Pular para o conteúdo principal

ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE CABO FRIO - ALACAF

"Academia de Letras e Artes de Cabo Frio- ALACAF. 

É com enorme satisfação que consolidamos a Fundação da Academia no dia 06 de Abril de 2018, junto à LITERARTE - Associação Internacional de Escritores presente em 19 países - no Castelo de Itaipava.
A proposta de uma nova Academia na cidade de Cabo Frio partiu da Izabelle Valladares, presidente da LITERARTE e, desta forma, a ALACAF teve a oportunidade de ter sua fundação integrada a um evento de grande importância acadêmica nacional e internacional em que se realizou um maravilhoso intercâmbio cultural, levando o nome da nossa Cabo Frio para o Brasil e para vários outros países. Com certeza é o início de uma longa caminhada. 
A ALACAF é de Cabo Frio e dos Cabo-frienses. Cabo Frio é uma cidade de grande importância histórica, é terra de Teixeira e Sousa, primeiro romancista brasileiro e precisava de uma Academia de Letras atuante. A Literatura é uma arte muito importante! Registra e guarda a história e a memória de um povo. É um grande desafio, mas que, por amor a cultura, estamos enfrentando com o apoio e incentivo de muita gente talentosa. Vamos plantar esta semente que promete gerar muitos frutos para as futuras gerações, deixando um legado aos cabo-frienses.
A ALACAF seguirá todos os requisitos básicos com os procedimentos normais de gestão, como regulamentação e estatuto, além de eleição de 4 em 4 anos. O objetivo é que seja uma instituição da cidade, da sociedade, e não de um grupo de pessoas, tornando-se assim duradoura. Seu legado é a união de artistas e escritores com o propósito de promoção da arte e da cultura locais. Estamos trabalhando para efetivação da página com todas as informações da Academia e acadêmicos, assim como a publicação no diário oficial e apresentação na Câmara Municipal. 
Em novembro, realizaremos um evento oficial em Cabo Frio, com posse dos novos membros e com a ilustre presença do nosso presidente de honra, Sr. Célio Mendes Guimarães em grande noite festiva. Viva o Brasil, viva a Língua Portuguesa, viva a Literatura, viva Cabo Frio e sua Academia de Letras e Artes." (Jaqueline Brum Casañas Motta - presidente da ALACAF)

Membros da ALACAF:

Jaqueline Brum Casanas Motta
Maria Dulce de Vargas
Carlos Henrique Ferreira
Sarah Souza Höft
Eliana Alves Silveira
Ludmila da Silva Oliveira Jeovani
Luciana Gonçalves Rugani
Andréa Correia Rezende
Renata da Silva de Barcellos
Nara de Amorim Pamplona
Dalva Frahlich
Valéria Gravino
Izabelle Valladares
Israel Albuquerque
Rosemary Gomes
Célio Mendes Guimarães
Elaine Lopes
Lucien Sol Gilbert

FOTOS OFICIAIS DO EVENTO:









 

Comentários

  1. Vida longa a nossa Academia! Parabéns aos seus membros e para nós que teremos oficialmente uma caixinha para guardar e legar ao futuro,nossas histórias ! Linda festa...

    ResponderExcluir
  2. Orgulhosa e honrada em fazer parte! Que alegria tê-la como confreira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A alegria é recíproca, amiga Valéria! Um grande abraço pra você!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si