quarta-feira, 24 de abril de 2013

LUA


Lua,
hoje estás tão bela!
Ao ver-te assim, tão majestosa,
sinto brilhar em mim a tua luz,
inundo-me de tua força, 
força esta que te faz brilhar, 
ainda que a dor da tua solidão insista em te acompanhar.
Ainda que as estrelas, muitas, unidas, teimem em ofuscar teu brilho,
tu segues teu destino de iluminar, alegrar, encantar.
Lua, 
es tu à noite,
e de dia o sol,
ambos a aplacar a solidão de nós, 
meros mortais.
Nós, que nas noites escuras,
em que tu não estás,
ficamos perdidos, 
a buscar-te o brilho na estrela longínqua,
a esperar ansiosos pelo dia, 
para que o sol alimente o vazio de tua falta.
Nós, 
que erroneamente julgamos tê-la conquistado,
somos agora aqueles a quem dominas,
a quem encantas, 
a quem acalentas.
Lua bela, maravilhosa,
não te vás.
Já não te deixo escapar.
Em meus olhos tu ficarás,
na memória de meu ser,
tua força é minha força,
teu brilhar, minha razão.
Força viva de minh'alma,
que hoje abriga-se em ti.

Luciana G. Rugani


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...