segunda-feira, 22 de julho de 2013

SOBRE REDES SOCIAIS: NÃO ACEITE AS FOFOCAS DE REDE

Nos últimos tempos, vislumbramos o boom das redes sociais, modernamente chamadas de “Quarto Poder”. Um acelerado desenvolvimento da comunicação virtual que modificou drasticamente as formas de relações sociais. Hoje o compartilhamento de informações é a regra. As hierarquias baseadas no controle da informação já não se sustentam mais, os monopólios da mídia também tiveram suas bases abaladas. As exceções ficam por conta das instituições que lidam com dados ultra-secretos, e ainda assim, de tempos em tempos, há um ou outro vazamento de informação e pronto, já não há mais sigilo.

Literalmente assistimos à queda dos muros e divisas, à extinção das fronteiras. Positivo? Claro, não negamos que esse panorama repercute positivamente em muitas questões, antes obscuras, de nossa sociedade, além de possibilitar a inclusão nas discussões temáticas de grupos antes tradicionalmente excluídos dos debates. Hoje vemos cientistas, professores, etc. debatendo livremente com cidadãos comuns suas ideias e projetos.

Agora, mais que destacar os aspectos positivos deste tema, que inclusive já abordamos aqui em outros textos, quero ALERTAR para alguns fatores relevantes.

Lembremos: quem são as pessoas que estão nas redes? Em sentido geral, podemos dizer: todos os tipos de pessoas. Assim como no mundo físico, o mundo virtual tem desde interessados e estudiosos a oportunistas e criminosos; pessoas que se escondem sob um falso perfil para atingir seus interesses escusos e que utilizam a boa-fé das pessoas como meio de levá-las justamente aonde querem chegar. Enfim, o mundo virtual é um retrato do mundo real!

Como qualquer ferramenta, a rede social pode ser uma perigosa arma destrutiva ou um instrumento de avanço. Nós, usuários, não podemos deixar de aliar a esta ferramenta o bom senso e a pesquisa. As redes sociais estão se convertendo em um poder, mas este poder não deve ser absoluto. Devemos lembrar que acima dele há seres pensantes, que não se submetem a uma "lavagem cerebral", que colocam o bom senso e a razão acima das fofocas de rede. Ao recebermos uma informação, antes de repassá-la devemos submetê-la ao nosso bom senso sobre a utilidade de compartilhá-la, tendo como critério a avaliação se de fato essa informação trará uma contribuição positiva para o mundo virtual. Se chegarmos à conclusão que sim, a partir daí devemos LER ATENTAMENTE o que nos foi enviado. Incrível, mas muitas pessoas não leem em detalhes o que repassam. E, além disso, se não tiver certeza da lisura da fonte da informação, seria interessante pesquisar no Google sobre sua veracidade, já que há diversos sites que trabalham justamente desvendando e informando sobre lendas da internet.

Há uns dias atrás vivemos um exemplo de como a irresponsabilidade, a falta de bom senso e de pesquisa permitiu que uma informação postada de forma irresponsável levasse a uma falsa impressão do canil municipal de Cabo Frio (http://oglobo.globo.com/rio/falsa-denuncia-de-caes-presos-em-jaulas-causa-comocao-nas-redes-sociais-9066935). Alguém postou no facebook uma foto de um canil de um país asiático para ilustrar um post sobre o canil de Cabo Frio. Vemos aí total despreparo na utilização das redes sociais! A ética é um elemento basilar de todas as ações, devendo estar presente em todas as formas de divulgação. Houve aí um atentado contra a ética e contra regras básicas da convivência virtual. Não cabe isso de forma alguma! Não se compartilha um tema com foto de outro que nada tem a ver, ou de um lugar que nada tem a ver. Isso é no mínimo irresponsabilidade, e, podemos dizer sem receio, que aparenta claramente má-fe, com intenção explícita de divulgar falsa informação na internet. A postagem gerou grande repercussão, mas graças ao próprio poder divulgador das redes, a verdade logo se revelou fazendo cair no descrédito a tal postagem e seu autor. Mas esse fato me fez refletir em como que as pessoas compartilham uma foto sem clicar e ler todos os seus comentários, como repassam sem fazerem ao menos uma breve pesquisa no texto que a acompanha ou até mesmo no Google! Uniu-se a má-fé ou irresponsabilidade do autor do post com a imaturidade ou irresponsabilidade de muitos usuários do face.

Precisamos nos adaptar a esse novo mundo. As redes só serão um instrumento benéfico e construtivo se aliarmos a elas nosso bom senso, nossa observação e pesquisa. Entendemos a ansiedade natural gerada pela velocidade de divulgação, tanto a ansiedade por compartilhar quanto a ansiedade por responder e trazer à tona a verdade do tema. Precisamos nos adaptar a isso, pois é algo que acontece cada vez com mais freqüência. Encarar como algo normal, serenar nossa ansiedade, pesquisar antes de compartilhar. E, claro, ao sermos vítimas de algo inverídico, podemos e devemos nos defender, mas lembrando que assim como a notícia falsa se propagou em instantes, a comprovação dos fatos revelando a verdade também virá rapidamente. A falsa notícia se vai, derrubada pela verdade, e em pouco tempo é esquecida, tornando-se apenas uma poeira no caminho.

Luciana G. Rugani

quarta-feira, 10 de julho de 2013

AMIGOS DO PERÓ: EXEMPLO DE CIDADANIA, UNIÃO E AÇÃO

Já publiquei aqui no meu blog vários exemplos de cidadania. São vários textos sobre o trabalho de cidadãos, individualmente, ou de grupos organizados que têm por fim somente o bem comum, uma sociedade melhor pra se viver.

São iniciativas maravilhosas e que devem servir de exemplo para todos nós, por isso acho que devem ser amplamente divulgadas nas redes sociais.

Hoje no face vi uma foto que registra mais um trabalho fruto da união não só de moradores como também de apaixonados pela regiãodo Peró, em Cabo Frio. 

Os quiosques da Praia do Peró receberam 15 (quinze) lixeiras de 200 litros doados e transportados por Amigos do Peró. São 15 barris reutilizados com capacidade total de 3 toneladas. 

Eis aí mais uma prova de que, se queremos uma cidade melhor, só com a união de mais e mais pessoas nesse sentido é que será possível. Uma andorinha não faz verão, o trabalho não é de um, ou de outro. O trabalho é de todos, da equipe, do conjunto. E o resultado reverterá em uma praia mais limpa e agradável para todos.

Deixo aqui o trecho de um texto que fiz há mais de um ano, mas que descreve justamente esse espírito participativo, de união e cooperação que é a única saída para obtermos uma cidade melhor para se viver:

"Cidadania hoje traduz interesse e participação. Interessar-se pelo bem comum e contribuir de diversas formas para realizá-lo. Em relação à participação, foi aí que a evolução se fez maior. Hoje, são inúmeras as formas de participação.
Muitas vezes nos sentimos desanimados, pois elegemos nossos representantes e depois não conseguimos interferir em suas decisões. Mas, não podemos medir a eficiência de nosso exercício de cidadania pela capacidade de dirigir as decisões dos representantes. Podemos sim medi-la por nossa colaboração diária em direção aos objetivos comuns que almejamos. Estaremos exercitando eficientemente nossa cidadania no momento em que estivermos utilizando plenamente os recursos que temos nas mãos em prol do bem coletivo, que é o objetivo a ser alcançado. Não seremos cidadãos somente nos momentos em que obtivermos sucesso em nossos objetivos. Poderemos nos designar cidadãos à medida em que estivermos colaborando e fazendo nossa parte para o bem social. Estamos exercendo nossa cidadania, por exemplo, quando ajudamos no recolhimento do lixo na nossa rua, em nossas praias; quando contribuímos para reduzir o desperdício de forma geral, seja de água, alimentos, produtos, etc.; através do exercício da solidariedade, pois a solidariedade está intimamente ligada ao conceito de bem comum; entre outras ações práticas de nossa vida diária". http://www.cantinhodasideias.com.br/2011/10/cidadania-nos-dias-atuais.html


Parabéns à Praia do Peró pela conquista e aos Amigos do Peró  pela iniciativa. Parabéns também ao Ondas do Peró (Marcelo Valente), que, como diz com muita propriedade meu conterrâneo Machado Silva, é um verdadeiro "guardião" da natureza.

Que desta união surjam outras ações como esta, e que o "sonho de ver esta área realmente protegida, como a natureza merece" seja conquistado como merecimento pela boa vontade, espontaneidade e doação de energia, amor e trabalho de todo este voluntariado tão dedicado à nossa natureza.




Boa tarde galera....Com muita alegria trago essa notícia...As LIXEIRAS dos Amigos do Peró chegaram!!...Com apoio dos nossos Amigos do Peró ..Fabio Augusto (Doação dos barris) e Duda ( Medeiros Aves de São José do Vale do Rio Preto - transporte Itaipava Peró)..Reutilizados.. e prontos para atender nossa Praia.. com capacidade total de 3 toneladas os 15 barris.....Agora é conscientizar a galera.....Com UNIÃO seguiremos lutando por um Peró melhor...com nossa natureza preservada.....Obrigado a todos....PRESERVE A NATUREZA...JOGUE O LIXO NO LIXO...aloha 



Luciana G. Rugani

domingo, 7 de julho de 2013

O DESPERTAR

Jesus Cristo foi o maior exemplo de ação de forma coerente com suas convicções e com o que era necessário ser feito, independente da opinião dos outros, ou do que pensavam os fariseus.
Ele veio para nos mostrar o caminho da Verdade, para nos ensinar a construir e disseminar o bem de todas as formas que nos sejam possíveis, pois era isso que ele fazia. Outros missionários da sabedoria também vieram e deixaram suas mensagens e exemplos, como Buda, Gandhi, etc. Mas Jesus foi o oriental cuja mensagem mais marcou no Ocidente e em todo o planeta.

Acordar para os problemas sociais que vivemos, querer uma sociedade melhor, se unir em busca de soluções para as questões, isso é o mínimo que todos podemos fazer. Mas o primeiro passo é o DESPERTAR. Não adianta fechar os olhos, fingir que está tudo bem, fingir que nada vê. O primeiro passo é estarmos abertos para a realidade, realidade esta que é fruto de anos e anos, não é de agora. O despertar é característico de evolução, é sinal de inteligência do homem racional consciente de seu poder de participação na ininterrupta construção de um mundo melhor. Despertar não quer dizer que se vai à caça de culpados, que se vai jogar a culpa em um ou em outro, não. Isso não é despertar. Despertar é assumir que o problema existe em razão de inúmeras variáveis, que não surgiu hoje, nem ontem e vem crescendo de forma crônica e constante. É saber que o problema é algo típico de uma sociedade em tempos de provas e transformações, pois a crise faz parte da evolução de uma sociedade, como já nos deu provas suficientes a nossa História. 

A inteligência, a racionabilidade, a prova da capacidade de superação e de realização está justamente em reconhecer a existência  dos problemas sociais crônicos e ter a disposição e vontade de fazer o melhor e o que for possível com os instrumentos que se tem em mãos. E hoje há muitos instrumentos com que cada um de nós pode colaborar. Se não temos poder para resolver diretamente, podemos e devemos usar as palavras, pois as palavras levam à ciência e reflexão. Falar, escrever, manifestar a opinião é sinal de maturidade e também é cidadania. É muito bom ver que nossa sociedade está acordando, que jovens estão novamente ativos e organizando seus movimentos, e que estão utilizando as redes sociais não somente para seus bate-papos e fotos pessoais, mas para fins úteis de conscientização e mobilização. Cito como exemplo a Assembléia Popular Horizontal, movimento que se formou em BH através das redes e que agora seguirá constante em torno de vários eixos temáticos.   Claro que mesmo entre os jovens há alguns (me alegro por ver que são minoria) que persistem dando continuidade à mentalidade tacanha, talvez herdada do meio em que vivem, que seguem com suas viseiras, impedidos de olhar em volta e além. Mas estes estão na contramão da História, são minoria e a própria Vida se encarregará de amadurecer suas visões de vida.

Admiráveis são os grandes homens, as grandes mentes que gravaram seus nomes na História e que hoje servem de inspiração a esta nova geração desperta. Admiráveis são os homens de visão, que sabem ver o que tem atrás da montanha, que enxergam mais que os comuns, que percebem os raios de sol antes mesmo de eles começarem a aparecer.. E, com toda sua sabedoria, despertos e conscientes para sua realidade, partem para a ação mesmo com seu povo ainda adormecido. Agindo assim deixam um legado, deixam o exemplo que servirá de luz e guia para o despertar das próximas gerações.

Luciana G. Rugani

sexta-feira, 5 de julho de 2013

HOMEM E NATUREZA: SERÁ POSSÍVEL UMA CONVIVÊNCIA HARMÔNICA?

Ontem fiquei triste com a notícia divulgada na internet sobre uma tartaruga encontrada morta em função da ingestão de plástico na Praia do Forte, em Cabo Frio. Isso significa a natureza chegando ao seu limite, a vida sendo atropelada pelo poder destruidor do ser humano sem consciência. 

Quando vou à praia costumo ver algumas cenas que não consigo entender! Já vi rapaz entrando na água com cigarro acesso, e, já dentro do mar termina seu cigarro e lança a bituca nas águas; já vi saquinhos flutuantes passando ao lado de algumas pessoas na água, e também na areia, movidos pelo vento, e essas pessoas não se mexem nem um milímetro no sentido de apanharem esse saquinho; já vi pessoas largarem seu lixo na areia como se aquilo fosse a coisa mais natural do mundo... e isso em poucos momentos de observação... agora o resultado está aí. Nossos animais marinhos estão morrendo em função do lixo lançado ao mar por banhistas e pescadores.

Diz Gustavo Stahelin, biólogo coordenador técnico do Projeto Tamar Florianópolis: 

"De tempos em tempos encontramos pedaços de linha nas tartarugas mortas, com redes presas nas nadadeiras. Essas tartarugas podem ter morrido afogadas, tentando soltar a linha de suas nadadeiras. Às vezes encontramos o animal com o membro amputado, mas vivo, saudável, com o membro bem cicatrizado"

E pesquisas do próprio Projeto Tamar demonstram que cerca de 60% das mortes das tartarugas são por ingestão de plástico.

A natureza reflete os atributos de seu Criador. Assim como Ele, Ela é paciente, ela dá chances, ela dá sinais. Há quantos anos acontecem danos ambientais, espécies sofrendo perigo de extinção, mudança de hábitos alimentares e de rota de diversos animais marinhos, entre outros problemas. Isso tudo vem ocorrendo há muitos anos, tempo suficiente para que o homem utilize seu poder de observação, aliado à sua razão, e tome providências em relação à mudança de seus hábitos, para que possa haver uma convivência mais harmônica com a natureza.

O homem é parte da natureza, portanto se a destrói, mais cedo ou mais tarde sentirá em si mesmo os efeitos de sua ação destrutiva. Na natureza tudo é interligado, e a cada ação corresponderá uma reação, nem sempre imediata. Ao homem, como parte racional neste conjunto, cabe a iniciativa de renovar suas atitudes e adaptá-las buscando uma convivência mais equilibrada neste contexto.

Por um lado, cresceu muito hoje a informação, a preocupação com a preservação, mas ao mesmo tempo basta uma caminhada pela praia para vermos que muitos simplesmente não acordaram para o fato de que tudo isso é real, não são só palavras. Não podemos fazer do nosso litoral uma réplica do que acontece nas Ilhas Midway, no Oceano Pacífico, onde há um acúmulo exorbitante de lixo, principalmente plástico, nas águas e nas ilhas. O que está acontecendo lá deve servir de alerta para nós não deixarmos que isso ocorra por aqui. 

Pesquisas comprovam que cerca de 90% do lixo nos mares é composto de detritos plásticos. O pequeno vídeo que acompanha este texto serve para ilustrar essa triste situação.

Vale a pena continuarmos insistindo na conscientização, na mudança de hábitos. Vamos frequentar as praias sem deixar nosso rastro de resíduos para trás. Sabendo de tudo isso que ocorre no mundo, vendo os animais morrerem nas praias de nossa região, não me parece inteligente que façamos parte do grupo que contribui com este 90% do lixo.

Importante destacar aqui também o trabalho de pesquisas e monitoramento que são realizados por algumas pessoas e grupos. Sabemos do histórico de lutas e dificuldades em nosso país pelas quais passam os projetos de preservação (como é o caso do próprio projeto TAMAR, citado aqui) e também os diversos grupos de pesquisas científicas e monitoramento. Além da tradicional luta por investimentos, sofrem também com a desinformação das pessoas que muitas vezes nem mesmo sabem de sua existência, e assim deixam de informá-los sobre animais encontrados nas praias, ocasionando prejuízo ao andamento das pesquisas e estudos que são realizados sobre o assunto.

Na Região dos Lagos temos algumas pessoas e grupos que atuam nestes trabalhos. Sempre que alguém encontrar aves, mamíferos e répteis marinhos (vivos ou mortos) nas praias, não deixe de comunicá-los. Ajudem, colaborem com as pesquisas científicas da região ou com o resgate adequado dos animais. Podem contatar o Grupo de Estudos de Mamíferos Marinhos  - Região dos Lagos - tel: 22-8808-1336 (chamadas a cobrar), que eles deverão providenciar o resgate adequado à particularidade de cada caso. 
Nas praias do Peró, Conchas e Praia Brava, podem contatar também o grupo Ondas do Peró (monitor SOS Aves e Cia), no tel.: 22-9944-1012. 





Luciana G. Rugani

segunda-feira, 1 de julho de 2013

ALOHA: UMA MENSAGEM DE LUZ

Li em um post na página do facebook do Ondas do Peró a mensagem abaixo, que achei muito interessante. Eu não conhecia exatamente o significado da palavra ALOHA. Sabia que significava uma forma de cumprimento havaiano que continha uma mensagem positiva, mas não conhecia exatamente o teor desta mensagem.
Hoje fiquei conhecendo, e aprendi que ela é o resumo de uma filosofia de vida que, se vivenciada no nosso dia-a-dia, nas nossas relações pessoais, certamente teríamos uma sociedade menos perversa, com mais alegria e amor, e, consequentemente, teríamos corpos e mentes mais saudáveis. 
Viver em paz com o outro e com a natureza é sinal de evolução espiritual, sinal de espírito forte que não se deixa abater tão facilmente. E evolução espiritual acaba resultando também em uma vida material mais harmônica, onde os diferentes conseguem conviver de uma forma mais organizada e respeitosa, pois o que causa o conflito é o orgulho ferido, o ego inflado, a vaidade exacerbada que não tolera um "não", não tolera um "pensar" diferente. E a sociedade que prioriza o "eu", fechada ao novo, blindada em seus preconceitos mesquinhos, nunca será uma sociedade saudável e acolhedora.

Abaixo segue a mensagem. E ALOHA para todos!

"Aloha é uma palavra formada pelas iniciais de outras cinco palavras havaianas, cujos significados orientam a conduta do povo local. É o chamado "Espírito Aloha".

A, vem de AKAHAI, Bondade a ser demonstrada com Ternura.
L, vem de LOKAHI, Unidade a ser expressa com Harmonia.
O, vem de OLU OLU, Cordialidade a ser demonstrada com Afeto.
H, vem de HA AHA A, Humildade, a ser demonstrada através da Modéstia.
A, vem de AHONUI, Paciência, a ser demonstrada pela Perseverança.

Como os próprios havaianos gostam de dizer, palavras não são suficientes para traduzir todo o significado da palavra mágica "Aloha". Trata-se de uma espécie de filosofia local, que permeia as relações interpessoais e faz com que cada indivíduo seja parte da coletividade. É o que diz um dos principais provérbios havaianos:"O nós, anula o eu"... " https://www.facebook.com/photo.php?fbid=683619428330196&set=a.652831441408995.1073741841.649003988458407&type=1


Luciana G. Rugani
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...