Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 31, 2013

DESABAFO II

Eu acho estranho quando vejo pessoas falsas, traiçoeiras e invejosas falarem em Deus e agradecerem por conquistas, sendo que acabaram de praticar ações maldosas com seu semelhante. É estranho, pois certamente agradecem o prazer que a vingança mesquinha e sem sentido lhes proporciona.. Esquecem-se de que Deus não aprova essa atitude, então que ponham a mão na consciência antes de agradecer a Deus. E que não julguem o outro culpado por suas derrotas, pois é muita pretensão achar que o outro tem tempo e disposição para viver o tempo todo armando para cima deles. É querer demais ser o centro das atenções.  E estas pessoas aproveitam o fato de existirem também aqueles outros que no fundo sempre desejaram a queda do outro. Aproximam-se justamente destes para espalhar seu veneno. Então ambos caem no mesmo erro, na mesma infração. E não adianta depois sair fazendo propaganda de sua religião, pois Deus não é cego. Ele vê que existe o fofoqueiro mentiroso, o espalhador da fofoca e aqueles que,…

ANTIGAMENTE

por Hugo Lapa
Antigamente, eu ficava bem preocupado com o que os outros pensavam de mim. Hoje tenho consciência que sou uma pessoa digna e honesta, e sei que as pessoas vão pensar o que quiserem, e isso em nada afeta meu modo de ser e quem eu sou em essência.
Antigamente, eu queria provar algo aos outros. Hoje descobri que, na verdade, sentia uma grande insegurança, e por isso tentava demonstrar algo, não às pessoas, mas a mim mesmo. Hoje vejo claramente que, quando se tem confiança naquilo que somos, não precisamos provar coisa alguma.
Antigamente, eu fazia de tudo para os outros gostarem de mim. Hoje sei que as pessoas precisam sentir afeição por quem eu sou, e não por quem eu pareço ser. Sei também que pessoas que mendigam o afeto das outras quase nunca conseguem o que desejam. Por ansiarem tão vorazmente o amor e a admiração dos outros, elas passam a ser aquilo que os outros esperam que elas sejam, e assim, caem num abismo profundo de um eu fantasioso e irreal.
Antigamente, eu acre…