Pular para o conteúdo principal

NOVELA E VIDA REAL: REFLEXÕES


Hoje, último dia da novela da Globo "Avenida Brasil", ouvindo um programa de entrevista com pessoas do povo que disseram se identificar e admirar diversos personagens da novela, e ainda pessoas que afirmaram serem verdadeiras "Carminhas", tendo em vista o tanto que são vingativas, me pus a pensar e refletir: que sociedade é essa nossa que se identifica com vilões e mocinhos envolvidos numa trama com tanta vingança? Por que cada vez mais e mais pessoas se identificam, e até mesmo chegam a apreciar, alguns vilões? Que valores estamos cultivando? Essa identificação com os vilões não estaria revelando uma sociedade que parou no tempo em seus valores e que prefere cultivar suas dores afogando-se cada vez mais no consumismo desenfreado, nas drogas e na violência como válvula de escape? 

Nossa sociedade tem sido "educada" (ou deseducada) dessa maneira há anos pela nossa TV, mostrando este como único caminho, enquanto que em nossa história há mil exemplos de casos em que a energia de vingança e ódio foi trabalhada e conduzida de forma a propiciar a realização de grandes trabalhos de reerguimento social e pessoal; de pessoas que conseguirem trabalhar essa energia e transformá-la num poder de superação incrível, mas  que são exemplos esquecidos e nunca trazidos para nossa telinha... E percebemos isso no nosso dia-a-dia: se formos gastar nossa energia em pagar tudo com a mesma moeda, ficaríamos no mesmo lugar, "ruminando" nossa raiva, e não sobraria mais energia alguma para seguirmos em frente e realizarmos um trabalho ainda melhor em nossas vidas.

Acho que já é tempo de pararmos de simplesmente mandar "goela abaixo" o que nos é passado pela tv. Não deixar de assistir, mas assistir analisando, refletindo nas falas, nas atitudes, nos hábitos dos personagens, sem perdermos a conexão com nosso mundo real de inúmeras outras alternativas e diversos outros caminhos, fazendo paralelos com histórias de vidas de pessoas que se tornaram ícones na realidade. Analisar o que nos faz bem, o que nos traz real paz de espírito, que nem sempre é o que a telinha nos recomenda e indica como único caminho. 

Saber fazer escolhas é fundamental. Pensar sempre: o que vale mais a pena? Agasalhar a raiva no fundo do coração, protegê-la, dedicar a ela os pensamentos, as ações, toda a energia? Não estaria, dessa forma, dando-se ao fato causador desta mágoa uma prioridade não merecida?  Nessa dedicação de tanta energia para algo que não fez bem, não estaria abrindo-se mão de grande parte de si mesmo (a própria energia) em prol de alguém ou algo que (teoricamente) odiaria? Não seria melhor dedicar e intensificar a aplicação dessa energia em ações que realmente trariam benefício, paz e melhoria em nossas próprias vidas? 

Nossa energia é parte de nós mesmos. Nos é fornecida para que possamos caminhar e construir nossas vidas de uma forma saudável e positiva, pois do contrário não é construir. É algo muito precioso para ser gasto de qualquer forma. Já é tempo de maior reflexão nesse sentido, reflexão e mudança de atitudes. Caminhar pra frente, evoluir, construir. 

Luciana G. Rugani

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto.
A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos problemas …

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice, não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste, lame…

POESIA "COM LU", DE HAIRON HERBERT DE FREITAS

Linda, maravilhosa poesia!!

Com Lú
O amor não acaba, o amor só aumenta. Experimente uma frase, Espere mais e comente.
Seja velho, seja jovem, Esqueça o tempo que passou. O momento é agora, Aproveite tudo com amor.
Não chore, não clame, Seja firme, seja honesto. Não viva mau seus sentimentos, Aos restos estranhos, acalento.
Contudo o amor revigora, Mesmo no atrapalho da hora, Volta sempre sem demora.
O amor é sem fim, É eterno em mim, Consciente estou, Quando estou com amor.
Hairon H. de Freitas 15/7/2019