Pular para o conteúdo principal

CHARITAS INAUGURA ESTÁTUA DO POETA ANTENOR CARDOSO DA FONSECA

por Luciana G. Rugani - Á querida amiga Rosa da Fonseca: sei o quanto este acontecimento representa para você e sua família, e quão grande foi sua luta para conseguir realizar este sonho. Por isso venho hoje parabenizar a você e seus familiares por esta conquista, e dizer que para mim é grande honra compartilhar deste momento com vocês. Não conheci seu pai, mas, por sua história que segue resumida logo abaixo, percebemos que ele era um amante da poesia que inspirava-se nessa nossa paradisíaca Região dos Lagos. Certamente ele também deve ter sido vítima dessa magia linda da região que tanto nos encanta e nos faz declamar poesias quase que diariamente, quando em contato com ela. Principalmente em nossa cidade de Cabo Frio, há algo no ar que nos leva a uma vibração mais poética, que aguça nossa vontade criativa e nos faz viajar ainda mais na imaginação e expressar nosso encanto através das palavras.
Parabéns, querida amiga, pela vitória! E que a história deste sensível poeta possa inspirar cidadãos, estudantes e visitantes do Charitas a amar cada vez mais a nossa natureza maravilhosa e inspirá-los  também a declamá-la em poesias.

Charitas inaugura estátua do poeta Antenor Cardoso da Fonseca
Cerimônia será neste sábado, a partir das 19h

A Casa de Cultura José de Dome, Charitas, vai inaugurar uma escultura do poeta Antenor Cardoso da Fonseca. Ele que é um dos principais nomes da literatura e da poesia na cidade, será homenageado neste sábado, dia 9, com a inauguração da estátua, a partir das 19h. A cerimônia vai contar com recital de poesia e apresentação musical do Grupo Amadeus. O monumento ficará em exposição no jardim do Charitas, todos os dias, e a entrada é franca.

"A Escultura do Poeta Cardoso da Fonseca chega a Casa de Cultura para enriquecer ainda mais a história deste espaço cultural. Fomos agraciados pela família do escritor com esta importante obra. Neste momento, eternizamos a memória do poeta que deixou um legado para nossa literatura e uma valorosa contribuição para cultura cabo-friense. Um verdadeiro presente para a cultura, estudantes, visitantes e para todos que tiveram o privilégio de conhecer o poeta Antenor Cardoso da Fonseca", afirmou a diretora do Charitas, Helena Guimarães.

A estátua foi colocada originalmente no Dormitório das Garças, no Porto do Carro, bairro que em que Antenor e sua família viviam. A ideia era fazer com que a imagem bondosa e carismática do poeta fosse para sempre lembrada. Mas visando dar maior segurança e visibilidade, a estátua foi transferida para o Charitas. Um dos motivos da escolha do local é que Antenor era figura constante nos arredores do Charitas, sempre prestigiando os eventos. E sendo ele um amante da literatura, não poderia ser diferente, já que passava horas na Casa de Cultura, sempre junto a jovens escritores e poetas. Fazia do Charitas uma extensão da sua casa. Por toda essa identificação, a família Cardoso da Fonseca doou a estátua para que ficasse exposta no local. O monumento consiste em uma escultura em tamanho natural, esculpida pela artista Cristina Ventura.

História

Antenor Cardoso da Fonseca nasceu no antigo bairro Fonseca, atual Porto do Carro, em 20 de maio de 1919. Filho de Rosalina Cardoso da Fonseca e Antônio Luis da Fonseca, empresário, fundador do bairro que recebeu esse nome em sua homenagem. Antenor foi poeta e publicou seu primeiro livro de poesia aos 20 anos, chamado “Cantando na Mocidade”. Advogado formado pela Universidade Federal Fluminense em 1951, ficou conhecido em toda a região por defender os fracos e oprimidos.

Antenor foi um grande incentivador da cultura em Cabo Frio. Apoiava inúmeros poetas e escritores revisando suas obras e os incentivando a publicá-las. Por sua notoriedade no meio da poesia, foi membro fundador da Academia Cabo-friense de Letras. Antenor também já foi vencedor do Prêmio Teixeira e Sousa de Literatura em 2003. Neste mesmo ano, publicou o livro “Estrofes”.

O poeta morreu em 2007, mas em todos os seus anos de vida cantou em poesia as belezas da cidade e o quanto amava Cabo Frio. Sua última obra publicada foi “Canto azul de amor, de Mar e de Sol à Cultura, ao Turismo e à Ecologia da Região dos Lagos e Litoral do Norte Fluminense, em Noite de Luar”, em 2009.

Att.
Coordenadoria de Comunicação
Prefeitura de Cabo Frio

Comentários

  1. Eu e minha família sentimo-nos muito honradas de vermos essa postagem homenageando o poeta Cardoso da Fonseca! Só uma poetisa sensível e amante da cultura cabo-friense como Luciana Rugani,poderia fazer tamanha homenagem! Estamos muito agradecidas e felizes!Beijão, Luciana!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CIDADANIA NOS DIAS ATUAIS

Cidadania é um termo cujo significado encontra-se em constante evolução, sendo modificado e ampliado através da história. Já esteve ligado somente ao exercício de direitos e deveres políticos, mas hoje, devido à evolução das relações sociais, possui um alcance muito maior que envolve também a questão da participação dos membros da sociedade em prol do bem comum. Há alguns anos atrás, os meios de participação social eram restritos, e daí também o conceito de que cidadão era aquele sujeito detentor do direito de voto. A nossa atual constituição federal trouxe enorme contribuição para a ampliação da noção de cidadania, através da instituição de diversos instrumentos de participação popular. Foi um grande passo, e por isso é chamada de “constituição cidadã”. A partir daí, algumas questões onde o abuso era mais evidente ganharam destaque e contribuíram ainda mais para a evolução da cidadania, como é o caso das questões de proteção aos direitos do consumidor e do agigantamento dos

DEMOLIÇÃO DOS QUIOSQUES NA PRAIA DAS CONCHAS E ILHA DO JAPONÊS

Na sexta-feira passada (15), aconteceu a demolição de quiosques na Praia das Conchas e na Ilha do Japonês por fiscais do INEA. Incrível a forma autoritária como as coisas acontecem hoje! Parece que o desrespeito e a força têm sido os principais instrumentos para atingir os objetivos! A questão ali estava sub judice , não havia ainda sentença determinando a demolição, como podem ver abaixo na tramitação do processo. E ainda, a forma como foram feitas as demolições revela total despreparo. Não respeitaram os carrinhos de ambulantes ali guardados, destruíram TUDO, quebraram vidros sem o menor cuidado e preocupação, deixando os pedaços espalhados pela areia da praia, agredindo aquele ambiente natural. Muito triste ver como tornou-se comum resolver as coisas "na marra". Falta total de respeito com anos de trabalho, afinal os quiosques pertenciam a trabalhadores e foram demolidos sem decisão judicial para tal. Seria muito bom saber o que a prefeitura tem a dizer sobre esse triste,

TEXTO EXCELENTE SOBRE RESILIÊNCIA

Como se forma um gênio como o escultor Auguste Rodin?   por Regis Mesquita   Blog www.psicologiaracional.com.br Em 1840 nasceu um gênio chamado Auguste Rodin? Não, ele se tornou um gênio , nasceu com potencialidades, vocações e plano de vida. A sua genialidade foi o fruto final de um longo processo de estudos, tentativas, erros, treinamentos, aprimoramentos, fracassos. Para cada obra bem feita, ele deve ter tido pelo menos uns 400 fracassos. Olhando pelo lado da proporção, o genial Rodin foi um fracassado. O pior vem agora: para cada obra Genial, para cada "obra prima", ele deve ter tido pelo menos uns mil fracassos (obviamente, estes números são projeções minhas). Rodin era pobre, foi rejeitado três vezes ao tentar entrar em escolas de artes. Mas, ele tinha uma arma infalível: ele brincava com a arte. Em nossa sociedade nós dizemos: "isto não é brincadeira, vamos fazer as coisas com seriedade. Se seguisse este preceito, Rodin teria si