quarta-feira, 2 de novembro de 2011

RESPEITO À VOCAÇÃO TURÍSTICA: NECESSIDADE PARA DESENVOLVIMENTO LOCAL

Não sou nenhuma especialista no assunto “turismo”. Sou apenas uma observadora interessada em colaborar no compartilhamento de idéias e sugestões que possibilitem melhorias para nossa região, e que vem hoje aqui expor suas impressões registradas durante estadia de 21 a 28 de outubro na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte.

Natal foi fundada em 25 de dezembro de 1599. Durante a segunda guerra mundial, foi instalada uma base militar americana na cidade devido à sua posição estratégica: é o ponto da América mais próximo da África e Europa. Muitos americanos lá chegaram e permaneceram, mesmo tendo acabado a guerra. É em Natal que encontra-se a Barreira do Inferno, o primeiro centro de lançamento de foguetes espaciais da América. Devido à intensa atividade militar, cerca de vinte por cento de sua população é de militares. Encontra-se a 2.800 km de São Paulo e a 2.500 km da África. 

Suas principais rendas: o turismo, a produção de camarões, caju e melão e a indústria têxtil. Percebi que a fonte de renda mais importante, que é o turismo, é valorizada e respeitada, recebendo muito incentivo. É uma capital que ainda não tem os problemas das grandes capitais. Em 2007 foi tida pela ONU como a sétima cidade mais tranqüila do Brasil. Com oitocentos mil habitantes, ainda tem um trânsito tranqüilo, em comparação ao de outras capitais e é uma cidade bem cuidada. 

Justamente por prezar sua vocação turística, em Natal há a preocupação de manter a limpeza urbana e a segurança, principais quesitos em qualquer política de incentivo ao turismo. Há muitos policiais e monitoramento por câmeras. Os próprios natalenses (também chamados "potiguares") relatam que a cidade é tranqüila, e não vivem na ansiedade e no medo que corroem os habitantes das grandes cidades. Mas, é uma cidade segura porque há investimento, há preocupação em manter a paz. E isso com oitocentos mil habitantes! Em Cabo Frio, cidade muito menor e que tem praticamente um quarto desse número, observamos que a violência cresce vertiginosamente e se dissemina pelos bairros. É um problema que pede solução urgente. E ainda, com relação à limpeza, Cabo Frio já foi considerada cidade mais limpa do Brasil, situação à qual hoje não mais corresponde. É opinião geral, tanto de moradores quanto de turistas, que a cidade perdeu, e perdeu muito no quesito limpeza urbana.

Natal possui excelente infraestrutura de turismo, com ótimos hotéis e restaurantes. Há ônibus de turismo chegando e saindo dos hotéis todos os dias para passeios. Os restaurantes oferecem serviço gratuito de traslados ida e volta para turistas, o que é bom para aqueles que estão sem carro mas também para aqueles que estão de carro, pois assim não é preciso sofrer com questões de estacionamento.

É notório que o governo de Natal busca manter um ambiente adequado e atrativo, respeitando e incentivando a vocação turística da cidade. Com isso, os próprios habitantes também se sentem mais satisfeitos, mais alegres, mais prestativos. Ao pararmos no passeio para trocarmos umas palavras referentes ao local em que estávamos, uma cidadã que passava logo perguntou: “vocês estão precisando de alguma coisa? Posso ajudar?” Na noite seguinte, ao pararmos para atravessar certa avenida com faixa livre à direita, um motoqueiro que parou no sinal fez questão de buzinar para nos avisar que a faixa da direita era livre, sem sinal. Então, por estes e outros fatos que nos sucederam, percebemos que não são cidadãos estressados e insatisfeitos. A atenção devida do governo para com a cidade reflete diretamente na vida e no humor dos seus cidadãos.

O Parque das Dunas encontra-se cercado para preservação e sob cuidados da Marinha. Trata-se de um enorme conjunto de dunas fixas que, se fossem exterminadas, a cidade poderia vir a tornar-se uma grande duna, já que poderia ser “encoberta” pela areia que sopra das praias. 

Outra boa idéia é a lei municipal 289/09, que obriga as concessionárias de veículos a plantarem uma árvore a cada dois carros novos vendidos, com objetivo de mitigar o efeito estufa na cidade. 

São peculiaridades locais, algumas idéias de atenção e cuidado que devem ser observadas e compartilhadas em nossas cidades para, quem sabe, ajudar a germinar novos projetos e programas de manutenção adequada.

É uma pena que Cabo Frio, que já foi reconhecida nacionalmente como excelente destino turístico, esteja hoje enfrentando tantos problemas que afastam o turismo. Precisa haver maior respeito com a vocação turística da cidade, preocupação com preservação ambiental, manutenção da segurança, e cuidado em geral. Búzios, que antigamente pertencia a Cabo Frio, hoje é o destino mais procurado da região. Cresceu e ultrapassou Cabo Frio em divulgação e reconhecimento. Muitos cabofrienses vivem entristecidos, alguns até revoltados, com esta situação. Alguns vendedores não se dão ao trabalho nem de olhar nos olhos do comprador, muito menos um sorriso de atenção. Dá pra notar a desesperança e o desânimo dos munícipes com toda essa situação. 

Hoje, a questão ambiental é item de alta relevância na sociedade humana. Cabo Frio possui um potencial incrível de belezas naturais. Além de ser uma região de praias lindíssimas, possui, no primeiro distrito, o Parque Municipal Dormitório das Garças, e no segundo distrito (Tamoios), dois parques naturais: o Parque Municipal do Mico Leão Dourado e o Parque da Preguiça, este último de propriedade particular. Todos eles, se bem explorados, podem ser utilizados para incentivar o turismo ecológico. Em relação ao Parque da Preguiça, uma parceria público-privada com medidas de preservação ambiental e incentivo ao turismo seria excelente.

Cabo Frio, se antes era atrativa não só pelas praias, mas também por ser uma cidade limpa, tranqüila, bem cuidada e promissora, hoje, o único atrativo que faz com que a cidade continue sobrevivendo é mesmo sua beleza natural, o que lhe concede uma graça e acolhimento próprios que fazem com que não se apague a chama da esperança em dias melhores, esperança de voltar a ter um governo que se sensibilize com seu encanto ímpar e que dela cuide com toda atenção e carinho.

Luciana G. Rugani

3 comentários:

  1. É sempre boa medida a divulgação dos feitos que provoquem uma mudança sensata e proveitosa na comunidade.

    ResponderExcluir
  2. Também visitei Natal em janeiro deste ano, passei 5 dias na cidade posso afirmar que Cabo Frio não perde em nada para as belezas de Natal, digo que é muito mais bonito. O que diferencia uma cidade da outra realmente é o cuidado e o interesse do governo em preservar esta fonte de receita que é o turismo. Temos dunas também que se fossem bem cuidadas e preservadas seriam outra excelente fonte de turismo, temos os parques ecológicos que além dos locais que foram mencionados temos um parque imenso no Pero, segue um texto extraídos do Wikipédia que explica do que estou falando: "Praia que situa-se entre Cabo Frio e Búzios, ao longo das Dunas do Peró, que possui um rico ecossistema com espécies endêmicas, e junto à Serra das Emerências, onde encontra-se o maior nicho de pau-brasil do Estado do Rio. A praia é parte integrante da Área de Proteção Ambiental do Pau-Brasil. Dos seus 7 quilômetros de extensão, apenas menos de 1 quilômetro é urbanizado, sendo o restante preservado com vegetação de restinga. Isso tudo infelizmente está abandonado, sem segurança, preservação e se não for feito alguma coisa urgente perderemos este paraíso. Reafirmo o que foi escrito pela Luciana, precisamos urgente "...voltar a ter um governo que se sensibilize com seu encanto ímpar e que dela cuide com toda atenção e carinho."

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...