quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

ATENÇÃO CONTEMPLADOS DO "MINHA CASA MINHA VIDA RESIDENCIAL MONTE CARLO" - CABO FRIO

Utilidade Pública

Todos que foram contemplados no Programa Minha Casa Minha Vida Residencial Monte Carlo, em Cabo Frio, devem comparecer com urgência no CRAS mais próximo de sua casa portando um documento com foto, para receber a notificação para assinatura do contrato.
Se você é um dos contemplados ou conhece alguém que foi contemplado, ajude a divulgar.

Foto: Empreendimento Monte Carlo - site PMCF

Silvana Braga
1ª secretária da Assoc. Com.  dos Moradores e Amigos do Jardim Esperança

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DOS MORADORES E AMIGOS DO JARDIM ESPERANÇA SOLICITA LIBERAÇÃO DE ESPAÇO FÍSICO PARA MELHOR ATENDIMENTO À POPULAÇÃO

A Associação Comunitária dos Moradores e Amigos Do Jardim Esperança, em parceria com o projeto Oportunidade de Emprego - Auxílio ao Trabalhador, realiza, além do Balcão de Empregos, diversos trabalhos sociais como currículos, agendamentos para tirar documentos, cestas básicas, parcerias com faculdades e cursos, serviços na área de estética e beleza, estágio, entre outros, tudo gratuitamente. Muitos trabalhos sociais já foram realizados, inclusive de doação de cadeira de rodas. Uma cadeira já foi doada e mais duas estão em processo de doação. 

Somente hoje foram atendidas mais de 72 pessoas e a cada dia este número aumenta mais, pois infelizmente é grande a carência de nossa população, e as pessoas acabam tendo que aguardar atendimento do lado de fora, devido ao espaço dentro da associação ser insuficiente. Sendo assim, e por esta razão, a associação vem solicitar ao prefeito a liberação das salas da antiga academia popular, para que assim a população possa ser melhor acolhida.

Vale esclarecer que a Associação e o projeto Balcão de Empregos não são ligados a nenhum grupo político e nem recebem benefícios de políticos.

Pessoas tendo que aguardar atendimento do lado de fora da associação

Somente hoje mais de 72 atendimentos

Luciana G. Rugani
Fotos: Associação Comunitária dos Moradores e Amigos Do Jardim Esperança

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

PARTIDOS COM DONOS: MAIS UMA FACETA DO CORONELISMO POLÍTICO

por Luciana G. Rugani - muito pertinente o texto de hoje da coluna de Mateus Simões, no jornal Hoje em Dia. Mateus aborda uma das podres facetas do coronelismo político incrustado em nosso sistema político-partidário no que diz respeito à organização dos partidos políticos tradicionais, com seus "donos" que os vendem segundo critérios em que imperam o autoritarismo, ambições pessoais, manipulação de partidos por famílias, toma-lá-dá-cá, e por aí vai.
Ótimo texto, vale a pena ler!
________________________________________________

Partidos com donos e a democracia de uns poucos

Por Mateus Simões  12/02/2018


Mestre em Direito Empresarial, procurador concursado da ALMG e professor universitário. Vereador em Belo Horizonte pelo NOVO.

Impressionante como, por aqui, continuamos cultivando o coronelismo político, mesmo depois de séculos de experiência frustrada dessa dominação política por uns poucos donos do poder.

Para mim, a face mais aparente desse sistema adoecido e corrupto está na organização local dos partidos políticos tradicionais, que tem donos em cada cidade, que os negociam como quem vende um frango, loteando espaços e exercendo seu pequeno espaço de autoritarismo.

Nem todos os “donos de partido” são pessoas mal-intencionadas ou corruptas, mas é importante reconhecer que eles corrompem o modelo democrático ao dividir entre uns poucos, escolhidos por critérios absurdos, toda a força de representação política.

Na verdade a própria ideia de que para fazer parte de um partido tradicional sua ficha de filiação precisa ser “abonada” por alguém da estrutura já confirma que o espaço político no Brasil tem, cada vez mais, se firmado como um ambiente de reforço dos interesses de alguns.

Para coroar esse fatiamento pessoal do espaço político existem ainda as conhecidas comissões provisórias, nomeadas para administrar partidos em certas cidades ou estados, apontadas pelas autoridades “superiores” do próprio partido, sem processo eleitoral ou segurança de mandato, para que possam ali administrar o partido no seu próprio interesse e, ainda, no de quem os nomeou e que tem o poder de destituí-los a qualquer tempo. Ou seja, a estrutura de poder nos partidos da velha política garante que tudo seja feito para atender ao interesse de quem está lá e ninguém mais.

A estrutura está comprometida a um ponto que há famílias que se especializaram nisso, construindo e manipulando siglas partidárias que usam apenas para promover suas próprias campanhas, alugando tempo de televisão, influência e bancadas a quem estiver disposto a pagar mais. Pior, mesmo em agremiações maiores, que se poderia acreditar estarem livres desse risco, é evidente a formação de grupo de poucos comandantes que manipulam toda a estrutura para viabilizar suas próprias ambições pessoais. Eles têm até um apelido publicamente: caciques partidários.

Por isso dou sempre com alegria a notícia, a quem me procura, de que o Novo não tem comissões provisórias, não persegue abrir diretórios em cada cidade nem tem pressa de que sua estrutura se multiplique pelo país, entendendo que muito mais importante do que constituir mais uma burocracia partidária é trazer pessoas que se identificam por ideias para colaborar com um projeto.

DENÚNCIA GRAVE DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM ESPERANÇA

NOTÍCIA ATUALIZADA:

CONFORME INFORMAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM ESPERANÇA, O PREFEITO TOMOU CONHECIMENTO DESTA DENÚNCIA E MANDOU CANCELAR, NESTA TARDE, A RETIRADA DO CRAS DO JARDIM ESPERANÇA.
________________________________________
#DIVULGANDO

Solicitação da Associação de Moradores do Jardim Esperança para que a prefeitura não retire o CRAS do Jardim Esperança

DENÚNCIA GRAVE


quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

FALTA DE TAMPAS OU GRADES NAS CAIXAS DO PASSEIO: PROBLEMA CRÔNICO

Outro problema sério para o qual já houve várias solicitações nas mais diversas regiões da cidade é a questão da falta de tampa ou de grade em caixas de esgoto, caixas coletoras de água pluvial ou caixas de inspeção.

Mês passado postei aqui no blog um alerta sobre caixa de esgoto sem tampa na Avenida dos Pescadores, no Peró (clique aqui para ler). 

Hoje venho solicitar providências para uma caixa de inspeção com tampa quebrada, na rua Érico Coelho, quase esquina com rua José Watzl Filho, e uma caixa coletora de água pluvial com grade também quebrada, na rua Bento José Ribeiro, também quase esquina com José Watzl Filho, ambas no centro da cidade.

Além disso, reforço o pedido que fizemos para que haja uma verificação geral dessa questão com vistorias nas vias públicas da cidade para que seja elaborado um planejamento de reposição destas tampas, afinal este já é um problema antigo, persistente e simples de ser resolvido.

rua Érico Coelho, próximo da esquina da rua José Watzl Filho



rua Bento José Ribeiro próximo da esquina da rua José Watzl Filho
Luciana G. Rugani

domingo, 11 de fevereiro de 2018

ESGOTO ENTUPIDO NO BAIRRO BRAGA

Solicitação de providências ao poder público

Esgoto entupido na avenida Manoel Antunes, quase esquina da rua Nicola Aslan, no bairro Braga.
Solicitamos providências.



Luciana G. Rugani

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

DANO AMBIENTAL NA ILHA DO JAPONÊS: CADÊ O PREFEITO?

Ontem foi um dia de algumas notícias bombásticas na cidade.

Primeiro a notícia de que o prefeito enviou à Câmara pedido de autorização para ficar fora da cidade por dois meses. Isso no momento em que a cidade passa por graves problemas e dificuldades, apesar do aumento da arrecadação. É, no mínimo, muito estranho... 

E a outra notícia que muito me assustou vi no facebook, sobre uma área na Ilha do Japonês  que, aparentemente, está sendo aterrada. Ali é uma região de alta relevância ambiental, por isso me espanta que estejam fazendo esse tipo de intervenção, ainda mais nas vésperas do carnaval! Este fato me fez lembrar do ano passado, nessa mesma época, quando foi aberta uma área para segundo estacionamento ali no caminho para a Praia das Conchas. No meio da vegetação, uma área enorme desmatada, em pleno parque estadual da Costa do Sol!

Não sei a que se destina essa intervenção na Ilha do Japonês, mas de qualquer forma, é algo muito preocupante e grave. É preciso que o poder público esclareça esta questão, ainda mais considerando que, segundo e-mail enviado ontem à imprensa pela própria prefeitura, a Secretaria de Desenvolvimento reforçou e destacou seu dever de coibir ações nocivas ao meio ambiente, com prioridade no combate aos estacionamentos irregulares, conforme podem ver: "A Secretaria de Desenvolvimento da Cidade de Cabo Frio estará de prontidão durante todo o Carnaval, coibindo ações nocivas ao meio ambiente e combatendo abusos por parte de foliões, bares e restaurantes. No meio ambiente, a prioridade será combater os estacionamentos irregulares nas praias do Forte e das Conchas, onde flanelinhas invadem áreas do Parque Estadual da Costa do Sol".

Esperamos  providências urgentes do poder público no sentido de impedir tamanha destruição de nosso patrimônio natural.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

ALERTA! MATERIAL POLUENTE LANÇADO NA PRAIA DO PERÓ

Atenção Cabo Frio! Atenção Peró!


A Polícia Ambiental encontrou material poluente do banheiro de um restaurante sendo lançado diretamente na Praia do Peró! Mediante denúncia anônima, os policiais foram até o local e constataram o fato (veja notícia completa clicando aqui). Segundo a polícia, o material tem odor de fossa e não tinha o devido tratamento, o que pode causar sérios danos ambientais.

Agora até o inimaginável acontece, um dos maiores absurdos que nunca imaginávamos que pudesse acontecer! Onde está a fiscalização ambiental da prefeitura? Até mesmo pela foto (local de pedras) dá pra saber mais ou menos que a fonte desse material não é nenhum lugar de difícil acesso ou escondido, então como que a fiscalização da prefeitura, principalmente considerando que deveriam estar realizando ali as ações para obtenção do certificado Bandeira Azul, não percebeu?

Nossa cidade não pode continuar nesse "AQUI TUDO PODE", já passa da hora de haver uma fiscalização constante, apuração e devida punição dos que não respeitam nossa natureza!

Será mesmo que pensam em conseguir a certificação deixando esse tipo de coisa acontecer?

Nossos parabéns a quem denunciou, cumprindo seu legítimo dever de cidadão, e parabéns também aos policiais da UPAM que rapidamente atuaram no caso, essa mesma UPAM que, há alguns anos, o atual coordenador do meio ambiente manifestou-se contra a vinda para Cabo Frio, mas que o governo passado, através de sua secretaria de meio ambiente, conseguiu garantir a vinda da Unidade. Caso contrário, considerando a inércia do poder público municipal, já imaginaram a imundície que ficaria?

Foto: G1 Região dos Lagos (Divulgação/Linha Verde)
Luciana G. Rugani

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

CADÊ O PODER PÚBLICO?

Dias atrás escrevi um artigo falando sobre o abandono da fiscalização na Praia do Forte. Entre os comentários que recebi, uma pessoa afirmou, com muita pertinência, que a matéria deveria ser sobre o abandono da cidade, e não somente da praia. E citou alguns problemas, entre eles o problema da falta de manutenção de semáforos, com o que eu concordei plenamente. Outras pessoas comentaram trazendo outros problemas, então pensei: do jeito que a cidade encontra-se abandonada pelo poder público, acho que terei que criar uma série com capítulos, cujo título poderia ser algo do tipo: abandono da cidade 1, 2, 3...etc!

Hoje gostaria de compartilhar com vocês mais alguns absurdos que acontecem em Cabo Frio. 

Temos, na primeira foto, uma armação de barraca que fica armada o dia todo no canal para funcionar somente à noite, vendendo "artesanato"(será mesmo artesanato?). Vejam que o banco, que poderia ser utilizado para transeuntes sentarem, descansarem um pouco apreciando a bela paisagem do Canal do Itajuru, está cercado, e além disso, destruído! Falta fiscalização para que essa estrutura não permaneça aí o dia todo, enfeiando a cidade e sendo também fonte de risco para acidentes, e falta manutenção nos bancos que estão em péssimo estado de conservação. Olhem bem a foto e digam se condiz com a paisagem de uma cidade turística! Cabo Frio não merece um descaso deste tamanho... ademais, pega super mal também para um governo que diz ser a "reconstrução". Podemos dizer que essa foto representa bem a "reconstrução" a que estamos assistindo:

E como se não bastasse a destruição do patrimônio material, mais uma vez o patrimônio natural grita por socorro!

No texto que fiz sobre a Praia do Forte, elenquei alguns problemas, mas há ainda muitos outros. Nosso mais belo patrimônio natural está sendo destruído! Além da questão do microlixo, da qual também já tratamos aqui, vejam nas fotos abaixo como está feia e suja a área da vegetação natural. Não vemos nenhum sinal de cuidado, e sim de abandono. Lixo de todo tipo, pichação, muita sujeira. Imagina só no carnaval como ficará!! 

É lamentável ver uma cidade tão linda, privilegiada pela natureza, sofrer a ação de duas terríveis forças destruidoras que são pessoas sem consciência e sem educação e um poder público que não cumpre seu dever de casa, que não fiscaliza, não organiza, não ordena:

Luciana G. Rugani

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

CAMPANHA DE DOAÇÃO PARA FAMÍLIAS CARENTES DO GRANDE JARDIM ESPERANÇA

DIVULGAÇÃO

Hoje recebemos no facebook um pedido de colaboração em uma campanha que a Associação Comunitária dos Moradores e Amigos do Jardim Esperança está fazendo para arrecadar alimentos não perecíveis, roupas, material de higiene e limpeza, etc. para famílias carentes do Grande Jardim Esperança. 

A situação está crítica para muitos moradores da região. Somente hoje, a associação atendeu mais de 67 pessoas.

Quem puder colaborar, basta levar sua contribuição. A associação localiza-se na Praça do Jardim Esperança, atrás do hospital, ao lado da antiga academia popular.



Atendimento de mais de 67 pessoas só hoje. Continuamos precisando da ajuda de todos com um quilo de alimento não perecível. Obrigado.
Fonte: https://www.facebook.com/ASSOCIACAODEMORADORESEAMIGOSDOJARDIMESPERANCA/?hc_ref=ARST9GyGqWIzE5b9218z94xrzmvqbFBs16AuzLXrr0XcOaw-s1PUur4qWNzgGUkb7eo&pnref=story

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

PRAIA DO FORTE ABANDONADA PELA FISCALIZAÇÃO

Hoje fomos surpreendidos com a notícia de uma barraquinha de pizza com botija de gás que pegou fogo na Praia do Forte. Digo "surpreendidos", porém não tanto, pois, se considerarmos a total falta de fiscalização e abandono em que se encontra a praia, podemos dizer que era algo anunciado.

Sabemos que acidentes podem acontecer, porém, geralmente, em relação ao uso de gás, se está de acordo com as normas de segurança e em perfeitas condições de funcionamento, a probabilidade de acidentes é mínima, quase zero. E, como se trata de uma atividade na praia, o mínimo que esperamos é que seja devidamente licenciada e constantemente fiscalizada.

Não temos visto fiscais na praia! E isso digo em relação a vários tipos de problema. Não vemos fiscalização destas barraquinhas com gás, não vemos fiscalização coibindo o som em excesso, carros e bugres na areia e pessoas jogando bola ou frescobol com a praia cheia. Em relação ao som, no início do mês aconteceu um fato no mínimo esdrúxulo: um grupo de turistas chegou na praia com uma caixa de som enorme, essas de som profissional mesmo, com duas baterias de carro para mantê-las em funcionamento. Chegaram, instalaram e pronto! Som em alto volume, praia lotada. Falta total de bom senso e educação. Fiscalização? Nenhuma! Passaram assim o dia de praia!

Outra questão relevante: não vemos medidas de preservação e cuidado com a vegetação nativa, e também não há nenhuma fiscalização nesse caso, a ponto de os barraqueiros fazerem livremente uma "escadinha" com sacos de areia por cima da vegetação, como um atalho, simplesmente para não darem a volta pela areia, no caminho adequado, e pegarem a rampa de acesso.

Tudo isso são questões que poderiam facilmente serem resolvidas se houvesse uma fiscalização estratégica com um planejamento de ações diárias, constantes, e intensificadas na alta temporada. Se queremos melhorar essa questão do turismo, o primeiro passo é cuidar das ações de fiscalização, pois a cidade está virando um modelo do "aqui tudo pode". Os maiores absurdos estão acontecendo em Cabo Frio! São "flanelinhas" mandando estacionar em áreas de preservação e cobrando antecipadamente quantias absurdas, são "turistas" que vêm para a cidade em alta temporada para exercerem atividades ilícitas, enfim, um caos geral. E a imagem que levam é que a malandragem pode vir e atuar à vontade em Cabo Frio, por isso é preciso que o poder público intensifique a fiscalização dentro da legalidade e mostre que não é assim que funciona.

É preciso lembrar que a Praia do Forte é o principal cartão postal. Se está assim, o que podemos dizer do restante da cidade?

Luciana G. Rugani


Sacos de areia em cima da vegetação, atalho dos barraqueiros destruindo a vegetação nativa
Foto: divulgação
Em laranja, barraquinha pegando fogo na Praia do Forte.
Imagem: Flávio Santos

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

UMA ÁRVORE QUE PRODUZ LIVROS EM CABO FRIO

Uma ideia criativa, muito interessante, e que merece ser divulgada para inspirar iniciativas semelhantes.

No bairro Jardim Caiçara, em Cabo Frio (RJ), a senhora Joelma Fidalgo criou uma "árvore do saber". Uma árvore onde qualquer um pode "colher" um livro. Muitos já estudaram para provas e concursos através dos livros desta árvore.

São momentos raros na vida de hoje em dia, poder sentar à sombra de uma árvore, ler um bom livro e ainda ouvir uma boa música, como o bandolim de Maestro Budega!

Cliquem na foto abaixo para assistir à reportagem da InterTV sobre esta maravilhosa ideia! 

E quem tiver livros para doar, basta levar até a árvore que fica na esquina das ruas Getúlio Vargas com Nossa Senhora Aparecida, no Jardim Caiçara.

Aproveito para fazer minhas as palavras do senhor Lindberg Brito, entrevistado no final da reportagem: "O que está faltando neste mundo é a poesia. A poesia é que puxa o sentimento das pessoas"

Luciana G. Rugani
Cliquem na foto acima para assistir à reportagem

domingo, 21 de janeiro de 2018

DENÚNCIA AO MP SOBRE A DESTRUIÇÃO DO "SAMBAQUI DO SHOPPING"

O ambientalista, escritor e historiador Elísio Gomes Filho entrou com uma representação no Ministério Público Estadual sobre o estado lastimável em que se encontra o "sambaqui do shopping", como é chamado o conjunto de sítio arqueológico e mata nativa localizados em terreno ao lado do shopping.

Publicamos em nosso blog no dia 18/01 (clique aqui para ler) um alerta sobre o perigo de destruição do sambaqui, que teve seus mourões de proteção queimados e as cercas destruídas. O cercamento foi obrigação imposta em função do licenciamento do shopping.

O ambientalista nos autorizou a publicar esta notícia e nos informou que nosso artigo foi o que o impulsionou a tomar esta atitude há muito necessária. Para ele, deveria ser imposta ao shopping a obrigação de implantar no local um parque ambiental com um museu ao ar livre, como teria sido sugerido pelo IPHAN, em 2011. O local seria preparado para visitação pública e recepção de estudantes, e contaria com cercamento total, guarda-corpo delimitando as áreas de acesso público, sinalização, limpeza, lixeiras, painéis explicativos de apoio à aula-visita, área de exposição temporária de peças recém-descobertas e distribuição de folders sobre arqueologia na Região dos Lagos. Algo semelhante a esta ideia já existe em Rio das Ostras. É o Museu de Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba de Rio das Ostras.

Deixo aqui nossos parabéns a Elísio e que sua iniciativa cidadã seja exemplo para muitos que se indignam, mas não tomam nenhuma atitude. Vale lembrar que qualquer cidadão pode denunciar ao MP.

E fica aqui nosso questionamento: como pode o shopping deixar que um local de tamanha riqueza arqueológica seja tomado pelo lixo, desmatado e destruído? Importante ressaltar que a preservação e cuidado do local foi condicionante para obtenção do licenciamento do shopping, então cabe agora ao estabelecimento comercial proteger e cuidar do local adequadamente, e ao poder público cabe fiscalizar e buscar o cumprimento desta obrigação.

Descoberta de importante sítio arqueológico nas Palmeiras em 2011
Fonte: Elísio Gomes Filho

Museu de Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba de Rio das Ostras
Fonte: internet
Luciana G. Rugani

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

ALERTA! PERIGO DE DESTRUIÇÃO DO SAMBAQUI DO SHOPPING

Nosso blog recebeu novo alerta em relação às áreas de preservação e sambaquis que estão sendo destruídos em Cabo Frio.

Desta vez foi o sambaqui ao lado do shopping que teve seus mourões de proteção queimados e as cercas destruídas, e está virando um terreno baldio, inclusive com lixo descartado no local. O cercamento e proteção do "sambaqui do shopping", como é conhecido, foi obrigação derivada do processo de licenciamento do estabelecimento.

Triste essa situação, pois, uma cidade cuja maior riqueza é justamente seu patrimônio natural, tem que ser referência no cuidado e preservação de seu meio ambiente e de suas riquezas naturais. É preciso que haja conscientização nesse sentido por parte da população e, principalmente, maior atenção e cuidado com essa questão por parte do poder público, pois senão daqui a pouco teremos uma cidade totalmente destruída em seu meio ambiente!







quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

DESTRUIÇÃO DE ÁREA DE PRESERVAÇÃO E SAMBAQUI NA PRAIA DO FORTE

Destruição de área de preservação e sambaqui, à luz do dia, afrontosamente! Isso é o que está acontecendo na região do Morro do Indio, na Praia do Forte, em Cabo Frio (RJ).

Uma área de importância histórica por possuir um sambaqui formado há mais de seis mil anos, agora é invadida por elementos que arrancam os mourões e derrubam todo o cercamento para cobrar por estacionamento no local. A que ponto chegamos! 

Onde estão as autoridades competentes que permitem esse absurdo?

A tão falada "reconstrução" do atual governo passaria pela destruição de nosso patrimônio natural histórico?

Vale lembrar que, no passado, o Ministério Público entrou com ação civil pública contra a prefeitura pelo fato de este mesmo governo que aí está ter danificado, em 2006, este mesmo sítio arqueológico. Aliás, eu até gostaria de saber o resultado desta ação! Doze anos depois vemos novamente o descaso com este nosso patrimônio histórico-natural. 

Fica aqui nossa solicitação às autoridades competentes e aos vereadores para que tomem alguma providência para impedir mais este crime contra nosso meio ambiente e nossa história.


Luciana G. Rugani

HOJE COMEÇA O FESTIVAL DAS CORES, NO CEREALL GOURMET

Filme dirigido por Heloísa Périssé abre o Festival das Cores no Cereall


Para celebrar a vida, está programado para esta segunda quinzena do mês de janeiro, um grande evento terapêutico e social no Espaço Cereall Gourmet em Cabo Frio, em parceria com o Natureza Sagrada, do Rio de Janeiro. De quarta a sábado (17 a 20/01), “Festival das Cores” com oficinas, atendimentos a preços populares, exibição de filme, vivência, debates e informações sobre as terapias complementares para uma melhor qualidade de vida. O público poderá conhecer e conferir os trabalhos desenvolvidos com Mandalas, Magnified Healing, Leitura Vibracional, Ervas Sagradas e Taças Tibetanas.

O evento conta com seis terapeutas do Rio de Janeiro, são elas: Sandra Luz (Cromoterapeuta, Psicóloga, Terapeuta Floral, Mestre Reiki, Terapeuta de Barras de Access, Aromaterapeuta, Diretora do Espaço holístico “Natureza Sagrada” e idealizadora da técnica de Leitura Vibracional); Vania Sanches (Massoterapeuta, Aromoterapeuta, Mestre Reiki e idealizadora da Técnica de Ervas Sagradas); Sonia Martins (Cromoterapeuta, Psicoterapeuta Reencarnacionista, que também faz Leitura Vibracional); Rani Giomidi (Mandalas); Luciana Lessa (Magnified Healing) e Regina Santos (Taças Tibetanas).

A abertura do Festival das Cores será na quarta, dia 17, às 19 horas, com a exibição gratuita do maravilhoso vídeo terapêutico “O Inconsciente das Cores”, seguido de debate com a presença da roteirista. O filme, com roteiro de Sandra Luz e direção de Heloísa Périssé, promove uma mudança de padrão interno através da cor, da imagem e do som. Toda a venda do CD é revertida para a construção de uma biblioteca creche para uma comunidade no Brejal, em Teresópolis.

Na quinta (18/01), às 16 horas, começa a exposição com a oficina de Mandalas. Para saber mais sobre a cor que rege o ano, às 19h, será ministrada a palestra “2018: Um Ano Laranja”. Na sexta e sábado (19/01) a partir das 16h, acontecem os atendimentos individuais (Leitura Vibracional com Oráculo das Cores, Ervas Sagradas e Magnified Healing). Dentro da programação, no sábado, das 16h às 17h, tem a vivência “Som das Cores”. O encerramento promete uma apresentação magnífica com os sons das Taças Tibetanas que equilibram a saúde física, emocional e mental. Simplesmente imperdível!

As terapias são maravilhosas e libertadoras. Você pode usar a Leitura Vibracional para a descoberta da cor da sua aura e os desequilíbrios que bloqueiam sua vida, através das cores do espectro solar. Já as Mandalas, são desenhos que levam a mudanças das frequências internas, e trazem equilíbrio em todos os níveis. A terapia com as Ervas Sagradas trabalha com difusores coloridos que atuam na limpeza do Campo energético, e o Magnified Healing promove uma limpeza e equilíbrio dos corpos sutis, trabalhados sob a egrégora de Kuan Yin. O Cereall Gourmet Restaurante fica na Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio. Mais informações e inscrições pelo telefone (22) 2629-6739.

Iva Maria M. de Carvalhaes

youtube.com/c/ivamariacarvalhaes
facebook.com/ivamariacomunicacao
instagram.com/ivamariacarvalhaes
plus.google.com/+IvaMariaCarvalhaes

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

ALERTA: CAIXAS DE ESGOTO SEM TAMPA


As caixas de esgoto nos passeios da cidade são um perigo se mal conservadas ou sem tampa.
Abaixo, vídeo de Elias Fernandes, gestor do Espaço Comunidade, no Peró, mostra algumas caixas de esgoto com tampas quebradas na Avenida dos Pescadores, via de acesso para a praia do Peró e avenida muito movimentada, principalmente em alta temporada.

Aliás, independente de ser em via de movimento, é preciso cuidado com estas caixas para que sejam mantidas tampadas corretamente para evitar acidentes graves. Já houve caso de um amigo que se acidentou em uma destas no centro da cidade e sofreu corte profundo na perna. Essas caixas sem tampa são muito perigosas, tanto para adultos, crianças e idosos como também para pessoas com deficiência, principalmente visual.

Fica aqui nossa solicitação para a devida manutenção e correção do problema, e que, em provável planejamento periódico de manutenção das vias públicas da cidade, sejam incluídas vistorias nestas caixas.

Segue o vídeo:

https://www.facebook.com/elias.bastos.520/videos/486224675106586/

Luciana G. Rugani

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

LANÇAMENTO DO LIVRO "AS 5 PALAVRAS", DE ROBERTO AMORIM

Na próxima sexta-feira, dia 19/01, às 18h:30, acontecerá o lançamento do segundo livro do poeta Roberto Amorim, intitulado "As 5 Palavras", editora "Foco Letras".

O local do evento será o Solar dos Massa, na Rua Major Belegard, 47, Centro.

Roberto lançou, em agosto do ano passado, seu primeiro livro cujo título é "As Árvores da Minha Vida". Cinco meses depois, eis o segundo livro! Parabéns, Roberto, por sua dedicação e amor à poesia!

Vale a pena conferir!


Luciana G. Rugani

domingo, 14 de janeiro de 2018

A MANUTENÇÃO NA PRAÇA DAS ÁGUAS

Domingo passado postei aqui no blog algumas fotos da Praça das Águas funcionando, ainda que precariamente. E na terça-feira seguinte, dia 9/01, lendo os releases enviados pela Secretaria de Comunicação, vi que no e-mail que trata de atividades da Secretaria de Obras havia um parágrafo sobre a Praça das Águas onde explicam os reparos que estão sendo feitos no local.

Como eu disse no meu texto anterior, o funcionamento parcial da praça, com certo volume de água, demonstrou que a situação não era aquela que o governo havia anunciado em entrevista no primeiro semestre do ano passado, quando foi dito que havia enorme vazamento na praça que impossibilitaria seu enchimento de água e que talvez não houvesse nem condições de consertá-lo, tamanho sua extensão.

Pelo que foi anunciado no comunicado, as medidas a serem tomadas para recuperá-la não são nada complexas, são providências simples que poderiam ter sido feitas ao longo deste um ano, e, se assim tivesse sido, a praça não teria perdido seus principais diferenciais, como as pinturas 3D, por exemplo, que ficaram danificadas pelo tempo e pela sujeira acumulada, e hoje já sumiram do fundo. A sua originalidade poderia ter sido mantida, com as pinturas 3D, os peixes artesanais, a iluminação de led e as luzes coloridas nas águas.

Segue abaixo o e-mail da Secretaria e fotos da praça em sua originalidade. Penso que, considerando o ano inteiro que ficou sem manutenção, a qual se constituiria de cuidados simples se tivesse sido feita no tempo correto, deveriam agora refazê-la respeitando a sua originalidade, para que volte a ser exatamente da forma que era:







 



Luciana G. Rugani
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...