terça-feira, 15 de setembro de 2015

HOMENAGEM RECEBIDA DO AMIGO JOSÉ VARGAS


Hoje recebi uma homenagem linda do amigo José Vargas. Um texto, uma poesia iluminada que trata de maneira intensa e profunda da minha ligação com a cidade de Cabo Frio. Fiquei muito emocionada pela maneira como as palavras trouxeram passado, presente e futuro para um mesmo ponto, reforçando a ideia da eternidade daquilo que simplesmente é. Um sentir, um querer, um amar que se justificam por si mesmos. Não há razão, não há tese que os explique, pois apenas são.
Abaixo segue essa preciosa obra de arte de meu amigo, e que tenho a alegria de compartilhar com vocês:


TRIBUTO À LUCIANA G. RUGANI - CABOFRIO

-“Para o Ser nunca houve um começo. Pois o nada não pode dar origem a alguma coisa”.
... E assim num momento presente, mas simultaneamente remoto e ainda incognoscível, e
Como que perdida na Noite dos Tempos,
Uma Personalidade-Alma se torna Auto Consciente.
-Oriunda do “Fluído Cósmico Universal” e ainda etérea, vagava silenciosa pelo Kosmos.
-E, nesse Ad Aeternum passou a ter consciência de que,
Não vinha do passado, e nem viajava para o futuro.
Plenamente consciente do “TODO”, sabia Ela que foi e sempre seria sábia.

-Vislumbrou assim, com seu olhar ainda que etéreo
Uma beleza imaculada, que ainda estava por se materializar.
-Se deslumbrou... Se apaixonou... Amou... E docemente Sorriu!

Seu Coração mesmo que ainda etéreo pulsou mais forte,
E dos seus olhos também etéreos, lágrimas de júbilo rolaram por sua face, ainda por se formar.
-E nesse momento de “Harmonium Divino”
Concebeu a visão já quase física de um maravilhoso lugar,
Que sempre fez... faz... e fará parte Dela por todo o sempre, entretanto no “AGORA”.

-E DISSE:
- Ali Habitarei... Ali farei definitivamente minha morada Física e espiritual.
... Ali Serei o Vento Sudoeste,
... Ali serei o Vento Nordeste,
... Serei o Mar,
... Serei o Sal,
...Serei as suntuosas Dunas Brancas e a Restinga bela e harmoniosa.
... Serei a Brisa cálida e suave que vem do Mar.
... Serei o Sol que aquece e dá a Vida, Serei a beleza do Ocaso no outono.

- E DECIDIU OUSADAMENTE, num clamor forte e poderoso que reverberou por todo o Universo, como se fora a “Palavra Perdida”.
“Darei a esse Lugar um nome, pois assim Fui... Sou e Serei desde todo o Sempre”
LUCIANA G. RUGANI – “GECAY”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...