Pular para o conteúdo principal

POEMA FLORES, DE HAIRON HERBERT DE FREITAS, NO SARAU AMBIENTAL, EM CABO FRIO


Hoje recebi este belo presente ao amanhecer o dia: FLORES, em forma de palavras, recebidas desse meu querido poeta e um dos mais novos acadêmicos da ALACAF: Hairon Herbert. E a alegria foi dupla, ao saber que este seu poema foi declamado hoje, no sarau ambiental do Flores Literárias, pela amiga querida Marta Rocha. O sarau aconteceu na manhã de hoje, na Fonte do Itajuru, confome divulgamos aqui no blog.
Abaixo seguem o poema e o vídeo do evento:

Flores

Flores!
Quem oferece flores ganha amores,
Se não ganha hoje, não se importe,
A natureza acumulou no pote.
O importante é não esquecer,
O valor de aprender,
Tudo o que importa é tirar de si,
A amargura, a dor e continuar.
Continuar sempre a oferecer flores,
Como se estivesse num altar.
Saiba que na vida tudo passa
Felizes ficamos,
Quando passa e notamos,
O valor de oferecer flores,
E cultivar amores.
Se acorda um dia com fereza,
Faça um gesto de segurar flores,
Respire o aroma,
E sinta os benefícios,
Repare bem que o mal já passou.
É simples, mas não fácil,
Cultivar dá trabalho.
Repare nas boas mudanças,
E continue oferecendo flores.

Hairon H de Freitas 5/6/22

Luciana G. Rugani

Comentários

  1. Vocês são muito queridos e foi uma maneira que encontrei de trazê-los para pertinho de nós, afinal, domingo é dia de estarmos juntos com pessoas que amamos. 😘😍🌹

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema, hairon freitas o amigo escolhido para ser o padrinho de meu filho, meu amigo poeta para sempre.

    ResponderExcluir
  3. Belo e inspirado poema, nobre poeta! É sempre bom falar de flores. Perfuma a vida e semeia poesia. Afinal, flor rima com amor e sem amor não há vida. Parabéns! Grande abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si

PRÊMIO TEIXEIRA E SOUSA DE LITERATURA, EM CABO FRIO, DIVULGA INSCRIÇÕES HABILITADAS

Clique aqui para ver a publicação das inscrições habilitadas (págs. 18 a 21 do Diário Oficial Eletrônico) Concurso premiará autores de conto, poesia e crônica, além de redação para estudantes da rede pública de Cabo Frio A Prefeitura de Cabo Frio tornou pública a relação das inscrições habilitadas e inabilitadas para o Prêmio Teixeira e Sousa de Literatura. A próxima edição terá o tema: “De Teixeira e Sousa a Elza Soares - Crítica Social no Planeta Fome”. A listagem foi divulgada na edição número 469 do Diário Oficial do Município, disponível no Portal da Transparência, no site da Prefeitura. Organizado pela Secretaria Municipal de Cultura, com o intuito de valorizar as produções literárias de autores cabo-frienses, serão coroadas obras inéditas na língua portuguesa nos gêneros de conto, poesia, crônica e redação estudantil. Todas as categorias são divididas para residentes em Cabo Frio, separadas entre público geral e alunos da rede pública de ensino municipal, estadual e federal, par