Pular para o conteúdo principal

DIÁRIO CABOFRIENSE: ELEIÇÃO DOS CONSELHEIROS TUTELARES: RETRATO DE UMA DEMOCRACIA ENFERMA

Minha coluna de hoje no jornal "Diário Cabofriense". Leia o texto logo abaixo da foto:

Um dos critérios que podemos utilizar para medir o grau de evolução e maturidade políticas de uma sociedade é a análise do modo como seus cidadãos exercem seus direitos políticos.
Observar o acontecido na última votação para eleição de conselheiros tutelares, não só em nossa cidade, mas também em várias outras do Brasil, me levou a refletir no grau de maturidade do sistema democrático.
Houve relatos de compras de votos, transporte ilegal de eleitores, boca de urna, entre outras denúncias. E isso ocorreu de norte ao sul do país! Em muitas cidades a eleição provavelmente poderá ser anulada, pois denúncias já estão sendo apuradas.
Essa eleição dos conselheiros foi uma pequena amostra de como nossa sociedade se comporta quando do exercício de seus direitos e de sua cidadania: falta de consciência, predomínio do ganho material em curto prazo, subserviência a políticos corruptos que veem no conselho uma forma de aumentar seu poderio político através da eleição de seus aliados. O que vemos é uma total subversão da finalidade maior dos conselhos tutelares. Candidatos a conselheiros, que deveriam visar à representação direta da sociedade no zelo dos direitos das crianças e adolescentes, participam da eleição tendo por trás a indicação de políticos interessados apenas em ampliarem seu reduto de ação, ou seja, foco no uso político das instâncias de participação popular.
Temos então uma democracia frágil, assim desenhada: cidadãos totalmente sem noção de seu peso enquanto eleitores que se vendem de forma banal, por alguns trocados ou benefícios, e políticos inescrupulosos, corruptos, que estão sempre prontos a fazerem das instituições democráticas e das instâncias de participação popular trampolins para suas pretensões pessoais. Há também aqueles cidadãos insatisfeitos com essa realidade e que, por isso, preferem abster-se e não participar de nada que tenha algum aspecto político.
Talvez por ser facultativa, essa eleição dos conselheiros possa ter deixado mais evidente essa triste realidade de nossa democracia. Sabemos que tudo que aconteceu nessa eleição também acontece também em eleições para os cargos políticos dos poderes executivos e legislativos, mas nestas, por serem obrigatórias, pelo menos há a chance de que mais pessoas descomprometidas com esse jogo de toma-lá-dá-cá eleitoral participem, amenizando um pouco a mancha fraudulenta das eleições. Na eleição facultativa, infelizmente é grande a chance de maior favorecimento em troca do voto. Muitos cidadãos íntegros simplesmente não se interessam por votar, enquanto que aqueles que se vendem são prontamente incentivados a votar, seja com dinheiro, benefícios, ou transporte ilegal. A eleição facultativa é um instrumento que denota maturidade política. Penso ser perfeitamente adequada para sociedades mais evoluídas politicamente, em democracias mais maduras e robustas, porém esse não é o caso do Brasil. Infelizmente nosso país possui ainda em uma democracia achacada, combalida, desrespeitada, onde o valor das conquistas se mede pelo ganho imediato e individual, e processos políticos e democráticos são vistos como caminhos para o êxito pessoal, o que acaba por agravar ainda mais o exercício eficaz das responsabilidades e competências da administração pública. 

Luciana G. Rugani

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto.
A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos problemas …

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice, não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste, lame…

POESIA "COM LU", DE HAIRON HERBERT DE FREITAS

Linda, maravilhosa poesia!!

Com Lú
O amor não acaba, o amor só aumenta. Experimente uma frase, Espere mais e comente.
Seja velho, seja jovem, Esqueça o tempo que passou. O momento é agora, Aproveite tudo com amor.
Não chore, não clame, Seja firme, seja honesto. Não viva mau seus sentimentos, Aos restos estranhos, acalento.
Contudo o amor revigora, Mesmo no atrapalho da hora, Volta sempre sem demora.
O amor é sem fim, É eterno em mim, Consciente estou, Quando estou com amor.
Hairon H. de Freitas 15/7/2019