Pular para o conteúdo principal

1º DIA DOS EVENTOS DO MÊS DE OUTUBRO - PROJETO DESTINO & EDUCAÇÃO

Hoje participei do 1º dia dos eventos do mês de outubro, do projeto Destino & Educação 2016.

O evento é uma iniciativa da Revista DESTINOS SERRA & MAR, em parceria com o Geribá Tennis Park, e as Secretarias de Educação, Cultura e Turismo de Duas Barras.

Entre as diversas apresentações e palestras que aconteceram (clique aqui para ver a programação completa), gostaria de destacar o painel "Desafios e Tendências no Turismo de Acessibilidade". Participaram do painel os secretários municipais de Turismo de Resende, Antônio Leão, e de Duas Barras, Francisco Vasconcellos, e também alguns empresários do setor hoteleiro de Búzios. Estavam presentes também artistas da APBP - Associação dos Pintores com a Boca e os Pés - cujos trabalhos, belíssimos quadros retratando paisagens de Búzios, estarão expostos durante os dois dias do evento.

Foram debatidos assuntos pertinentes ao turismo e acessibilidade, a importância da participação do poder público, mas também dos empresários e da sociedade civil. Foram relatadas algumas atitudes de empresários que, através do exemplo, conseguiram incentivar colegas a mudarem alguns hábitos e adquirirem uma postura mais colaborativa com a limpeza da praia onde têm seus estabelecimentos. Também achei interessante a colocação de um dono de pousada de Búzios, que disse ter investido em treinamento para que seus funcionários pudessem oferecer um melhor atendimento à pessoa idosa. Durante o treinamento, foram simuladas condições através das quais os funcionários viam-se na situação da pessoa idosa com certa dificuldade, como, por exemplo, dificuldade para andar, entre outras. Seus funcionários nunca mais veriam a pessoa idosa da mesma forma. E obteve sucesso, pois, além de eles terem conseguido dar melhor atendimento ao idoso, os próprios funcionários se entusiasmaram pelo tema e solicitaram novos treinamentos sobre o assunto.
O artista plástico Marcelo Cunha citou cidades exemplo de acessibilidade, como Viena (Áustria), e falou sobre vários problemas que o deficiente enfrenta nas cidades brasileiras. Destacou que, além de se ter uma rua acessível e um ônibus adaptado, também é essencial que se prepare o motorista para lidar com a pessoa com deficiência, pois pouco adianta ter, por exemplo, o ônibus adaptado e um motorista que não para o veículo adequadamente junto ao passeio, ou que não ajuda com cuidado no transporte da pessoa para entrar ou sair do veículo. 

Assisti também à palestra de Antônio Leão, secretário de turismo de Resende, que expôs sobre os avanços da acessibilidade em sua cidade e também sobre a importância do turismo como atividade econômica. Em Resende, cidade conhecida por possuir um amplo parque industrial, várias indústrias tiveram que reduzir seu quadro de funcionários devido à crise. Muitos destes funcionários foram então treinados para exercerem atividades nas pousadas e restaurantes, como garçons, recepcionistas, etc. O incentivo ao turismo foi o que colaborou para amenizar os graves efeitos do desemprego.

Foi uma tarde muito enriquecedora e, principalmente, uma boa oportunidade para conhecer de perto os artistas da APBP, que nos brindaram com pinturas ao vivo durante o intervalo das palestras.

Amanhã será o segundo e último dia do evento, com início dos trabalhos às 14 horas, no Geribá Tennis Park, em Búzios. Todos estão convidados!

Vejam algumas fotos abaixo:

Eu e Marta Queiroz, Diretora Executiva da Revista Destinos Serra & Mar
 
Marcelo Cunha, pintor com os pés, fala sobre acessibilidade
João Paulo, pintor com os pés



Eduardo (Ado), pintor com a boca
Artesanato



painel "Desafios e Tendências no Turismo de Acessibilidade"
Quadros dos artistas da APBP 

Texto: Luciana G. Rugani
Fotos: Hairon Hebert / Marta Rocha

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si

DIVULGANDO: CANAL DE DANÇA POÉTICA DO ARTISTA EDUARDO MACEDO

#Divulgando canal de dança poética Canal Eduardorio23deabril no YouTube Eduardo Macedo é bailarino e poeta e ultimamente tem se dedicado a vídeo dança, categoria artística que mistura o áudio visual e a dança como linguagem final. Para mostrar seus trabalhos, o artista fez um canal no YouTube, onde, nessa primeira fase, é o principal intérprete. Eduardo tem como locação o apartamento onde mora ou algum lugar na cidade que ache interessante. A filmagem é feita sozinho e utiliza apenas o seu smartphone em um tripé. Depois ele mesmo faz a edição, o que torna o trabalho particularmente autoral. Os movimentos apresentados são improvisações feitas a partir do local em que está sendo feita a filmagem. Cada lugar tem seus particulares e é partir desta ideia simples que o bailarino dá asas as suas criações. A música é inserida depois na edição, ou não inserida. Alguns vídeos são sem música. O canal já tem dois importantes pianistas como parceiros: João Carlos Assis Brasil e Luiz Castelões. Em