sexta-feira, 29 de setembro de 2017

SEXTA MUSICAL: "ESTÃO VOLTANDO AS FLORES"

por Luciana G. Rugani - para começar bem o final de semana, nada como uma boa música. 
"Estão voltando as flores" é um sucesso de autoria de Paulo Soledade do ano de 1961. Vários cantores gravaram esta música, e neste vídeo podemos ouvi-la através de mais um perfeito trabalho do saudoso Emílio Santiago.
A sua história também é muito bonita. O autor estava doente e desenganado. Foi então que, em certa manhã, o médico chegou na beira de sua cama e anunciou que sua doença havia sido vencida! Foi então que Paulo Soledade compôs esta linda canção que fala de um novo momento, da chegada das flores e da esperança viva de um novo recomeçar que havia em seu coração. 

Paulo Gurgel Valente do Amaral Soledade nasceu em 1919. Fez teatro, entrou para a Força Aérea, fez curso de caça nos EUA voltando como tenente da Força Aérea Americana. Trocou esta carreira pela de tenente da aviação civil. Abandonou esta carreira sete anos depois por problemas de saúde. Foi também um homem da noite, montando a casa "Zum Zum", que abrigou os primeiros ícones da bossa nova.

Gostaria muito que o sentimento de esperança que deu origem a esta música fosse também o nosso, de muitos brasileiros que já não aceitam mais assistir e viver todo esse caos que tomou conta de nosso país. Gostaria que se desenhasse de fato no horizonte uma saída para que voltássemos a ter segurança, paz, que não destruíssem o trabalhador, como estão fazendo, que deixássemos de viver reféns dessa falta de segurança e tivéssemos liberdade de ir e vir em nossas ruas, que as instituições e poderes voltassem a assumir seus deveres e funções sociais, ao invés de servirem aos grupos políticos aos quais estão ligadas. Quem sabe um dia?
Segue abaixo o vídeo com essa bela canção:


https://www.youtube.com/watch?v=TErIO4AxlDc

Fonte das informações: Luís Nassif  - http://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi3110199906.htm

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

CAFÉ CULTURAL EM SÃO PEDRO DA ALDEIA ABRE O OUTUBRO ROSA


48 artistas da Região da Costa do Sol apresentam suas artes em torno do tema “Entrelaços”

Com entrada franca, a IV Edição do Café Cultural inova mais uma vez e reúne 48 talentosos artistas de Cabo Frio, São Pedro da Aldeia, Rio das Ostras, Arraial do Cabo, Araruama e Armação dos Búzios. A programação promete momentos inesquecíveis. A festa multicultural acontecerá no dia 4 de outubro, das 18h às 22h, na Cafeteria Piazza Navona, em São Pedro da Aldeia (Loja Havan).

De múltiplos sentidos, o tema escolhido foi “Entrelaços”. Como bem explica o empresário Francisco Carlos, “são laços de vida, de amizade, do entendimento do homem sobre a mulher, da mulher sobre o homem, do presente com o passado. Da preocupação com o outro. Do entendimento coletivo, dos laços que nos unem a outros”. A “festa multifacetada” é comandada pela jornalista e comunicadora Iva Maria.

O Café Cultural entrelaça gerações e oferece apresentações musicais com o professor multi-instrumentista Celso Cordeiro, o harmonicista (gaitista) Wilson Mendonça e a estudante de violino Maria Alice. A parte poética fica por conta de Elvira Barroso, José Antônio Mendes e o repentista Cláudio Washington. Durante o evento, acontecerá simultaneamente noite de autógrafos com lançamento de livros dos escritores Meri Damaceno, Luciana Branco, Jaqueline Brum, Monica Cabral e Vera Lilian O ator e diretor Yuri Vasconcellos apresenta o esquete “Causos de Cabo Frio” e tem ainda contação de história para adultos com Rosana Andréia e artistas pintando ao vivo.

O Stúdio Fama apresentará o número de Jazz “Telegrama”, com a participação de 10 bailarinas; e o Genesis Fam, Grupo de Dança Urbana, composto por 13 dançarinos, apresentará a coreografia “Felling”. O professor de dança Khristian Giovanney e a dançarina Rebeca Mello vão explorar temas variados da dança de salão. O evento contará ainda com exposições de fotografias de Paulo César Albuquerque; de artesanato com Eliane Guedes, Cristina Moraes, Leomar Cortez e Júnior Cruz; com esculturas de J. C. Moraes; e artes plásticas com Deborah Carmo de Mello, Maria Sofia, Franciscone Fonseca de Araújo e Noédia Eler de Oliveira.

Todos entrelaçados pela cultura. Momentos de saudação à vida, ao amor, à alegria e à amizade. Afinal, todos nós estamos entrelaçados na teia da vida. A entrada é franca, mas quem desejar poderá levar um litro de leite ou uma lata de leite em pó a ser entregue à AAMA - Amigas da Mama de Cabo Frio, que estará presente no evento iniciando a campanha do “Outubro Rosa”. Nada melhor que entrelaçar essa causa com um delicioso café e muito papo do bem! A Cafeteria Piazza Navona está instalada na Loja Havan, Rodovia RJ-140, Km 5, Campo Redondo - São Pedro da Aldeia.

Iva Maria M. de Carvalhaes
(22) 999083807 (telzap)
Redação: Iva Maria e Sylvia Maria

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

PALESTRA: AS MULHERES MIGRANTES E REFUGIADAS NO RIO DE JANEIRO

Convite!
Novo evento da Comissão da Mulher do IAB

Descrição do cartaz: imagem de uma menina de uns 10 anos, com cabelos pretos bagunçados, expressão fechada, casaco grande marrom claro, calça comprida rosa. Ela segura com a mão direita uma mala grande na cor vinho e na esquerda uma boneca de roupinha rosa. A menina se encontra parada em cima de uma linha férrea. Ao redor estão as informações do evento.

Título do evento:
As mulheres migrantes e refugiadas no Rio de Janeiro

Palestrantes:
Aline Thuller: coordenadora do Programa de Atendimento a Refugiados da Cáritas do RJ
Ivanova Galan: assessora legal mexicana da ONU-Habitat
Claudia Elizabeth Troncoso: Professora argentina
Maribel Perez: Religiosa uruguaia da Fraternidade Talitha Kum
Mireille Muluila: refugiada da República Democrática do Congo
Pelagio Huaytalla Sulca: cozinheira peruana
Luciane Cardoso: membro da Comissão da Mulher do IAB
Deborah Prates: presidente da Comissão da Mulher do IAB

10 de outubro de 2017. Terça-feira, às 17h. Plenário do IAB. Av. Marechal Câmara, 210, 5º andar, Centro, RJ.

O evento contará com os intérpretes de LIBRAS Marcos Costa e Vanessa Neves

Serão concedidas duas horas de estágio pela OAB-RJ

Realização: Institutos dos Advogados Brasileiros.
Apoio: Movimento da Mulher Advogada

Inscrições gratuitas: www.iabnacional.org.br/eventos
Informações: (21) 2240-3173.


terça-feira, 26 de setembro de 2017

CORTE DE ÁRVORES NO BAIRRO DA PASSAGEM

por Luciana G. Rugani - Recebemos hoje fotos das árvores cortadas no bairro da Passagem, o que está acontecendo? Há várias denúncias de podas irregulares e cortes de árvores que nos chegam a cada dia, falamos sobre isso no dia da árvore. E foi só passar a data comemorativa para voltarem a matar nossa vegetação?
Seguem abaixo fotos e nova denúncia do CEPMAA. 
Considerando a quantidade de denúncias sobre este assunto, quero dizer que nosso blog encontra-se aberto para aqueles que quiserem enviar fotos sobre corte de árvores. Para isso basta enviar suas fotos com endereço do local para nossa página no facebook "Cantinho das Ideias - Carpe diem Luciana"  ou para o grupo no facebook do CEPMAA 



Fotos do bairro da Passagem, cidade de Cabo Frio/RJ.

por CEPMAA: Coordenador de Meio Ambiente, foi para isso que o senhor queria tanto ser Secretário? Na sua gestão nunca se matou e assassinou tantas árvores nessa cidade, o senhor devia ter vergonha, perseguir nossos membros por vaidade. A falta de dinheiro não é desculpa para incompetência, o Meio Ambiente não se resume apenas ao Parque da Boca da Barra, o abandono é geral.Enquanto em Cabo Frio árvores são cortadas, vejam abaixo fotos da cidade de Araras (SP). Por aí percebemos o quanto em Cabo Frio a mentalidade está atrasada, o quanto a cidade segue no descompasso em tempos em que o verde é algo cada vez mais raro e por isso valorizado.



fotos da Avenida D. Renata, Araras, SP

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

FONTE DO ITAJURU SEGUE FECHADA À VISITAÇÃO PÚBLICA

por Luciana G. Rugani - Em comunicado oficial por e-mail enviado dia 29 de agosto, a Coordenadoria de Comunicação da Prefeitura de Cabo Frio anunciou que no dia 21 de setembro, em comemoração ao dia da árvore, a Fonte do Itajuru seria aberta à visitação pública, com segurança, jardim temático e outras melhorias. Assim dizia o comunicado:

"...Para fechar a programação, no dia 21, Dia da Árvore, acontece a inauguração da Fonte do Itajuru, a partir das 9h. O local passou por reformas, como a troca de todo o gradil e a pintura da guarita. Além disso, a Fonte vai ganhar um jardim temático com plantas endêmicas, como pau-brasil, guapeba, pitangas, aroeira, entre outras. “canteiro cabo-friense, flora nativa”. O projeto Kombination promete animar a entrada do Parque no dia da inauguração, para entreter os visitantes.
Para o secretário de Cultura, Ricardo Machado, a reabertura da Fonte do Itajuru vai abrir uma nova possibilidade de turismo, além de recuperar parte da história de Cabo Frio:
“Não temos dúvidas que a Fonte é um dos marcos mais importantes da nossa cidade e a reabertura vai reavivar a história desta que é a sétima cidade mais antiga do Brasil. E isso vai proporcionar mais uma bela opção para os turistas, de conhecer o local que abastecia a cidade na colonização”, destaca ele.
Para o coordenador de Meio Ambiente, Eduardo Pimenta, quem mais vai ganhar com a reabertura da Fonte é a população e a cidade como um todo: “Vamos dar segurança ao local para que a população possa desfrutar de todo aquele paraíso. O lago também foi revitalizado”, comentou Pimenta".

Hoje nosso blog recebeu do Centro de Estudo e Pesquisa do Meio Ambiente Aquático (CEPMAA) fotos atuais da Fonte do Itajuru através das quais percebemos que infelizmente a abertura à visitação pública anunciada no comunicado não foi efetivada. O local continua fechado e com aspecto de abandono. Lamentável que um ponto histórico de tamanha relevância para a história da cidade siga dessa maneira! É mais um pouco da história que se perde a cada dia e mais um atrativo turístico que fica abandonado.
No facebook há um grupo intitulado "Casarões Antigos, Histórias e Relíquias" destinado a tirar do esquecimento os monumentos históricos de todo o país. O grupo tem mais de 10 mil participantes e o post sobre a fonte do Itajuru já teve mais de 400 curtidas. Através dos comentários podemos perceber a tamanha indignação dos participantes em relação a essa questão.
Seguem abaixo o comunicado da prefeitura, com destaque no trecho sobre a abertura da Fonte do Itajuru, as fotos tiradas hoje pelo CEPMAA e o link e comentários para o grupo do facebook "Casarões Antigos, Histórias e Relíquias". 
Fica aqui também nossa solicitação para que a questão seja resolvida o mais breve possível para que mais este pedaço de nossa história não se perca e possa ser devidamente divulgada para os turistas e cidadãos.


JAQUELINE BRUM LANÇA “PALAVRAS À FLOR DA PELE” NO CHARITAS

por Luciana G. Rugani - O livro de Jaqueline fala sobre um tema do qual as relações pessoais hoje em dia estão muito carentes.
Seu livro versa sobre como as palavras dão voz aos sentimentos e como podemos senti-las. Conteúdo relevante pois vivemos um tempo rico em recursos de comunicação, porém pobre em diálogo, frieza nas relações, com nenhuma ou apenas poucas e frias palavras.
Vale a pena ler!
 _______________________________________
  Este é o terceiro livro da escritora, que contou com a presença de 100 pessoas no lançamento

A escritora Jaqueline Brum lançou o seu terceiro livro, “Palavras à flor da pele”, na noite de sábado (23), na Casa de Cultura José de Dome - Charitas. A cabo-friense recebeu o carinho de amigos, familiares, artistas locais e admiradores do seu trabalho. Mais de cem pessoas prestigiaram o evento que contou também com apresentação do Coral Despertar e da cantora Sarah Dhy, além da presença de escritores da região.

"Foi uma noite emocionante! Estou muito feliz com tudo que vivi no lançamento. É o terceiro livro, mas a emoção é de como se fosse o primeiro. A noite foi linda, emocionante, inesquecível", comemorou Jaqueline.

Durante o evento a autora teve a honra de receber a família do poeta Cardoso da Fonseca, que viajou especialmente para o lançamento. "Recebi muito carinho, muitas homenagens e dividi minha alegria e palavras com todos. Ninguém queria ir embora", completou.

Segundo ela, o livro faz uma reflexão de como as palavras podem dar voz aos sentimentos e de como devem ser sentidas. Além de escritora Jaqueline Brum   é professora, bióloga e palestrante. Recentemente esteve no maior evento literário do país, a 18ª Bienal Internacional do Livro Rio, representando Cabo Frio.

O Charitas está localizado na Avenida Nossa Senhora da Assunção, no Centro. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 20h. A Casa de Cultura conta com exposições artísticas temporárias e permanentes.

Att.
Coordenadoria de Comunicação
Prefeitura de Cabo Frio





quinta-feira, 21 de setembro de 2017

LUTA E CONQUISTAS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

por Luciana G. Rugani - Vejo as datas comemorativas como lembretes para trazermos à tona temas de interesse da sociedade, oportunidade para organizarmos calendários de debates e reflexão sobre a diversidade de temas sociais.
Hoje, além do "Dia da Árvore", é também o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Elizabeth Marge, incansável batalhadora pela causa da acessibilidade, enviou para nosso blog um texto sobre o assunto onde ela faz uma reflexão sobre toda a luta e as conquistas obtidas nos últimos 17 anos. 
Com a palavra, Elizabeth Marge:


Luta e Conquistas das Pessoas com Deficiência

Por Elizabeth Marge

Quando, há 17 anos, nos reunimos nesta mesma praça para elaborarmos em conjunto com outros deficientes os rumos que tomaríamos em relação à acessibilidade da cidade, não imaginávamos que estávamos praticando a acessibilidade atitudinal, que é a tomada de decisão sob um novo olhar para as pessoas com deficiência.

Considero construtiva a crítica de um jornal da época, o qual estampou em suas páginas que a nossa primeira reunião havia sido um fracasso. E foi! E não poderia ter sido diferente, pois há 17 anos ninguém falava em acessibilidade e pessoas com deficiência eram tidas como doentes e fadadas ao confinamento. Como então poderiam chegar até aqui, se nem em suas calçadas podiam chegar?

Hoje é dia de comemorarmos, pois já podemos contar com alguns acessos. E se ainda não estão como gostaríamos, já trilhamos boas rampas de acesso aos nossos sonhos. Hoje podemos ver muitos deficientes pelas ruas, nos ônibus acessíveis, e em vários lugares de nossa cidade, inclusive aqui onde, naquela época, havia somente umas poucas pessoas, entre elas eu, Maria Helena e mais dois ou três cadeirantes mais “metidinhos”.

Neste tempo, sou grata aos nossos dois prefeitos por terem ouvido e realizado meus pedidos quanto às acessibilidades. Sou grata a todos que durante esses 17 anos fizeram valer a acessibilidade atitudinal.

Eu entendo que uma cidade é para seu povo e, sendo assim, não pode discriminar nenhum biotipo e para isso o desenho universal deve ser utilizado acessibilizando todos os lugares. Só assim a cidade será plenamente nossa.

Hoje podemos comemorar a efetivação da Lei 13146 de 2015 que promove e protege os direitos de aproximadamente 45 milhões de pessoas com deficiência, cerca de 24% da população, de acordo com o censo de 2010. Após 15 anos de tramitação no Congresso Nacional, o Estatuto da Pessoa com Deficiência é transformado em Lei Brasileira de Inclusão. Abre-se com ela um ciclo de avanços, ampliação de direitos e maior visibilidade das pessoas com deficiência.

O grande atributo dessa lei é que essa é uma conquista de toda a sociedade. Enquanto a deficiência antes era vista apenas como algo restrito à pessoa, agora passou a ser o resultado da ausência de acessibilidades que a sociedade e o meio ambiente tanto precisam e merecem. Em poucas linhas, traduz algo que sempre pensamos a respeito das diferenças: nós não somos iguais. E, fazendo uma alusão ao nosso digníssimo Rui Barbosa, é pela promoção da desigualdade que se alcança a igualdade. E ainda, eu acrescento que, pela distinção legislativa, tivemos um novo olhar para a inclusão, utilizando-nos da acessibilidade atitudinal.

ESCRITORA CABO-FRIENSE LANÇA O LIVRO “PALAVRAS À FLOR DA PELE” NO CHARITAS

Foto: Jaqueline Brum
Cerimônia acontece neste sábado (23) com apresentações musicais


A Casa de Cultura José de Dome - Charitas, será palco do lançamento do livro “Palavras à flor da pele”, da escritora cabo-friense Jaqueline Brum, no próximo sábado (23). A cerimônia acontece a partir das 18h com apresentação do Coral Despertar e da cantora Sarah Dhy, além da presença de escritores da região.

O livro faz uma reflexão de como as palavras podem dar voz aos sentimentos e de como devem ser sentidas. “Quantas palavras cabem em um abraço ou em um sorriso? Percebemos que muitas palavras não traduzem todo o sentimento e elas precisam ser sentidas”, disse a autora Jaqueline Brum.

Este é o terceiro livro lançado por Jaqueline, que além de escritora é professora, bióloga e palestrante. Recentemente, a cabo-friense esteve no maior evento literário do país, a 18ª Bienal Internacional do Livro Rio, representando a cidade.

O Charitas está localizado na Avenida Nossa Senhora da Assunção, no Centro, e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e das 14h às 20h aos sábados, domingos e feriados. A Casa de Cultura conta com exposições artísticas temporárias e permanentes.

Att.
Coordenadoria de Comunicação
Prefeitura de Cabo Frio

NO "DIA DA ÁRVORE", UMA TRISTE MOSTRA DA REALIDADE ENFRENTADA POR NOSSAS ÁRVORES

por Luciana G. Rugani - Recebemos estas fotos e mais este pedido de divulgação do CEPMAA - Centro de Estudo e Pesquisa do Meio Ambiente Aquático. 
Segundo nos foi informado, o CEPMAA, juntamente com a comunidade no entorno da praça onde ela está localizada, está ajudando a salvá-la.
Triste matéria para postarmos no Dia da Árvore, mas, justamente por isso, fica aí nosso apelo para que neste dia reflitamos sobre como temos tratado a natureza em geral e em especial as árvores de nossa cidade.


por CEPMAA - Esta árvore foi envenenada em pleno mês das árvores, ela vivia em uma praça  ao lado do CRIAAD, antigo CRIAM, na Av. Wilson Mendes, na cidade de CaboFrio/RJ. Por onde anda a fiscalização? Comemorando o dia da árvore? O CEPMAA, junto com a comunidade no entorno da praça, está tentando salvá-la.

domingo, 17 de setembro de 2017

FORMIGUEIRO CONTRAPRODUCENTE

por Deborah Prates
Presidente da Comissão da Mulher na empresa IAB - Instituto dos Advogados Brasileiros


Sinto-me acariciada assistindo, na prática, os efeitos dos exercícios de acessibilidade atitudinal que venho fazendo no IAB. Ouço as pessoas comentando que o meu trabalho de formiguinha vem surtindo efeito.

Fiquei a refletir sobre isso. Concluí que não. Afinal, as formiguinhas fazem um trabalho coletivo, de modo que o todo é bem maior que a soma das partes. Há uma sinergia e empatia que paira no ar! Poxa, que bacana se o seguimento acreditasse na transformação social via educação! Se não ficasse - tão-só - pedindo novas leis... aumento nas multas... A educação é tudo! Creio na atitudinal como alavanca transformadora.

Vou dividir com todas, todes e todos uma singela passagem que, para mim, significa muito e tem a ver com o 21 de setembro.

As mulheres com deficiência sempre estiveram nas entrelinhas da história, já que esquecidas e negligenciadas pela coletividade. A voz falada ou escrita lhes é negada, até mesmo por suas pares. É mais fácil deixá-las na invisibilidade do que efetivar os seus direitos fundamentais, valendo, para estes comentários, ressaltar as acessibilidades em todas as suas nuances.

Na condição de presidente da Comissão da Mulher, procurei o presidente nacional do IAB - Dr. Técio Lins e Silva - para explicar-lhe a necessidade de ser colocada uma rampa de acesso no tablado localizado no plenário, proporcionando, assim, igual oportunidade a todas as pessoas que queiram ocupar o espaço. Sabia que, pela conjuntura histórica do IAB, não seria nada simples.

Aduzi, por exemplo, que uma mulher cadeirante, se convidada para um evento, não teria autonomia e independência para participar da mesa, ante a ausência de acessibilidade. Enfatizei os fundamentos e objetivos da república. Discutimos, apresentando e contrapondo razões, em iguais condições de argumentação, o que nos levou as várias reflexões e, finalmente, ao deferimento do pedido. Nem acreditei! Depois de 174 anos de existência o IAB terá uma rampa!

Tive a certeza que a fratria é o mote do Instituto. Constatei que a fraternidade age como modo de coibir a desigualdade. Nesse particular, registro que a contratação de intérpretes para a LIBRAS nos eventos da Comissão da Mulher sempre foram bem recepcionados, numa demonstração de consciência na ruptura das barreiras atitudinais, as quais impedem o cumprimento da legislação acerca das acessibilidades.

Logo, a fratria e a solidariedade funcionam no IAB como eixos para a reconstituição dos laços sociais. Lindo!

Por essa boa notícia é que a Comissão da Mulher - integradora de minorias e de singularidades - adiou o evento que faria em 21 de setembro - dia da conscientização da luta das pessoas com deficiência no Brasil - para nova data. Então, a mulher com deficiência física poderá subir, com dignidade, a rampa de acesso ao tablado para palestrar, juntamente com as suas iguais, em equiparação de condições. Afinal, todos os dias do ano também são nossos!

As mulheres com deficiência são muito mais violentadas, física e simbolicamente, que as sem deficiência. Portanto, precisam ser ouvidas para que possam contar à sociedade sobre a violência que também sofrem decorrente de gênero. Precisam ser empoderadas para que participem do processo democrático em todos os campos sociais, políticos e econômicos. Compete, da mesma forma a esse nicho populacional, participar de debates públicos e tomar decisões que sejam importantes para o futuro da sociedade. Certo é que o feminismo é um movimento de transformação social.

O IAB está construindo um novo conceito sobre as pessoas com deficiência, sendo tal ressignificação essencial para a verdadeira inclusão. Mexer e romper com a cultura que está posta faz séculos não é tarefa fácil. Voltar os olhos para dentro de si e checar o que está certo e errado e ter a ousadia de mudar tudo para prosseguir com novos paradigmas é nutrir o nobre sentimento da humildade.

Sinto-me orgulhosa e honrada em integrar os quadros do IAB.

Deborah Prates
 (advogada e feminista)

sábado, 16 de setembro de 2017

BAIRRO MAIS ANTIGO DE CABO FRIO É CENÁRIO DE ROTA DE FUGA DE BANDIDOS NA NOVELA "A FORÇA DO QUERER"

Foto: Lucas Muller / Secretaria de Turismo
Juliana Paes interpreta uma traficante escondendo-se na Passagem, bairro histórico de Cabo Frio

por Luciana G. Rugani - Não assisto a essa novela, mas penso que esse tipo de conteúdo já existe demais na vida real e não precisamos alimentá-lo ainda mais. E aceitar que a cidade seja divulgada nesse tipo de contexto é lastimável! Isso é desconstruir a imagem de uma cidade. 
Merecia sim uma nota de repúdio nesse sentido, conforme sugere o autor do texto abaixo. E, além disso, o poder público, ao invés de divulgar esse tipo de abordagem da cidade, deveria era aproveitar o tema trazido pela novela e levantar o assunto "criminalidade" junto às autoridades competentes pela segurança, cobrando providências mais eficazes no combate ao crime. 
Há que se ter todo cuidado ao fazer divulgação, principalmente em veículos de massa, pois trabalha-se com imagem criada na mente das pessoas, muitas vezes até subliminarmente. Transmite-se uma impressão que permanece e depois fica difícil desfazê-la. Se o que se quer é atrair turistas de qualidade, ao invés de enfatizar e aplaudir a vinculação do nome da cidade a uma rota de fuga de bandidos, deveria era buscar melhorias na infraestrutura da cidade, principalmente a segurança, preparando-a para recebê-los e, ao mesmo tempo, divulgando suas potencialidades, seus atrativos e diferenciais construtivos.
Segue abaixo texto postado no face sobre o assunto:

por Cabo Frio Histórico - Notícia triste e lamentável para nós cabofrienses.
A cidade de Cabo Frio abre as portas para a TV Globo filmar cenas da novela das oito onde traficantes vêm se esconder em nossa cidade. As cenas serão filmadas no bairro histórico da Passagem. Me admira a prefeitura aceitar que esta emissora imunda venha fazer apologia ao crime e manchar um bairro tão importante de nossa cidade, que preserva a história da nossa querida e tão estimada Cabo Frio!
É muito amadorismo mesmo da parte do nosso governo, não entrar com um recurso de indignação ou repúdio a essas práticas tão deploráveis, que afetam nosso turismo e mancham a nossa cidade, pois aparecer na Globo dessa maneira é jogar no lixo nossos valores como uma cidade de potencial turístico dos mais diversificados. Parabéns prefeito pela tamanha burrada cometida!
Obs: as cenas serão filmadas no bairro da Passagem, mas na trama será uma cidade do Nordeste. Muito absurdo!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

CURSO DE ARTESANATO EM CABO FRIO

DIVULGANDO OPORTUNIDADE

CURSO DE ARTESANATO EM CABO FRIO


por Solange São Pedro - Atenção galera, curso de artesanato iniciando dia 19 de setembro, às 09:00h, na Rua Fonseca Jordão, 489, rua lateral da Lago tintas, no Jardim Caiçara. 
Teremos os cursos de Decoupage, pintura em tecido, bordados em geral, artes em feltro, artes em EVA, artes em reciclagem, bonecas, costurinhas, croché e em breve teremos outros cursos!!! 
Venha nos visitar e conhecer o nosso trabalho! Preços a partir de 10,00 reais, promoção de inauguração!!!


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

AS PEDRAS LANÇADAS AJUDARAM NA SOLUÇÃO DA QUESTÃO?

por Luciana G. Rugani - O então prefeito Alair Corrêa começou a governar em 2013 com a obrigação de pagar um plano de cargos totalmente em desacordo com a capacidade financeira do município. O governo anterior (cujo prefeito é o mesmo de hoje) aprovou, em final de mandato (2012), o plano de cargos que, na época, muitos entendidos do assunto disseram ser um plano que Cabo Frio não suportaria pagar. O prefeito Alair assumiu essa obrigação, e vinha lutando para pagar as contas até que veio a queda brusca dos royalties, que praticamente zeraram, além da queda dos demais repasses devido a crise nacional. Vieram atrasos de salários, greves, e em 2016 ele foi impedido de obter o empréstimo que foi questionado na justiça pelo governo que hoje aí está. 
Agora vemos novamente as greves, os atrasos de salários, além de fechamento de escolas e hospitais, mas agora o governo afirma necessitar do empréstimo para conseguir pagar as despesas. O mesmo governo que ontem impediu, por interesses políticos, a obtenção do empréstimo por Alair. 
Eu não poderia de deixar de registrar aqui esse importante depoimento de Alair Corrêa porque hoje percebemos claramente como que por interesse político se julga e se esquece de uma cidade inteira. A solução que poderia ter vindo lá atrás e evitado tanto sofrimento e que foi impedida, agora é desejada. E ainda, quantos cidadãos que jogaram pedras, não só no governo na época, mas também em nós, que defendíamos uma ideia. Quantos "amigos", no final do mandato, deixaram de ser nossos "amigos" apenas porque exercíamos com respeito o nosso legítimo direito de opção política, quantas ofensas inócuas, diretas e indiretas.
Fica a pergunta: as pedras lançadas ajudaram na solução da questão? 
_____________________________________

A MALDADE QUE QUASE MACULOU UMA HISTÓRIA!

"Sofri a maior perseguição da história política local. Fui chamado de incompetente, mau gestor e até de "ladrão". Mesmo dizendo, repetidamente, que a arrecadação não dava mais para pagar a folha, preferiram acreditar no desonesto do Marquinho. HOJE VEJO O ATUAL PREFEITO ATRASAR SALÁRIOS E NA CARA DE PAU DIZER QUE NÃO TEM DINHEIRO. Logo ele que dizia que eu mentia quando atrasava! Agora com seu CHORORÔ ele mostra a população que sempre falei a verdade.
Administrei Cabo Frio de 1997 a 2004 com aproximadamente R$ 300 Milhões dos Royalties. Com esses recursos saneamos e pavimentados 2/3 da cidade. Já Marquinho "administrou" de 2005 a 2012 e teve a astronômica verba de R$ 2,8 BILHÕES (DOIS BILHÕES E OITOCENTOS MILHÕES DE REAIS) Só dos Royalties. Ou seja, teve 10 vezes mais do que tivemos e não fez nada. Em tempo: Os Royalties cresceram a partir de 2005 quando Cabo Frio foi integrado ao grupo dos grandes produtores e passou a receber também as famosas trimestrais. Com sua inclusão passou a receber em 2005, R$ 16 milhões/mês e R$ 38 milhões por trimestre. No ano, a prefeitura com MM passou a receber R$ 350 Milhões. Enquanto, com a CRISE nos últimos anos do meu Governo a parcela caiu dos R$ 350 Milhões para apenas R$ 70 Milhões por ano, quando a despesa com o pessoal era de R$ 400 Milhões de Reais. O triste é que com o recebimento mensal de R$350 Milhões, Marquinho não fez uma grande obra, não fez nenhum projeto para por fim na eterna dependência da cidade com o petróleo, nem pagou um mês de salário ao servidor, já com o PLANO DE CARGOS incluído.
Ciente de ter jogado R$ 3 BILHÕES pelo ralo e para não ser desmascarado, ele precisava criar despesas para o sucessor. Foi então que fez o PCCR. Na ocasião até achei que fora por vingança ou para me destruir politicamente. Mas hoje sinto que deixou foi um super gasto de R$ 150 milhões com a folha para se proteger. É simples de entender; se com R$300 milhões em oito anos mudamos a cidade, qualquer um que se elegesse, com TRÊS BILHÕES faria uma revolução social, cultural e turística em Cabo Frio.
Nos dois primeiros anos do meu governo reduzi os projetos de obras para ajustar o orçamento aos novos gastos com o PCCR. Conseguimos nesse período pagar o PLANO integralmente e na data do vencimento. Mas, em 2015 e 2016 a CRISE chegou no Brasil, a explosão da Lava Jato e a queda dos Royalties de R$ 350 Milhões para sofríveis R$ 60 Milhões em 2016, quando entramos nas turbulências políticas que todos presenciaram por não conseguir pagar a Folha em dia.
LEMBRETE: Diferente dele, que foi responsável por eu não ter conseguido o empréstimo que teria salvado a mim e a cidade, acho que ninguém deve se opor agora. Ele não conseguirá pagar salários em dia e o 13º sem a entrada de dinheiro nos cofres."

Alair Corrêa

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

SÉRIE: VÍDEOS ANTIGOS DE CABO FRIO - CIA. NACIONAL DE ÁLCALIS

por Luciana G. Rugani - A Companhia Nacional de  Álcalis, criada  durante o governo do presidente Getúlio Vargas, foi uma empresa brasileira produtora de barrilha e sal. Assim como na época foram criadas a CSN (Cia. Siderúrgica Nacional), a Vale do Rio Doce e a Fábrica Nacional de Motores, o objetivo do governo era impulsionar a industrialização no Brasil.
Instalada onde hoje é Arraial do Cabo, a Álcalis teve grande participação no desenvolvimento da região. Privatizada em 1992, no governo Collor, a companhia interrompeu sua produção em 2006.
Abaixo segue um vídeo da época de sua instalação e algumas explicações do prof. Achilles Pagalidis


Companhia Nacional de Álcalis

por Achilles Pagalidis - A história da CNA foi, certamente, uma das mais atribuladas de todas as empresas estatais brasileiras criadas no período.
Correlacionando fases político-administrativas do Brasil, entre 1942 e 1960, com etapas da trajetória da Álcalis, pode-se dizer de forma sucinta: a Companhia foi concebida no Estado Novo; deixou o plano virtual, no sentido de vir a ser, no segundo governo de Vargas, quando foi possível iniciar a fase executiva do projeto de engenharia, após a formalização dos contratos de financiamento e assistência técnica; e efetivou sua primeira produção, em 08 de abril de 1960, na conjuntura de expansão do setor industrial formulada por meio do Plano de Metas134 do governo Juscelino Kubitschek. (Fonte: “A Patrimonialização de Remanescentes do processo de industrialização: O legado da Cia. Nacional de Álcalis” - Cláudia Machado Ribeiro, 2012)

Paralelamente às obras, os setores técnicos da Álcalis trabalhavam no contato com os fornecedores franceses, procurando agilizar a formalização dos contratos referentes à montagem da indústria, tudo sob supervisão do BNDE. O gerenciamento desses dispêndios exigia uma rotina que chegava até Paris. Na capital francesa, o Escritório Técnico da Álcalis, funcionando em caráter temporário, tinha por objetivo dar celeridade aos contratos celebrados entre a Álcalis e a empresa Krebs & Cie., além dos investidores e fornecedores franceses, a saber: o Crédit Lyonnais Worns & Cie., a Compagnie Française d'Assurance pour le Commerce Éxterieur, e a Comptoir Internationale d'Achetes et Ventes a l'Étranger (Ciave). ( Fonte: “Vagas da modernidade: a Companhia Nacional de Álcalis em Arraial do Cabo (1943-1964)” - Walter Luiz C. de Mattos Pereira, 2010)

Em destaque, imagens mostrando a visita do governador Ernani do Amaral Peixoto as obras para instalação da Álcalis. (Agência Nacional, 1950)

terça-feira, 12 de setembro de 2017

ALERTA DO CEPMAA - DESCARTE DE LIXO EM FRENTE A PONTO TURÍSTICO

E segue o problema do lixo em frente a um dos principais pontos turísticos da cidade. Toda semana a história se repete. 
Postamos aqui no dia 28 do mês passado uma matéria sobre o assunto (clique aqui para ler), mas o problema continua. 
O ponto de lixo que se formou em frente ao convento, em pleno centro da cidade, segue ativo. Problema sério, resultado da total falta de conscientização das pessoas e também da inabilidade do poder público em controlar a questão da limpeza.
As empresas que recebem do município para manter a cidade limpa (e não é pouco o que recebem) precisam se organizar de forma a evitar que se formem pontos crônicos de descarte de lixo. 
Nos pontos turísticos então, isso é inadmissível. Essa é a impressão que o turista levará de nossa cidade:

 

Fotos retiradas hoje em frente ao Convento, no centro da cidade.

por CEPMAA - Essa é a impressão que um turista vai levar da nossa cidade: uma lixeira na frente de um famoso ponto turístico. Cidade que trata sua historia assim não merece ser visitada.

SETEMBRO, MÊS DAS ÁRVORES, VALE PERGUNTAR: COMO SÃO TRATADAS AS ÁRVORES DE NOSSOS PASSEIOS PÚBLICOS?

por Luciana G. Rugani - neste mês de setembro, mês das árvores, costuma-se promover doações de mudas, exposições de plantas e outras ações que buscam conscientizar sobre a importância das árvores e da natureza em nossa vida e na vida de nosso planeta. Medidas relevantes, sem dúvida. Mas penso que também é o momento de refletirmos sobre como tem sido a nossa relação com as árvores e a natureza durante todo o ano. Como temos tratado estes seres vivos durante todos os dias do ano, e não somente no dia da árvore, ou no mês da árvore.
Postamos aqui no blog vários alertas do CEPMMA - Centro de Estudo e Pesquisa do Meio Ambiente Aquático sobre podas inadequadas que as árvores de nossa cidade vêm sofrendo diariamente, sem o devido acompanhamento técnico (clique aqui para ler). Agora, no mês de setembro, o CEPMMA fará uma amostra com fotos das árvores de nossos passeios públicos que têm sofrido podas inadequadas e muitas vezes até mesmo cortes desnecessários. Iniciativa oportuna, da qual compartilhamos ajudando a divulgar:

por CEPMMA - O CEPMAA fará uma amostra no mês de setembro, ou melhor, no mês das árvores, de fotos das árvores dos passeios públicos de nossa cidade.
Não vamos plantar uma muda nesse mês, ao contrário, vamos refletir na dor destes seres. 
Durante o ano inteiro são cometidos crimes ambientais contra as árvores dos passeios públicos por entidades que deveriam proteger, porém, quando chega essa época do ano, prefeito planta muda, distribuem mudas nas praças, fazem exposições de orquídeas, e as mesmas mudas plantadas nessa época são abandonadas à própria sorte depois. Até quando os verdadeiros ambientalistas que não se encontram nessas entidades vão se calar? O CEPMAA não faz hipocrisia com a vida:

  

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

A MAIS BELA POESIA DE CABO FRIO

foto: Rodrigo Padula
foto: Ernesto Galiotto

 Cabo frio, em poesia

O mar em cores,
Com suas ondas,
Beijando as pedras do forte São Matheus,
Tocando a ilha dos papagaios,
E do outro lado
Acariciando as rochas das ilhas cabistas.
Revigora-se duas vezes ao dia
Entrando no canal do Itajuru,
Onde toca carinhosamente as cidades vizinhas,
SÃO PEDRO, ARRAIAL DO CABO, IGUABA E ARARUAMA.
Como a mãe perfeita,
Deixa os filhos na lagoa
Para longe do perigo crescerem
E retornarem ao grande Oceano.
Então as águas retornam lindas,
Fazendo o mesmo caminho do Forte São Matheus,
Por onde entraram
Novamente invadindo as profundezas oceânicas,
Misturando-se já com os filhos,
Não mais indefesos.
Isso Cabo Frio nos oferece!
Deitando nas areias das dunas,
Podemos viajar sem pranchas nessas ondas,
Surfando na poesia
Que a mais linda terra pode nos oferecer.

Alair Corrêa

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

COMO SÃO FORMADOS OS "RIOS AÉREOS"

por Luciana G. Rugani - seguem abaixo duas explicações muito esclarecedoras sobre o papel da Floresta Amazônica na regulação das chuvas no continente.
No vídeo, Antônio Donato Nobre, pesquisador e cientista  do Centro de Ciência do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), explica de forma bem didática todo o processo.
É importante conhecermos e divulgarmos, principalmente agora que o governo federal, em mais uma de suas nefastas ações, pretende incentivar a destruição da Amazônia.
__________________________________________
A bomba biótica da Floresta Amazônica funciona como o coração do ciclo hidrológico e sistema circulatório na América do Sul. Temos dois corpos de água, o oceano azul, que já conhecemos, e o oceano verde, a floresta. A transpiração da floresta é tão grande quanto a do oceano, mas a condensação de nuvens na floresta é muito maior por causa do "pó de pirlimpimpim" (como chamou o professor), que são as partículas de odores das plantas que estão no ar! Essas partículas são atraídas por água, ou seja, buscam móleculas de água no ar e se juntam com a umidade da transpiração das árvores (que o professor chama de "geisers da floresta") formando nuvens! Porque a condensação é maior na floresta, a pressão abaixa e puxa o ar úmido do oceano. Eis a bomba biótica. Daí a Amazônia envia essas nuvens em forma de rios voadores para o sul do continente. Se os familiares rios são análogos às veias, que drenam a água usada e a retornam para a origem no oceano, os rios aéreos são as artérias, que trazem a água fresca, renovada na evaporação do oceano.

Sustentabilidade Ideal: Eco educação e cidadania.

Via: Árvore, ser tecnológico.
https://www.facebook.com/SustentabilidadeIdeal

Vídeo sobre "Rios Voadores" - Antônio Donato Nobre:



Leia também: "A seca no Sudeste e a destruição da Floresta Amazônica"

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

ATENÇÃO! PESSOA DESAPARECIDA. VAMOS DIVULGAR!

 
 Atualização - 05/09/17:

Agradecemos aos leitores e amigos que ajudaram a divulgar. 
Infelizmente o caso teve um triste desfecho conforme postagem no facebook do tio de Mateus. 
Segue abaixo:


por Achilles Pagalidis - Numa situação de desaparecimento como esse podemos esperar o melhor e o pior do caso. Assim, agradeço o empenho, a divulgação, as mensagens e toda ajuda de todas as partes do Brasil que tivemos, mas infelizmente estivemos no IML agora de manhã e reconhecemos o corpo do meu sobrinho Mateus... Que Deus conforte o coração de nossa família e de todos que amavam o Mateus!

____________________________
  Caros leitores e amigos,

Mateus Pagalidis, filho do amigo Evangelos Pagalidis, encontra-se desaparecido após sair de um show em São Paulo. Vamos compartilhar para ajudar a encontrá-lo.
Qualquer informação, entrar em contato no tel.: (22)99223-5647 ou no facebook de Evangelos.
Abaixo segue a postagem do seu pai com as últimas informações:

por Evangelos Pagalidis - (em 03/09) Boa noite amigos,
Meu filho Mateus Pagalidis viajou ontem para São Paulo para assistir um show (Get Up Kids) com alguns amigos de Cabo Frio. Terminando o show ele teve interesse em uma outra festa e se separou do grupo.A única informação que possuímos até o momento é proveniente de um taxista que informou ter tido contato com Mateus pela manhã, ao entrar no veículo estava muito confuso e dizendo ter sofrido um golpe. Segundo este motorista, ele saltou próximo a Ponte da Casa Verde. Infelizmente esta foi a última informação de seu paradeiro. Peço encarecidamente aos amigos que caso haja alguma informação sobre ele, informe-nos.
Muito obrigado!

domingo, 3 de setembro de 2017

VEM AÍ O IV PRÊMIO RADIOTELEGRAFISTA AMARO PEREIRA DE CRÔNICA

Por Luciana G. Rugani - Começa hoje, 3 de setembro, o prazo de inscrições para o IV Prêmio Radiotelegrafista Amaro Pereira de Crônica. O concurso é aberto para todos os brasileiros ou estrangeiros e as crônicas devem estar em português. 
Segue abaixo o edital completo do concurso. 
Participem!


EDITAL DO IV PRÊMIO RADIOTELEGRAFISTA AMARO PEREIRA DE CRÔNICA
IV PRÊMIO RADIOTELEGRAFISTA
AMARO PEREIRA DE CRÔNICA
EDITAL/15 - 2017
REGULAMENTO
1. Participantes:
1.1. Qualquer cidadão brasileiro ou estrangeiro, sendo que as crônicas inscritas estejam em língua portuguesa.
1.2. A idade mínima para participação do concurso é de 12 anos.
2. Período de inscrição:
2.1. Início: 03 de setembro de 2017.
Término: 28 de outubro de 2017.

2.2. As inscrições são aceitas até o dia 28 de outubro de 2017.
2.3. As inscrições poderão ser feitas via e-mail. Enviar até a data limite para: poesiarte@hotmail.com
3. Categoria:
3.1. Crônica – 1 (uma) por concorrente, com máximo de 2 (duas) laudas (folhas).
4.Tema: Futebol, uma arte do passado.
4.1. O objetivo do tema é estimular a criatividade dos participantes. Levando também a contar fatos engraçados, interessantes do futebol amador ou profissional do passado.
5. Textos:
5.1. Deverão ser escritos em língua portuguesa (idem ao item 1.1), digitados em papel branco A4, de um só lado da folha em fonte Arial ou Times New Roman, tamanho 12, espaço 1,5, em 6 (seis) vias (cópias).
5.2. Não serão aceitos trabalhos manuscritos, ou seja, fugir do padrão exigido. (ver item 3.1)
5.3. Os trabalhos deverão ser inéditos, isto é, ainda não publicados em nenhum meio de comunicação ou em livro e principalmente por sites ou blogs na internet.
5.4. Os textos deverão conter exclusivamente o título da obra e o pseudônimo do autor.
5.5. Os pseudônimos não deverão guardar qualquer semelhança com o nome, apelido ou outro fator de identificação do concorrente, pois se houver o inscrito será eliminado.
5.6. Casos de plágios serão denunciados pela organização do concurso.
6. Apresentação dos trabalhos por via e-mail.
Segue o modelo de ficha de inscrição:
Nome completo;
Cidade de origem:
Data de nascimento completa:
Cidade que representa:
Atividade que ocupa:
Título da crônica:
Pseudônimo:
Site ou blog:
E-mail:
Endereço postal:

6.1. Caso o inscrito não preencher devidamente o formulário acima não estará qualificado para o certame do concurso.
6.2. Não haverá devolução dos trabalhos recebidos.
6.3. Os trabalhos que não obedecerem às regras deste concurso serão automaticamente desclassificados.
6.4. As crônicas enviados por via e-mail deverão estar em documento Word, seguindo as especificações do item 5.1.
6.5. Não serão aceitas inscrições através de PDFS ou digitalizações.
7. Julgamento:
7.1. O corpo de jurados será formado por profissionais da área, altamente qualificados pela Comissão Organizadora do Concurso, que serão conhecidos e apresentados brevemente no blog.
7.2. As decisões do júri são soberanas e irrecorríveis.
7.3. Serão ainda critérios para o julgamento das obras inscritas:
a) Vocabulário. 
b) Conotação (uso de figuras de linguagem).
c) Estrutura narrativa (enredo, narrador, personagem, tempo, espaço e discurso).
d) Intertextualidade.
e) Criatividade.

7.4. Cada item acima valerá 20 pontos, o somatório de todos os itens é de 100 pontos.
7.5. Serão 06 (seis) jurados que farão suas avaliações e irão comentar cada obra finalista, dando o resultado final após o somatório dos pontos.
7.6. Manter o texto dentro das dimensões propostas no Regulamento.
7.7. Não serão aceitos trabalhos fora do tema estipulado.
7.8. Trabalhos com menções pornográficas, preconceituosas (cor, raças, sexo, religião, etc) serão automaticamente eliminados pelo júri.
7.9. A comissão organizadora decidirá sobre as omissões deste regulamento, depois de ouvida a opinião do júri.
8.Divulgação dos resultados:
8.1. A divulgação dos poemas inscritos com os seus pseudônimos será feita através do blog do concurso.
8.2. O resultado final do concurso será no dia 18 de novembro de 2017.
8.3. Tudo será divulgado no blog do concurso.
8.4. Caso ocorra atrasos nos resultados as datas serão modificadas e os inscritos saberão através do blog.
9. Premiação:
9.1. O primeiro colocado receberá um diploma, um livro e medalha.
9.2. O segundo colocado receberá um diploma, um livro e medalha.
9.3. O terceiro colocado receberá um diploma, um livro e medalha.
9.4. Caso no decorrer do concurso a comissão organizadora possa adquirir patrocínios, os prêmios serão mais pomposos com a realidade do concurso.
9.5. Não será permitido empate.
9.6. Disposições Gerais:
9.6.1. O IV PRÊMIO RADIOTELEGRAFISTA AMARO PEREIRA DE CRÔNICA se reserva no direito de publicar as crônicas inscritas, vencedoras ou não, em livros, ficando explícito que o ato de inscrição através da ficha implica em autorização para publicação.
9.6.2. Os autores das crônicas publicadas serão automaticamente avisados por via e-mail.
Cabo Frio, 02 de setembro de 2017.
Rodrigo Octavio Pereira de Andrade (Rodrigo Poeta)
Coordenador e idealizador do IV PRÊMIO RADIOTELEGRAFISTA AMARO PEREIRA DE CRÔNICA


Edweine Loureiro
Coordenador de Divulgação pela Internet do IV PRÊMIO RADIOTELEGRAFISTA AMARO PEREIRA DE CRÔNICA

APOIO:

NOTICIÁRIO DOS LAGOS
ABRAONG

PORTAL ÁRABE ALTO TIETÊ

Fonte das informações: Rodrigo Octavio Pereira de Andrade (Rodrigo Poeta)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...