Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 15, 2011

MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO EM ARRAIAL DO CABO

Muito bom ver que a cada dia surgem novos movimentos apartidários de protesto contra a corrupção. É muito importante que haja manifestação popular, importante soltar a voz em prol da lisura na administração pública e em busca de ressuscitar os valores originais do verdadeiro significado de política.

Hoje, em todo o país, foram realizados vários movimentos. Abaixo segue o vídeo da manifestação contra a corrupção feita na cidade de Arraial do Cabo, RJ. 
Vale ressaltar as palavras do turista estrangeiro entrevistado: "a população é quem paga a corrupção. E, corrupção mata". 
Aproveito para juntar, nesta pequena matéria, alguns dizeres muito esclarecedores do DD. promotor e membro do CNJ, prof. Wellington Saraiva, no twitter, para nossa reflexão: "Réus com poder político ou econômico contam com a benevolência da lei e da jurisprudência para se manter praticamente impunes. Sensação de impunidade e ineficácia generalizada do sistema criminal são péssimas para a formação dos j…

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

Valores republicanos:    a) o respeito às leis, acima da vontade dos homens,  b) o respeito ao bem público, acima do interesse privado,  c) o sentido de responsabilidade no exercício do poder.
Vejamos o que diz nossa Carta Magna em relação aos objetivos da república brasileira:
Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; II - garantir o desenvolvimento nacional; III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. 
Portanto,hoje, feriado comemorativo da Proclamação da República em nosso país, vale uma reflexão: Segundo os valores e objetivos referidos acima, vivemos uma cultura verdadeiramente republicana? Aplicamos os valores republicanos em nossas ações cotidianas, tanto nós, enquanto cidadãos, como os nossos dirigentes, enquanto homens públicos…