sexta-feira, 29 de novembro de 2013

INVEJA


ARTIGO – Sentimento negativo

Publicado Coluna Bem Viver do Jornal Estado de Minas

Antônio Roberto, sou executivo principal de uma grande empresa e me deparo, com freqüência, com muita intriga e hostilidade entre os gerentes. Será inveja? Como lidar com isto. Tomas Viotti – Belo Horizonte.
Antônio Roberto, como lidar com uma irmã que me ataca e me critica constantemente? Ela sempre me puxa para baixo. Marina – Sabará
Antônio Roberto, trabalho com dedicação, nas atividades sociais e religiosas de minha Paróquia. Sofro muito com algumas pessoas que querem sempre aparecer, brilhar e passar na frente das outras. Será inveja? Luíza – Belo Horizonte.

Todo sentimento negativo nos faz sofrer. Daí a importância do entendimento e elaboração do sentimento de INVEJA. Compreender este sentimento pode ser a chave para a resolução de diversos conflitos no trabalho, em casa, na sociedade. Não há sentimento mais destrutivo para o clima organizacional ou familiar que a inveja.

Mas o que é a inveja?

Para entendermos a inveja temos de descobrir a estrutura básica que antecede. O mecanismo que cria a inveja é a COMPARAÇÃO.

A inveja é a vivência de um sentimento interior sob a forma de frustração, de tristeza, de mal-estar, de acanhamento, por nos sentirmos menos do que o outro, por não possuirmos o que o outro possui, por não sermos o que o outro é. É um desequilíbrio íntimo, oriundo de um sentimento de inferioridade, fruto da COMPARAÇÃO que fizemos entre nós e o outro, seja nas posses materiais, na casa, no carro, na roupa, no dinheiro ou nas suas qualidades psicológicas, morais, físicas, sociais ou espirituais. E como a inveja é um desequilíbrio entre nós e os outros em um processo comparativo, desde cedo nos foram ensinados alguns mecanismos de defesa para este desequilíbrio.

Um dos mecanismos é nos aumentarmos, nos vangloriarmos, nos enaltecermos para evitarmos o mal-estar da inveja. Falamos excessivamente bem das nossas próprias coisas e, ao mesmo tempo, procuramos diminuir a outra pessoa através da crítica. Quando criticamos alguém, quando temos necessidade de diminuir alguém, quando ofendemos alguém, quando temos necessidade de falar mal de alguém, provavelmente estamos nos sentindo inferiores a esta pessoa. A inveja é a incapacidade de ver a luz das outras pessoas, a alegria, o brilho, a luminosidade de alguém, seja em que aspecto for. A inveja é o sentimento daqueles que não aceitam a diversidade do mundo e das pessoas. E esta incapacidade de aceitar que as coisas e as pessoas sejam diferentes é uma rejeição de sua própria pessoa como sendo diferente das demais. A inveja é a auto-aversão por não sermos como os outros são. O que há de negativo e pior é esta auto-rejeição em algum aspecto. Daí a relação direta entre inveja e auto-estima baixa.

Quem não se ama é invejoso.

Muitas pessoas pensam que inveja é quando vemos algo em alguém e queremos ter ou ser iguais ao outro. Isto é apenas um desejo de aprendizado, de crescimento. O que caracteriza a inveja é a frustração conosco mesmos, é a tristeza conosco mesmos, é a intolerância com nós próprios por nos sentirmos menores do que os outros. Por outro lado, toda a nossa sociedade é baseada na comparação.

Nossa cultura é uma cultura da comparação. Como tudo é relativo como tudo está em relação, nós perdemos a capacidade de ver as coisas em si mesmas e só conseguimos entender as pessoas e coisas na comparação umas com as outras.

Toda propaganda é baseada no processo comparativo, entre nós e os modelos que nos são apresentados. A trama-base de qualquer propaganda consiste em que olhemos alguém no vídeo, por exemplo, nas suas qualidades de riqueza, poder, prestígio, inteligência, dinamismo, beleza, força e magnetismo pessoal; que nos comparemos com os ambientes e pessoas apresentadas, que nos sintamos inferiores, magoados e diminuídos subliminarmente.Em seguida, é-nos apresentada a solução para resolver aquele mal-estar: a compra de alguns produtos que nos farão iguais aos padrões apresentados!

A sociedade em que vivemos é baseada na comparação na competição e, portanto, na INVEJA.

E as organizações empresariais com seus instrumentos comparativos, alimentam e disseminam a inveja entre os seus empregados, sem se aperceberem disto.
As organizações familiares, de igual forma, comparam seus membros, gerando um clima de disputa e hostilidade entre eles.
Uma pergunta muito comum dos pais é:
_Porque os irmãos brigam tanto?
_Porque sempre foram comparados entre si. Porque eles se invejam.
Outra pergunta que muitos fazem é por que tanta maledicência, fofoca nas relações de grupo, até em ambientes religiosos ou educacionais? Por causa da competição, gerada pela inveja, alimentada pelas comparações. E como trabalhar este sentimento tão devastador? Como lidar com a inveja seja a nossa ou a dos outros?
Esse será o assunto do nosso próximo artigo, no domingo que vem.
Antônio Roberto

Um comentário:

  1. é isso mesmo a inveja e um assunto muito complexo e algumas vezes destrutiva.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...