sábado, 26 de agosto de 2017

ENTREVISTA COM GABRIEL AZEVEDO: EMPREENDEDORISMO, POLÍTICA, TECNOLOGIA

O vídeo abaixo é um convite para assistir à entrevista com Gabriel Azevedo sobre vários assuntos: empreendedorismo, política, tecnologia a favor de um exercício realmente eficaz de cidadania e de maior legitimidade na representação democrática. Vale a pena assistir à chamada e também clicar no link para assistir à entrevista completa. Destaco alguns pontos principais dessa conversa muito produtiva com Gabriel e que vale para qualquer pessoa que queira empreender, que lide com política ou que esteja político:

Algumas dicas para quem deseja empreender:
- errar não pode fazer você parar;
- resiliência é a palavra mais importante em qualquer desafio;
- vale a pena aprender com quem já trilhou o caminho que você vai fazer;
- não subestimar a importância de como o dinheiro é conseguido para qualquer iniciativa. Às vezes pode valer a pena não ir adiante se for muito complicado atingir um status de tranquilidade financeira;
- tentar ignorar os dados antes de começar qualquer caminhada. É importante conhecer o terreno e analisar todo o mapa da situação;
- observe os problemas antes de iniciar qualquer empreendimento que te traga satisfação, ou seja, tentar antes resolver as questões que ainda estão abertas para não se precipitar deixando ser levado somente pelo entusiasmo;
- antes de qualquer empreitada, buscar desenvolver a habilidade de atuar em equipe.

Sobre política, destaco a fala de Gabriel onde ele diz que hoje ele "está político", pois, muito além da política, ele é um cidadão, um empreendedor. Ele afirma que a política não é algo que deve ser o único oficio do cidadão, não deve ser o ofício que o remunera. Você estar político é servir à política e não o contrário.

E ainda, Gabriel comenta sobre o aplicativo criado por ele e que pode e deve ser "copiado" por todo o Brasil, pois ajuda com que o eleitor esteja mais efetivamente representado por seus eleitos. E também fala sobre a cláusula de autonomia que ele tem assinada com seu partido e que permite que ele vote de acordo com suas próprias convicções e não precise seguir nenhuma diretriz do mesmo. Gabriel faz parte de um partido porque isso é exigência legal para que o cidadão ocupe cargo político. Este é um dos pontos que ele acha que deveria ser mudado no sistema político brasileiro

Abaixo segue o vídeo de chamada. Clique aqui para assistir à entrevista completa:

video
Luciana G. Rugani
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...