Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2019

POESIA: MINHA MORADA

MINHA MORADA
Cabo Frio! Meu coração pousou nesta terra. Escolhi o Braga para morar, e assim ficar, entre a lagoa e o mar. À minha frente, as dunas cujo branco, em noites de lua, É como um claro farol Que ilumina a escuridão da noite, e a escuridão das almas. Às minhas costas, o Forte São Matheus antes, defesa contra piratas do pau Brasil hoje, fortaleza de sonhos, fonte de inspiração dos poetas apaixonados.
Dupla autoria - poesia a quatro mãos Por: ALAIR CORRÊA e LUCIANA G. RUGANI (AFC/LGR) 

"APROVEITA O DIA", POESIA DE WALT WHITMAN

Maravilhosa composição do poeta norte-americano Walt Whitman (1819 – 1892):


Aproveita o dia  (Walt Whitman)
Aproveita o dia, Não deixes que termine sem teres crescido um pouco. Sem teres sido feliz, sem teres alimentado teus sonhos. Não te deixes vencer pelo desalento. Não permitas que alguém te negue o direito de expressar-te, que é quase um dever. Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário. Não deixes de crer que as palavras e as poesias sim podem mudar o mundo. Porque passe o que passar, nossa essência continuará intacta. Somos seres humanos cheios de paixão. A vida é deserto e oásis. Nos derruba, nos lastima, nos ensina, nos converte em protagonistas de nossa própria história. Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua, tu podes trocar uma estrofe. Não deixes nunca de sonhar, porque só nos sonhos pode ser livre o homem. Não caias no pior dos erros: o silêncio. A maioria vive num silêncio espantoso. Não te resignes, e nem fujas. Valorize a beleza das coisas simple…

POESIA DE PETRÔNIO RUGANI: DIVAGANDO

DIVAGANDO (O poema do futuro)
Jazidas, depósitos naturais de substâncias úteis, espessas, grossas. Irrigar, regar, destemido, corajoso, Desvalido, desprotegido. Adegas, lugar onde se guarda vinho, Malefícios, maldades, sortilégios, Audácia, ousadia, atrevimento. Entreolharam, olhar um para o outro. Deliberações, resoluções. Pálido, descorado, angustiado, aflito, agoniado. Debandaram, fugiram. Balançaremos brisa, aragem, vento brando, Moribundo que vai se acabar. Fascinantes, deslumbrantes herdeiros, Aqueles que herdam, cogitações, reflexões, pensamentos. Afagou, acariciou petisco, comida saborosa. Submissão, humilde, brados, gritos alarmados, assustados. Ensinou, disse: cágado, tartaruga, encalço, pegada, Rastro decepando, cortando, restituiu, entregou.
- Petrônio Rugani, 01/04/1970 -

PRIMEIRA FESTA AGOSTINA DO PONTAL DO PERÓ!

Não percam!  Dia 31/08, a primeira Festa Agostina do Pontal do Peró! Ingressos antecipados até o dia 20/08 por apenas R$30,00 com direito a comidas típicas e doces. Bebidas serão cobradas à parte. Informações: (22) 99231-0101 WhatsApp

CAMINHADA DA LUA CHEIA NO MORRO DA GUIA

Nesta quinta-feira (15), aconteceu mais uma edição da Caminhada da Lua Cheia, no Morro da Guia, em Cabo Frio (RJ). Trata-se de um dos mais belos roteiros das caminhadas promovidas pelo personal trainer Daniel Ribeiro. As caminhadas de Daniel são sempre promovedoras da conscientização ambiental, da preservação da natureza e da divulgação da história de nossa cidade.  A caminhada da lua cheia é um roteiro especial porque subimos o morro com o sol começando a se por e findamos o passeio com todo o esplendor da lua surgindo maravilhosa no horizonte. São dois espetáculos imperdíveis da natureza, vale a pena participar!













Texto: Luciana G. Rugani
Fotos: Luciana / Daniel Ribeiro

APRESENTAÇÃO DE VALDIR DA SILVA, O FOTÓGRAFO CEGO

por Valdir da Silva

Meu nome é Valdir da Silva, tenho 42 anos, moro em Porto Alegre (RS). Sou natural de Taquaruçu do Sul. Nasci e cresci na roça, em uma família bem numerosa de nove irmãos. Éramos muito pobres, tivemos muitas dificuldades, mas nunca deixamos de acreditar na união da família, no amor e respeito. Crescemos todos dentro desta linha de educação, o tempo passou e cada um seguiu seu caminho. Uns foram morar na cidade, trabalhar nas fabricas. Eu resolvi então seguir este caminho e tentar a sorte.
Fui morar com minha irmã Elsa na cidade de Nova Hartz, no Vale dos Sinos (RS). Comecei a trabalhar em uma firma de calçados na linha de montagem. Trabalhei cinco anos, e foi quando entraram dois funcionários novos. Fui designado pela chefia para ensinar um destes funcionários a lixar a palmilha de uma sandália. Foi neste momento que tudo aconteceu.

Do primeiro par de calçado que encostei na lixadeira, saltou uma ponta de taxinha (pregos que seguram o couro do calçado) e atingiu meu ol…