa, com crescimento satisfatório no mercado, a colaboração de outra se fez necessária.
As relações humanas, até mesmo pelas imperfeições das partes que as compõem, costumam ser as que mais revelam nossas dificuldades de adaptação a esse novo mundo.  Enxergar, por exemplo, que não somos ilhas ao lidarmos com aquele chefe difícil ou aquele colega complicado não é algo fácil, mas, se quisermos minimizar os conflitos, será o mais indicado.  Parceria em prol de um melhor trabalho não significa compactuar com atitudes e valores. A lição a aprender é justamente sabermos interagir, nos associar e fazer parcerias em prol de uma causa maior sem nos descaracterizarmos, sem deixar de sermos nós mesmos, com nossos próprios valores e modo de ser.  Saber colocar para o outro, claramente e de forma natural, os limites dessa parceria. Só assim teremos minimizados os conflitos tornando possível, com menos sofrimento, obter o êxito em nossos projetos.
Por fim, para ilustrar tudo o que eu disse, segue abaixo uma historinha que recebi por e-mail:

  Lição do Ratinho

Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa
abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que haveria ali.
Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado.
Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa !!
A galinha disse:
- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema
para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.
O rato foi até o porco e disse:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira !
- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa
fazer, a não ser orar. Fique tranqüilo que o Sr. Será lembrado nas minhas orações.
O rato dirigiu-se à vaca. E ela lhe disse:
- O que ? Uma ratoeira ? Por acaso estou em perigo? Acho que não !
Então o rato voltou para casa abatido, para encarar a ratoeira.
Naquela noite ouviu-se um barulho, como o da ratoeira pegando sua vítima.
A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego.
No escuro, ela não viu que a ratoeira havia pego a cauda de uma cobra
venenosa. E a cobra picou a mulher... O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre.
Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que
uma canja de galinha. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.
Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.
Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco.
A mulher não melhorou e acabou morrendo.
Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.

Moral da História:
Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que quando há uma ratoeira na casa, toda fazenda corre risco.
O problema de um é problema de todos!

PS.: excelente fábula para ser divulgada principalmente em grupos de trabalho!
'Nós aprendemos a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas ainda não aprendemos a conviver como irmãos'
(autor desconhecido)

Luciana G. Rugani

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

O JOGO DE XADREZ

Hoje ouvi um comentário que gostei muito, e queria compartilhar com vocês, queridos leitores. É o seguinte: 
"nossa vida é como um jogo de xadrez. Fazemos planos, buscamos dominar todas as possibilidades. Mas achamos que estamos jogando sozinhos, e esquecemos que temos um parceiro nesse jogo. Um parceiro que já sabe de antemão que jogada efetuaremos, e, assim, já tem toda sua estratégia de ação planejada. Este parceiro é DEUS."
Pois é, meus amigos, Deus é o nosso grande parceiro na vida, o grande estrategista de nossa existência. Precisamos sempre lembrar disso, planejar nossos passos da melhor forma, agirmos com vontade, colocando nossos melhores sentimentos e passarmos a vez a Ele. Aceitarmos suas jogadas, compreendendo que Ele nos conhece muito mais que nós mesmos e enxerga muito mais longe que nós, sabe de verdade o que será melhor para nosso engrandecimento pessoal. E confiar! Confiar sempre, pois Ele é um parceiro que quer que vençamos, pois a nossa vitória é a vitória Dele. 
Em certos momentos nos vemos como que em xeque. São os momentos das maiores provas de fé, em que precisamos conseguir serenar nosso íntimo e ouvi-Lo em nossos corações. 
Que façamos sempre o que nos cabe, da melhor forma que nos for possível, com vontade, amor e otimismo. Mas que nos conscientizemos dos nossos limites de ação, nos conscientizemos que mais que isso não podemos fazer, pois cabe a Deus o restante. Temos o livre-arbítrio de escolher nossos caminhos, temos nossa própria capacidade de caminhar, mas até certo ponto que nos é permitido dentro do planejamento divino para nossa existência. 
Tenhamos a humildade de aceitar esta verdade: somos senhores de nossos caminhos, mas estamos submetidos a um planejamento maior e perfeito para nós, o qual ainda não somos capazes de visualizar inteiramente.   Vivamos o nosso agora com vontade firme, aceitemos o que vem para nós, com fé, confiança e otimismo, entregando a Deus todas as possibilidades que não somos capazes de controlar, pois Ele quer nossa vitória. Façamos o melhor que pudermos do nosso HOJE, pois, como diz a canção: "quem sabe faz a hora, não espera acontecer".

Luciana G. Rugani

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

A ROSA

por Hairon Herbert de Freitas

Inclinando para o lado, rosa observa o canto do pássaro em repetidas vezes e agradece pelo doce beijo das abelhas e dos beija-flores.
Mas, não foi sempre assim...
Um dia, no canto de um jardim simples e bem tratado, o jardineiro, com o olhar tranqüilo e atencioso, observando os insetos, retirando as pragas que insistiam nas plantas, notou um botão de rosa que desabrochava de uma bem tratada roseira.
Ficou alegre e, mais uma vez na sua vida, na expectativa. Mais parecia um médico, preocupando-se até com o vento que arejava as plantas. Nos momentos de sol escaldante, ficava a pensar numa forma de protegê-las.
Passaram-se três dias e uma linda rosa acorda, depois de botão.
Logo começa a chegada dos visitantes da natureza, sentindo seus corações alegres e agradecidos pela beleza que invadia o jardim.
Ela, por vez, sentia-se vaidosa e forte, desfilando em torno do próprio corpo a beleza que exprimia.
Teve um que tentou levá-la para um vaso, mas o jardineiro astuto não permitiu.
A rosa tinha duas irmãs que, também lindas, alertavam para sua grande vaidade,
mas ela só queria ver sua beleza, e não se preocupava nem com os espinhos que feriram as mãos do jardineiro.
As abelhas falaram a uma irmã:
- Rosa não pode ficar a exaltar suas pétalas como se fosse a única.
- Abelhinhas, sabendo disto é que alertamos rosa sobre esta atitude, mas ela só se importa consigo mesma,
nem exalar perfume ela quer, fazendo assim, para evitar a proximidade dos nossos amigos.
Conversamos com o nosso amigo jardineiro e ele sabiamente nos disse:
- Determinadas atitudes somente serão convenientemente modificadas quando o ser mudar seus
pensamentos, que serão instigados pela dor, pela compreensão e pelo desenvolvimento do amor.
Ficamos pensativas e tomamos a liberdade de fazer mais uma pergunta ao nosso querido jardineiro:
- Quando poderá acontecer uma mudança tamanha em nossa irmã rosa?
- A mudança vem com a vontade e a mesma é filha da alma. Quem faz a mudança somos nós, quanto ao tempo é estipulado pelo comportamento que adotamos.
- Gostaríamos que não demorasse muito, pois tentamos conversar sobre a beleza das árvores, sobre a terra macia que nos envolve, sobre as nuvens, enfim sobre tudo que está acontecendo neste momento.
- Queridas, algumas coisas podem ser modificadas em um pequeno tempo e outras podem durar toda uma vida.
- Estamos felizes com sua opinião, apesar da rosa ainda não escutar suas palavras, vamos retransmitir o melhor que pudermos.
Enquanto isso....
- Está chegando a abelha, vou fingir que não a vejo e espero que vá logo embora. Veja bem eu, uma linda rosa, ficar dando escuta a estas abelhas!
Notando que a rosa não queria vê-la, a abelha foi visitar suas irmãs e expôs o acontecido.
As irmãs de rosa pediram uma audiência a respeito de como ela estava ficando só e sem amigos. Conversaram demoradamente, as irmãs levaram aos seus ouvidos, as palavras amigas do jardineiro, mas rosa reclamou do sol, da brisa, do trança-trança dos insetos e dos pássaros.
- Estou cheia, ninguém vê a beleza que sou? Sou a rosa mais linda de todo este jardim.
Rosa voltou à sua postura comumente adotada desde o seu desabrochar, ficando a pensar: "como sou bela!"
As irmãs por vez exalaram perfumes e, depois de muito confabularem, resolveram que deveriam ser mais severas com rosa, apesar da sua pouca idade.
Rosa notou que as irmãs não mais a procuraram, rosa passou a sentir um vazio e um não sei que.
Perguntou:
-Por que vocês não falam mais comigo?
- Só falaremos com você se abrires o teu coração para ouvir as palavras do amigo jardineiro, não mais tocaremos em assunto referente ao crescimento interior ou mudanças.
- Ahh!!!
Rosa deixou as irmãs e voltou à sua posição favorita, mas nem tanto.
- Se pensam que vou falar com o jardineiro, elas estão muito enganadas.
O jardineiro, em sua sensibilidade, aguardava o momento do novo despertar de rosa, pensando: “na vida temos vários despertares, os melhores são os recheados de amor”.
- Estou com vontade de conversar com rosa...
- Eu também. Vamos esperar mais um pouco para não perdermos o remédio aplicado no
início do tratamento. Prometemos não importuná-la com assuntos que não são do seu interesse.
Foram dias difíceis para rosa que sentia a aspereza da vida pintada e emoldurada por sua própria falta de sensibilidade. O sol parecia mais quente, as pragas investiam, bem como a rudeza do vento.
“A vida é o espetáculo que criamos, somos astros e não precisamos necessariamente representar o papel do bandido”.
- Estou vendo que vocês não reclamam, não julgam e acima de tudo vocês amam muito rosa, que começa adotar uma postura melhor diante da vida. Nesta noite vai acontecer uma mudança muito grande no interior de rosa, vocês deverão ampara-la, abrindo os seus corações.
- Ah! Que bom podermos comungar dos mesmos pensamentos e colocarmos em prática o que de melhor podemos fazer, que é florir nosso lindo jardim.
O momento era de silêncio, somente os grilos e os sapos cantarolavam em ritmos variados ao vento, que parecia calar para escutar a noite.
Em movimentos sorrateiros, uma cabra começava fazer sua refeição no jardim. Rosa aflita perguntava:
- Quem vem? O que você faz neste jardim?
De nada adiantava as perguntas de rosa.
Rosa insistia, já trêmula observando o apetite voraz da cabra, em chamar pelas abelhas para ferroar a cabra, pois ela já invadia os copos de leite.
De nada adiantou. Rosa passou então a gritar para o beija flor:
- Venha beija flor, vá acordar o jardineiro para nos salvar da gula da dona cabra.
De nada adiantou. Rosa passa então a falar para as irmãs:
- Vamos orar por ajuda, vamos falar!
Mas as irmãs nada responderam.
Só então um sentimento invadiu rosa, que dizia arrepender-se das críticas, da falta de solidariedade e carinho.
Por um momento pôs se a chorar,compulsivamente, dizendo que mudaria sua vida se o grande jardineiro a salvasse.
Neste momento, uma voz muito doce toca seus ouvidos: "acorda rosa, acorda para a vida e seja feliz por mais este dia".
Deste dia em diante, rosa passou a ouvir o canto dos pássaros, exalar o seu perfume com muita alegria e a conversar na voz do amor com o jardineiro.
Viveu uma vida verdadeira daquele dia em diante.
Exalou muito perfume e deu muito carinho a todos visitantes.
Até que um dia rosa, cansada, começou a perder pétalas, mas em seu coração a grandeza do verdadeiro amor desabrochara.
Rosa queria sentir uma vez mais a natureza. Percebeu a presença do jardineiro, todo iluminado, na presença de uma verdadeira corte celestial a dizer: “rosa, seja bem vinda ao jardim do amor”.
“Todos nós possuímos uma rosa interior, da qual podemos modificar o seu conteúdo nas ações, nas palavras e nos pensamentos. Sejamos felizes, fazendo o bem sem esquecer do nosso papel como
atores do bem, pois só o amor é eterno como o próprio Deus”.
HHF 22/9/04.

domingo, 1 de janeiro de 2012

2012 - ANO DA CONSCIÊNCIA


E 2012 chegou. As profecias o anunciam como um marco divisório, fim de uma era, inicio de outra. Fim do mundo? De certa forma sim. Creio que o fim dos tempos a que se referem os antigos é a mudança do padrão de consciência que já vem ocorrendo há algum tempo. Vejam pelos pequenos que estão chegando: como essas crianças são diferentes do que fomos! Questionam, querem saber todos os porquês, são ativas, corajosas, percebem claramente quando um ensinamento dos pais não condiz com o que praticam.
Hoje já não é tão fácil controlar, manipular. As informações são acessadas com mais facilidade, a internet e as redes sociais disponibilizam conteúdos de todos os tipos, a todas as camadas sociais e faixas etárias.
Na verdade não é o ano de 2012. É um processo natural de evolução que vem ocorrendo paulatinamente com a sociedade. Agora é somente uma época de maior aceleração deste processo, já que tudo hoje é mais ágil, mais corrido.
Que este ano seja, para todos, o ano da consciência. Maior conscientização das consequências dos atos, dos resultados dos pensamentos e atitudes. Que possamos ter maior controle de nós mesmos, mais autoconhecimento, para, assim, sermos donos dos nossos passos, sem ter que agir só para satisfazer as pretensões de uma sociedade dominadora, sem precisarmos de utilizar jogos de imagens e máscaras em nossos relacionamentos. Possamos ser nós mesmos, e assim, sermos seres verdadeiramente livres.

Luciana G. Rugani
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...