domingo, 4 de março de 2012

FIM DE SEMANA POÉTICO


Para relaxar e dar voz aos sentimentos, de vez em quando farei aqui o "Fim de Semana Poético", quando postarei alguma poesia de minha autoria ou de outros. Hoje segue uma poesia de autoria do meu marido Hairon. Que todos tenham um excelente domingo! Muita paz!
Luciana G. Rugani


Minha vida. Sua vida.

Sou o que existe de melhor;
Como você é o que existe de melhor.
Sou diariamente uma pessoa que procura ser boa;
Como você é diariamente uma pessoa que procura ser boa.
Sou uma pessoa que não quer reconhecer o que é: ora com raiva, ora com medo, ora ansiosa;
Como você é uma pessoa que não quer reconhecer que é: ora com raiva, ora com medo e ora ansiosa.
Sou uma pessoa em alguns momentos alegre, devotada e amorosa;
Como você também o é: em alguns momentos alegre, devotada e amorosa.
Assim é que sou uma pessoa desequilibrada, boa, alegre e ansiosa;
Mas você pode ser diferente: alegre, desequilibrada, ansiosa e boa.
Quem melhor sabe o que somos e não reconhecemos que somos?
Sou então igual a você:
Sua imagem e seu reflexo.
Minha luz;
Sua Luz...
Com muito amor.
Hairon 27/2/12

VISUALIZAÇÃO DA TRANSFORMAÇÃO DE CABO FRIO

Cabo Frio é uma cidade que passou por grande transformação a partir do incremento da atividade turística em sua economia. Até meados do século passado, era uma sociedade cuja economia principal era a indústria salineira. Por volta dos anos 70, começou a haver um incremento da sua atividade turística, reforçado também pela descoberta do petróleo na Bacia de Campos e consequente recebimento dos royalties. Sua população foi aumentando consideravelmente e o mercado imobiliário entrou em franca ascensão. A cidade assumiu sua vocação turística. 

Vale assistir ao vídeo abaixo, de 1966, que foi postado no facebook pelo Diácono Cláudio Andrade, e compará-lo com os vídeos que fiz de 2001 ( http://www.youtube.com/watch?v=2DicHRvj2Wc ) e de 2003 ( http://www.youtube.com/watch?v=eH9npSoYaHs ). Muito interessante visualizar o desenvolvimento da cidade.


Luciana G. Rugani

A VERDADE SOBRE URNAS ELETRÔNICAS


O vídeo abaixo traz uma entrevista com o Eng. Amilcar Brunazo, especialista em urnas eletrônicas. Através de explicações técnicas, ele demonstra que o voto eletrônico é rápido na apuração, mas, no modelo brasileiro, não há como saber se o que ele está somando está correto.
O engenheiro derruba, com explicações detalhadas e técnicas, a ideia bastante propagada de que o sistema de votação eletrônica do Brasil é um dos mais avançados do mundo. Primeiramente, ele aborda o fato do acúmulo de poder na justiça eleitoral: é ela quem administra o sistema eleitoral, legisla sobre ele e julga as questões a ele referentes. Assim, ela é quem impõe o tipo de sistema eletrônico e, devido a esse superpoder que lhe é atribuído, acaba dificultando os meios de sua auditoria.
Ainda segundo Amilcar, o Brasil e a Índia são os dois únicos países que usam a urna eletrônica da primeira geração. Outros países rejeitaram essa tecnologia e usam a tecnologia de segunda geração, onde é possível o eleitor confirmar se seu voto foi realmente para o seu candidato. É o que é utilizado na Argentina, que, segundo o engenheiro, é o melhor sistema que existe atualmente. As máquinas eleitorais gravam o voto eletronicamente, mas mantém um segundo registro que o eleitor pode ver.  Cada voto vai ter duas vias: via impressa e via digital (ou através do escaneamento ou por meio de impressão do voto). Na impressão, o eleitor pode ver e conferir a via impressa, a qual é guardada numa urna comum. Após a eleição, há como fazer uma auditoria e comparar se a soma dos votos impressos é igual à soma dos votos eletrônicos.  
Aqui no Brasil, no modelo de primeira geração, isso não é possível, pois o voto não é impresso na tela ou no papel para que o eleitor se certifique se está de acordo com sua opção. O voto vai direto pro arquivo de registro digital do voto sem o eleitor saber se o que lá está sendo gravado é realmente o seu voto. A justiça eleitoral não permite que o próprio eleitor veja o que foi gravado como sendo seu voto. Presume-se que todos que trabalham com o sistema eletrônico internamente são sujeitos honestos e incorrompíveis, perfeitos, o que sabemos ser impossível de se garantir.
Outro ponto interessante abordado: os testes realizados pelo TSE no nosso sistema eletrônico são falhos. Sim, são falhos porque repletos de limitações e condições que impedem que sejam realizados testes mais confiáveis.
Foi aprovada a Lei 12034/09, que previa a utilização do modelo da segunda geração em 2012. Mas, a justiça eleitoral solicitou ao Ministério Público que entrasse com uma ação de inconstitucionalidade desta lei. Esta ação foi para julgamento no STF. Então, por medida cautelar, a lei foi suspensa e assim se encontra até o momento.
Assistam à entrevista abaixo. Vale a pena, pois acrescenta muito conhecimento por meio de informações que normalmente não são divulgadas pela mídia convencional.
Por todas as informações, dá pra concluir que a justiça eleitoral possui poder total sobre o voto do eleitor, e que o brasileiro, como eleitor, precisa sim ter seus direitos mais respeitados.
Enviado por  em 09/01/2012

Luciana G. Rugani
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...