Pular para o conteúdo principal

POVO TRAÍDO, POVO SOFRIDO - POR WASHINGTON XAVIER

Washington Xavier
Teólogo, Filósofo, Psicanalista e graduando em Direito

*"Sabemos que a Reforma Política não vai acontecer - Jair Bolsonaro."*
É muito frustrante ler essa grave declaração, sobretudo proveniente daquele que pregou, durante toda sua campanha, que lutaria corajosamente contra todo tipo de corrupção, mas ao contrário, faz questão de enfatizar sua posição em relação a isso, pois é sabido que melhor é que tudo (na política) permaneça como está em benefício próprio e de todo seu clã.
Em total discordância com suas promessas eleitoreiras, Bolsonaro ainda acrescenta “muita coisa muda, né?”, tentando justificar o óbvio: ele já não é mais o mesmo! O que causou uma grande decepção nacional em seus eleitores.
Faz falsa afirmação de não ser possível reunir esforços necessários para implementar uma Reforma Política, a mais importante e que, definitivamente, poderia colocar o Brasil nos trilhos certos do desenvolvimento, por outro lado, movido pelos interesses da elite, fez todo o esforço e nos enfiou goela abaixo a "Reforma" da Previdência, que só ferrou com o pobre trabalhador.
Não bastasse, promove nos bastidores uma forte articulação para acabar de vez por todas com o funcionalismo público, base essencial à sociedade, através de outra "reforma" predatória, objetivando a terceirização do Estado para colocá-lo nas mãos do Capital Estrangeiro.
Autodeclarado paladino da ética e da moral, a “2º alma mais honesta do Brasil”, tudo que tem feito agora, após assentar-se no Poder, são ingerências na justiça e nas investigações, com intuito de livrar a pele dos seus filhos denunciados por diversos crimes.
Pior ainda, o novo “Messias” vendeu a alma ao diabo, uniu-se ao CENTRÃO, a quem outrora duramente criticou pela pelas velhas práticas do famoso “toma lá, da cá”, na esperança de manter-se no cargo presidencial, depois de quase dois anos de uma gestão atrapalhada e descompassada da realidade nacional.
Esqueceu-se completamente do pacto com o povo, abriu mão de princípios e acomodou em seu Governo apadrinhados e citados por corrupção. Quis favorecer interesses pessoais e, entregando-se à ganância, rompeu-se com os principais aliados que, potencialmente, poderiam ameaçar sua reeleição.
Não assumiu seu papel de um grande Estadista e transvestiu-se de “influenciador digital”, criando o Gabinete do Ódio (a Milícia Digital) para manipular seguidores através das redes sociais por intermédio da maior produção de “Fake News” da história.
Fez o que disse que não faria. Inverteu as prioridades. Mentiu e ainda mente para o povo. Curvou-se para o imperialismo norte-americano e resolveu incitar ameaças à estabilidade democrática com “AI-5” e intervenção militar.
Na verdade, sofremos o maior estelionato eleitoral de todos os tempos e seus aliados: Partidos, Deputados, Governadores e Ministros, sem exceção, são cúmplices.
Não passam de verdadeiros oportunistas sedentos pelo Poder, que preferiram trocar a lealdade ao povo pela conveniência e subserviência ao mecanismo da corrupção, agindo com demagogia, calando-se diante da verdade.
Povo traído, povo sofrido!

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si

PARA HENRY BOREL

Não mais o riso fácil de criança! Os bonecos a lutar, Impulsionados por frágeis mãozinhas, Agora estão inertes Como inerte está  O seu corpinho sofrido. Não mais a alegria E o gosto da liberdade Dos dias fora do calabouço, O seu cárcere de dor. Quantos gritos mudos Em abraços silenciosos. Quantas dores caladas Gritadas em olhar de pavor. Quantos pedidos no choro fácil, No rostinho escondido no ombro No colo de sua algoz. Uma criança somente, E somente só. Única! Seu riso só seu, Seu olhar, sua identidade. Sua voz, seu abraço Únicos! Sua voz agora é silêncio, A mesma voz  Que animava brinquedos A mesma voz  Que implorava socorro na fala curta. Pai, me deixa ficar contigo! A luz aqui Pra sempre se apaga. Ficarão a saudade, E consciências sem paz. Mas a luz vive além Resplandece linda entre anjos. O anjo venceu o leão da arena E em outras esferas foi sorrir, Foi brincar, Foi viver. Liberto está, Para sempre, Das mãos frias de duros golpes, Dos abraços fortes de ódio E da tortura, Que dói